Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 26/08/2017
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Maconha medicinal para pets!?

Com 12 anos de idade, a gatinha Litle Kitty, pet de estimação de uma mulher norte-americana, tinha artrite que a fazia passar dias em cima de uma cama, feita especialmente para ela na tentativa de aliviar um pouco as dores. Depois de experimentar vários suplementos que foram ineficazes, sua dona foi a uma reunião de um grupo de empresárias da cannabis. Ela não comprou a ideia imediatamente, mas como a gata estava cada vez pior, resolveu experimentar. Segundo ela, deu resultado.
Embora os produtos feitos à base de maconha não tenham sido aprovados pelos órgãos reguladores, os tratamentos estão sendo usados não só em gatos e cachorros, mas também em porcos e cavalos.

Pouca pesquisa
A Administração de Alimentos e Drogas dos EUA não aprovou a maconha para animais, em parte porque há pouca pesquisa que mostre sua eficácia. Os veterinários não podem prescrever os produtos da cannabis, e nos Estados onde a maconha é ilegal não se discute a ideia. No ano passado foi derrotado em Nevada um projeto de lei estadual que previa a possibilidade de veterinários receitarem cannabis para animais domésticos com doenças crônicas. Mas os usuários aprovam os produtos.
São muitas a histórias de pessoas que fazem uso da machona medicinal em seus pets. 

Testes clínicos
Um deputado por Nova York, que também é veterinário, uniu-se à Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia para realizar testes clínicos de Therabis, um trio de pós baseados em cânhamo que ele criou para ansiedade, mobilidade e coceiras. 
Muitos tutores gostariam de dar tranquilizantes para seus pets para poder levá-los no colo a determinadas consultas. Mas os efeitos dos sedativos nos sistemas cardiovascular e respiratório dos animais são muito fortes, então acredita-se que a maconha medicinal seja a solução. Enfim, a questão é mesmo muito polêmica.