Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 07/11/2014
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Amigo Animal

“Pela pluralidade de existências, o direito à felicidade é o mesmo para todos, porque ninguém está deserdado do progresso”

Consciência tranqüila?


Bom dia leitores. Há algum tempo as pessoas (muitas que eu conheço e outras tantas que não conheço) começaram a me associar a qualquer atividade de proteção aos animais. Amo os animais. Minhas considerações, convicções e comparações entre animais e seres humanos são muito particulares e não quero ficar expondo porque não tem relevância em trabalhos efetivamente feitos por protetores, ONGs, etc. Esclareço porém, que não sou protetor. Gostaria muito de ser, de ter mais tempo e condições gerais para fazê-lo. Faço apenas o que posso, e uso este espaço para contribuir com a causa e mostrar o lado muito bom de ter um pet. Já adotei um cão, meu querido Chien, mas no momento não tenho condições adotar mais. E assim vou procurando, de um jeito ou de outro, ajudar algumas dessas adoráveis criaturas. O que tenho notado é que muitas vezes, quando  as pessoas procuram uma ONG ou protetores, esbarram em uma afirmativa que a população existente no lugar já é muito grande e não podem fazer mais nada. Elas já estão fazendo muito. A questão é o que sempre é dito, que as pessoas “compram” ou adotam um animal enquanto este é filhote, engraçadinho, fofinho e parece um brinquedinho. À medida que o tempo vai passando e o bichinho via crescendo, o interesse das pessoas diminui e pior, vão constatando que os bichos adoecem, têm que ser levados periodicamente ao veterinário, têm que tomar banho, enfim, exigem cuidado, que exige tempo. E essas pessoas não querem “perder” tempo cuidando deles. Então, para se “livrarem” do “problema” com a consciência tranqüila, vão atrás de uma ONG ou protetor que “goste” de animais, para ficar com o seu. Fácil assim: sem peso na consciência. Pior ainda é quando nem vão atrás de ninguém, apenas o abandonam. Isso é o mais comum, infelizmente. Mas tudo dá trabalho na vida. A gente tem que cuidar de tudo, de um relacionamento com pai, mãe, amigos, namorados, etc. Tudo na vida exige cuidados. As pessoas não podem simplesmente descartar um filho, um irmão, um amigo. Por que podem então descartar um cão? É só encará-los da forma que realmente são: seres vivos, com sentimentos sim. O que quero dizer com tudo isto, é que se as pessoas mudarem a maneira de ver o seu pet, ele não será problema, ele será uma bênção. Tudo dá trabalho. Viver é trabalhoso. Uma planta dá trabalho, fazer uma festa, dá trabalho... Mas o povo brasileiro, de um modo geral, ainda não tem o discernimento correto quanto a esta questão. Na Europa, por exemplo, paga-se um imposto para se ter um animal, e não se vê em hipótese alguma, animais soltos nas ruas. Lá não existe abandono. Se pagam imposto, assumem realmente a responsabilidade.  Os animais têm conquistado corações e direitos por aqui, mas esse mundo no modelo europeu ainda está muito distante.

 

***

 

Flash Pet


A vida da Myllenaa ficou muito melhor com a chegada do Presunto, este pet super simpático que tem esse nome por causa dos pais dele, Salame e Mortadela. Originalidade pura!


Mansa, tranqüila, dengosa. Assim é a Filomena, esta gatinha que também é muito charmosa, da amiga Marise de Oliveira.


E este é o Nick, o fujão que deu o maior susto na Fernanda. Mas felizmente foi só um susto e está novamente em seu “lar doce lar”.

***

 

Dicas de raça

Pouco comum, por enquanto!


 

Assim como o cão da raça pug, que até 15 anos atrás não era tão conhecido como é hoje, os cães da raça Affenpinscher  estão prometendo ganhar mais popularidade.

É difícil estabelecer como e quando originou-se o primeiro exemplar típico.  A origem da raça é  alemã e esses cães tornaram-se muito populares  no século 19. Na França a raça é conhecida como diablotin moustachu, ou "diabinho bigodudo". A raça foi utilizada inicialmente como caçador de grandes roedores e cão de companhia na região sul da Alemanha.

O Affenpinscher é um cão de pelo duro, gracioso, de tamanho pequeno e compacto. A mandíbula prognata, característica da raça é ligeiramente curvada para cima.

Os olhos são arredondados, cheios, de cor escura. Com a pele bem aderente ao corpo do cão, a pelagem apresenta-se bem densa e áspera. Tipicamente, a cabeça é adornada por sobrancelhas espessas e por pelos em forma de coroa ao redor dos olhos. A raça apresenta uma típica e expressiva barba, topete e pelos nas bochechas. Se comparada com os pelos do corpo, a pelagem da cabeça é mais dura, espalhada e reta, o que contribui para a característica expressão de macaco.

Estes cães estão sempre alertas, são considerados excelentes guardas, apesar de seu pequeno tamanho, e são afetuosos ao extremo. Apesar de ativo e por vezes impaciente, é considerado um cão calmo e obediente, brincalhão, muito inteligente e facilmente adaptável à vida em ambiente menores, como apartamentos ou casas sem quintal.

 

***

 

Saúde Animal

 

Patas molhadas!


Estamos todos clamando por chuva. Que venha a chuva!!! Em abndância! Se Deus quiser e o homem não atrapalhar mais, com tanto desmatamento e outros abusos- a floresta amazônica está pedindo socorro e os desmatadores ilegais estão sendo anistiados...- a chuva logo virá com mais intensidade. E se tudo correr bem, ai vai uma dica de saúde para o seu melhor amigo. Não podemos esquecer de manter as patinhas dos nossos bichinhos de estimação sempre sequinhas.

Quando passeamos com nossos cachorrinhos na rua e nos deparamos com aquela poça da chuva de ontem, fatalmente em algum momento ele(a) vai pisar em alguma parte da poça, mesmo driblando uma, encontraremos outra mais a frente.

Pois é, só que aí que está o problema, a maioria das pessoas esquecem de secar as patinhas de seus cães, não só a parte de cima, mas entre os dedos da pata, e as almofadinhas de baixo. Você já reparou se seu cão lambe a pata várias vezes ao dia? Então preste atenção se as patinhas não estão molhadas.  As patas molhadas fazem com que esta parte fique mais sensível para o animal, podendo ocasionar inchaços com fungos. Quando isto acontece, o cachorro tende a lamber muito a sua pata, piorando com o tempo.

Esses sintomas não são exclusivamente causados pelo fato da pata estar molhada, mas isto pode cusar esses problemas. Nós, humanos, não podemos ficar com os pés molhados. Eles também não. Imaginem o desconforto deles sentidno dor nas patas? E as patas são muito sensíveis. Então, fica a dica.