Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Internacional

ACESSIBILIDADE: A A A A

Destruição impede povo de Mossul de retornar

11/08/2017

Os desafios humanitários em Mossul, após  retornar ao controle de das  Forças Armadas iraquianas, continuam enormes e desafiadores. A  coordenadora humanitária da ONU no país, Lise Grande, afirmou que o contraste entre as duas partes da cidade, separadas pelo rio Tigre, “não poderia ser mais evidente”. A informação é da ONU News. Enquanto no leste de Mossul a vida vai voltando lentamente ao normal, na parte oeste, onde o grupo terrorista Estado Islâmico (EI), que ocupava a cidade, resistiu por mais tempo antes de ser expulso, bairros inteiros e a infraestrutura urbana foram destruídos. Por conta disto, milhares de pessoas não têm pra onde voltar.

Lise Grande disse a jornalistas, em Genebra, que Mossul é realmente “um conto de duas cidades”.  Segundo ela, a parte leste está se recuperando: as pessoas estão em casa, escolas, mercados e negócios estão abertos. Ela disse que as “condições não são ótimas”, mas que quase “todos voltaram para casa no leste de Mossul, menos umas 20 mil pessoas”.

Já a situação no oeste da cidade é muito diferente. Lise, que também é vice-chefe da Missão das Nações Unidas no Iraque (Unami), afirmou há cerca de 230 mil civis sem previsão de voltar para casa nos 15 bairros que foram completamente destruídos.