Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 15/08/2014
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Amigo Animal por Marcos Moreno

"A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados." - Mahatma Gandhi

 

“Sete vidas tenho para viver...”

O costume de se dizer que os gatos têm várias vidas provavelmente deriva de determinadas particularidades anatômicas e fisiológicas desses animais. Ninguém sabe ao certo. "O mais provável é que eles ganharam a fama por causa do seu sistema imunológico eficiente - já notou que é difícil gato ficar doente? - e por sua exímia agilidade, que lhes permite cair sempre de pé". Mas por que sete e não outro número? O curioso é que a quantidade de vidas varia de uma parte do planeta para outra. Nos países de língua inglesa são nove, em vez de sete vidas. Os dois números têm um significado místico especial em diversas culturas e religiões. Na cabala, o sete é um dos algarismos de maior potência mágica e o nove não fica atrás, representando a vida e a abundância.

 O tamanho e a conformação dos músculos dos gatos, maiores que dos cães, permitem que os eles dêem saltos bastante ousados. Além disso, eles são exímios equilibristas. Essas características, aliadas a uma grande flexibilidade, agilidade, destreza, garras afiadas, visão e audição aguçadas, permitem que os felinos se safem de muitas situações adversas. Daí, provavelmente, o costume de dizer que eles têm várias vidas. A escolha do “sete”, por sua vez, se dá pelo fato de este ser um número cabalístico: o sétimo dia foi o do descanso de Deus após a criação do universo, são sete os pecados capitais, as notas musicais e as cores do arco-íris. Na numerologia, ainda, representa a junção do material (4) com o espiritual (3). “...mas se não comer acabo num buraco”, já dizia a letra da música Negro Gato, famigerada canção de Roberto Carlos. Portanto, atenção com cuidados com seu gato sim. Como os cães, eles também precisam disto.

***


 

Mione é essa linda gata que Marcela Carvalho ganhou de presente da avó em Bonsucesso Fofinha divide as atenções com Mione, mas é a mais antiga na casa...  ...e para não dizer que não falei cachorros, essa é Luna, a cadelinha que também divide o mesmo teto com Mione e Fofinha. Tudo no maior clima de amizade

***

Saúde Animal

Sistema urinário do gato


Eles podem ter sete, nove, etc, mas os gatos possuem um sistema urinário sensível, sobretudo os gatos machos. Isto é o resultado da acumulação de cálculos de estruvite (os mais frequentes), em consequência da ingestão em excesso de sais minerais. Os sintomas de entupimento do canal da uretra são diversos: a urina mais escura, eventualmente com sangue, o gato sente desconforto quando “vai ao wc”e pode inclusive deixar de conseguir urinar, miando com dores. Para prevenir, pode ver com o seu veterinário uma alimentação apropriada. Sobretudo nos gatos mais idosos, os rins são um dos primeiros órgãos a apresentar um funcionamento deficiente, podendo culminar numa insuficiência renal.Os rins deixam de ter capacidade para limpar o sangue dos detritos e pode conduzir a um envenenamento gradual do organismo, que no limite conduz à morte.Um dos sintomas da doença é o aumento da sede e logicamente do consumo de água.O gato vai perdendo o apetite, emagrece, o pêlo fica sem brilho, e torna-se cada vez mais apático.Pode ainda ficar com um intenso e desagradável cheiro no corpo e na boca.A insuficiência renal não tem cura, mas pode ser controlada.

***

Dicas de Raças

O gato “rajado”


A origem do gato American Shorthair é pouco conhecida, sua pátria oficial são os Estados Unidos. Eles provavelmente chegaram ao país com os colonizadores ingleses em seus navios, onde eram usados como caçadores de ratos, e chamavam atenção por ter saúde bastante resistente, vivendo mais que outros gatos. Durante o início do século XX, algumas raças que chegaram à América cruzaram com o American Shorthair, o que acabou por descaracterizá-lo, dando origem a gatos com cores e pelagens variadas. Ele passou a ser conhecido como Domestic Shorthair, e em 1966 criadores se empenharam a fazer a uma reprodução seletiva, o que teve como resultado o American Shorthair como é conhecido hoje e acabou sendo rebatizado. Não à toa, muitos gatos que não possuem raça, popularmente chamados de “vira-latas”, tem uma forte semelhança com eles. O que diferencia um animal com pedigree é que este é reproduzido apenas com gatos da mesma raça, gerando sempre filhotes com o mesmo padrão físico e temperamental.  Os olhos do gato American Shorthair são grandes e amendoados, brilhantes e alerta. A pelagem do gato American Shorthair é curta, e de textura dura. A pelagem é densa o suficiente para proteção do tempo, frio e cortes superficiais na pele.

***

Pet Aventura

Salvo do terreiro

Essa é mais uma história da eterna luta entre o bem e mal. Enquanto pessoas praticam toda sorte de atrocidades contra seres indefesos, no caso animais, outros tantos, graças a Deus, partem para a defesa dos mesmos, salvando-os de horrores indescritíveis. Esta é a ventura do Zorro. O gato foi encontrado pela protetora de animais Raquel Sottero, em uma cena de filme de terror.  Amarrado em uma pedra com arame em um terreiro de macumba e com desenho pelo seu corpo. Algumas crianças o acharam e, sabendo da dedicação de Raquel ao animais, o levaram até ela. Zorro- nome que recebeu- estava bem machucado e assustado. Claro, como todo o cuidado e carinho, ela cuidou dos ferimentos e o levou para ser castrado. O gato hoje é feliz, bem tratado e, aproveita a sorte, fazendo suas artes, brincando e se espichando no telhado para tomar um bom sol. Segunda Raquel, deve ter sido acompanhado por “anjinhos” que lá no terreiro não tiveram a mesma sorte.