Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cidade

ACESSIBILIDADE: A A A A

Cantora criada em Uberaba ganhará salas em sua homenagem nos Estados Unidos e Canadá

08/01/2017

Fotos: Divulgação e Enerson Cleiton

Cantora Carmem Silva, conhecida como Pérola Negra, terá duas salas em sua homenagem inauguradas nos Estados Unidos e no Canadá. Notícia foi confirmada pelo cantor, compositor e ex-marido da cantora, Carlos Mendes, em entrevista exclusiva ao JORNAL DE UBERABA

 

Danilo Cruvinel

 

Em 2017, a cantora Carmem Silva, que faleceu aos 71 anos em setembro de 2016, e viveu em Uberaba durante sua adolescência, terá salas em sua homenagem inauguradas em Boston, nos Estados Unidos, e Toronto, no Canadá. A informação foi confirmada pelo cantor, compositor e ex-marido da cantora, Carlos Mendes, em entrevista exclusiva ao JORNAL DE UBERABA.

“Em Boston, nos Estados Unidos, e em Toronto, no Canadá, haverá uma sala Carmem Silva, em homenagem a ela. Carmem era muito querida, era uma diva, tanto nos Estados Unidos, quanto no Canadá. Além disso, ela fez sucesso em mais de vinte países, como Espanha, Portugal e África. A Carmem foi e é uma grande diva e merece que façamos um trabalho para que o trabalho dela seja sempre celebrado e reconhecido. A previsão é de que essas salas sejam inauguradas durante o ano de 2017”, comenta.

Segundo Mendes, a intenção é inaugurar uma sala em homenagem a Carmem, que era chamada por “Pérola Negra”, também em Uberaba. “Inclusive, estamos pensando em fazer um trabalho, inclusive com o filho do Mário Palmério, o Marcelo, que é reitor da Universidade de Uberaba, para fazermos uma sala Carmem Silva em Uberaba, por ter sido daqui da cidade que ela saiu para o mundo. A Carmem é natural de Veríssimo, mas veio para Uberaba jovem. Ela chegou à cidade e não tinha para onde ir. A convite de Dona Cecília, foi trabalhar na residência do grande Mário Palmério, que também era compositor. A Carmem sempre teve o sonho de ser cantora, e tanto Dona Cecília, quanto o Mário Palmério, disseram que seria interessante para ela ir para São Paulo. Foram eles que arrumaram as coisas para que a Carmem fosse. A importância deles no início da carreira dela é imenso. Na verdade, quem lançou a cantora Carmem Silva para o mundo, foi a partir de Uberaba, através da Dona Cecília e Mário Palmério”, explicou.

Cantor e compositor ainda falou sobre a carreira de Carmem Silva. “Ela começou em um programa, que era um festival de artistas, chamado “Um Cantor por um Milhão, um Milhão por uma Canção”, em 1963. Depois disso, levei a Carmem para a gravadora RCA em 1968, que foi o mesmo ano em que nos casamos. Ela seguiu carreira por 45 anos e vendeu mais de 11 milhões de discos. Um dos maiores sucessos da Carmem é uma música chamada ‘Adeus Solidão’, que vendeu mais de 5 milhões de discos. Além disso, outros destaques são ‘Amor com Amor se Paga’, ‘Concerto para um Verão’, ‘O Amor é Destino’, ‘Fofurinha’, entre outros. Foram mais de vinte sucessos. Ao todo, ela lançou 25 álbuns, 6 compactos duplos, 11 CDs e um DVD. Como havia dito antes, casamos em 68 e ficamos juntos durante dez anos, mas sempre mantivemos a amizade. Tivemos dois filhos juntos, a Karla e o Jorge Carlos, que moram nos Estados Unidos. Ela faleceu no dia 26 de setembro de 2016, em São Paulo, aos 71 anos, em decorrência de uma parada cardíaca provocada por tromboembolia”, concluiu.