Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 16/01/2015
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
A capivara tá pagando o pato

“A caça não é um esporte. Em um esporte, os dois lados devem saber que estão no jogo.” Paul Rodriguez

Monalisa Calra homenageia Priscila

Kiko não pode “ajudar” o pintor trabalhar na casa de Larissa, por isto fica emburradinho, só olhando. “Ai, que delícia deve estar aquela tinta!”

Lunna é border collie da Luciana Galvão. Espertíssima essa menina, que faz parte de uma grande família!

A capivara tá pagando o pato

O Jornal Nacional já mostrou o perigo dos pássaros perto dos aeroportos. Mas, em Vitória, no Espírito Santo, eles não são a única ameaça aos aviões.
A capivara tem sido uma preocupação, e o problema não se restringe ao aeroporto de Vitória.
Por lá, o gavião é treinado para evitar que outros pássaros se aproximem da pista do aeroporto. E só a presença do gavião  já espanta as outras aves. Mas existem outras espécies animais que não se assustam e representam  ameaças.
Por isso os biólogos percorrem, todos os dias, a vegetação de restinga, uma mata preservada que está dentro da área do Aeroporto de Vitória. Eles capturam todos os bichos que podem representar algum perigo.
A bióloga Juliana Perez explica como é trabalho: “Se uma aeronave passa por cima de uma cobra, na hora, aves, como o carcará, descem na pista para se alimentar dessa carcaça e é o momento em que pode acontecer uma colisão com essas aves”.  A capivara está sendo uma ameaça!Ela está chegando cada vez mais perto da pista. Não porque queira viajar!  Naturalmente o fenômeno ocorre porque, como todo mundo sabe, elas, as capivaras, como tantos outros bichos, estão perdendo sua “residência” para os humanos. Tanto que os predadores naturais desse animal foram quase totalmente extintos, o que faz aumentar essa população. Neste caso específico das capivaras, uma veterinária vai instalar armadilhas para capturar os animais na área do aeroporto e também em fazendas no interior do estado, onde estão destruindo lavouras inteiras. A intenção é esterilizar os machos e fazer um controle populacional para evitar os prejuízos e perigos causados pelo excesso dos bichos. Essa é apenas mais uma história triste sobre a invasão dos humanos sobre outras espécies.  Quem se lembra da primeira versão do filme “O Planeta dos Macacos” sabe o quanto foi impactante o tema, que mostra um futuro onde os humanos são capturados e presos para não destruírem o mundo “de novo”. Algum animal sempre tem que “pagar o pato”. Desta vez é a capivara. Quando não exterminam por completo uma espécie, fazem controle de população, o que não seria necessário se suas áreas não fossem tão depredadas por nós. 

 

 

Acordo = Pet Aventura

Monalisa Carla é uma leitora assídua da coluna. Ela queria contar a história da Priscilla. É uma história de muito amor a uma poodle e acho que vale a pena conferir.
“Quando tinha 8 anos de idade, Deus me deu a irmã que sempre pedi. Uma irmã diferente... sim... uma irmã que me amou desde o primeiro olhar. Uma poodle branquinha, com as orelhas champanhe. Dei a ela o nome de Priscilla (em homenagem à personagem homônima da TV Colosso).  Tenho, inclusive, sua certidão de nascimento, feita por mim, é óbvio. Lembro-me de quando meu pai inventou de me levar à praia. Todos os dias, eu ligava pra minha mãe e ela colocava o telefone próximo à Priscilla. Ela latia e uivava ao ouvir minha voz. Certo dia, li que a poodle mais velha registrada no Livro dos Recordes tinha morrido aos 19 anos. 
Minha campeã passou por maus bocados. Inclusive, quando foi mãe. Ficou internada, teve problemas pra dar a luz e passou por uma cesariana. Dali pra frente, o que eu fazia quando criança (viver com a Priscilla no colo) era repetido pela minha mãe. Observei o amor entre elas crescer a cada dia. Até que minha mãe teve câncer e ficou muito tempo no hospital. Não sei o que era pior: ir à visita no hospital e ver minha mãe naquela situação ou voltar pra casa e encontrar a Priscilla esperando-a noite e dia no portão. Quando, enfim, minha mãe voltou pra casa, minha “princesinha” não saía da beira de sua cama. Velava seu sono e, a qualquer gemido diferente, dava o alarme e acordava todos na casa. Por isso, digo que ela não foi um animal de estimação, foi nosso anjo terrestre. 
No fim de 2014, aos 17 anos, infelizmente, minha “princesa” não conseguiu mais protelar sua volta ao céu e tive que desobrigá-la de sua promessa. Depois de uma noite inteira passando mal e uma parada cardíaca, ela voltou e me esperou pra que eu pudesse dizer o quanto a amava e que seu compromisso comigo estava cumprido. Assim, minha pequenina morreu nos meus braços. Há quem diga que exagero ao dizer isso tudo e que não passava de uma cachorrinha. A essas pessoas, peço que guardem suas opiniões pra si e rezo pra que um dia sejam abençoadas por um anjo como esse. Só assim, entenderão quão forte é a dor dessa despedida. À minha “princesa”, só tenho a agradecer todos os momentos incríveis pelos quais passamos. Todas essas memórias ficarão guardadas pra sempre comigo e com minha família. Saiba que você, Priscilla, foi a melhor irmã, filha, amiga, cadela, do mundo. E, acima de tudo, foi e continua sendo (tenho certeza) nosso ANJO DA GUARDA.
Te amamos muito, hoje e sempre!”

 

Saude Animal

A importância da boa alimentação

 

Para que o seu cachorro cresça forte e saudável, é importante que ele tenha uma alimentação equilibrada. Em primeiro lugar, certifique-se de que o seu cão tem sempre água fresca e limpa. Sempre que possível, é aconselhável que o seu cão se alimente todos os dias às mesmas horas.
Se tiver de optar por dar ao seu cão ração ou comida caseira, o ideal é optar pela ração de cão. A comida caseira peca por não fornecer uma nutrição adequada ao seu animal.
Hoje em dia o mercado está repleto de marcas e de variedades de ração para cães. Mas qual a mais indicada? Aqui ficam algumas dicas e sugestões.

Baratas/ Populares:  Um dos factores que favorece a sua comercialização é o seu baixo preço. Regra geral, este tipo de comida para cão é formulada com subprodutos do milho, soja e farelos de algodão. Não sendo portanto um tipo de ração de fácil assimilação;

Standard:  Este tipo de ração tem um compromisso de qualidade e é melhor do que a ração popular. Contém farinha de carne e ossos, glúten de milho e gordura animal. Embora a ração standard seja melhor do que a popular, ainda não é a ideal. 

Premium e Super Premium: Estes tipos de ração de cão são de primeira qualidade, sendo por isso mais caros do que os anteriormente mencionados. Contêm carne de frango, peru e ovelha. Este tipo de produtos animais ajuda a simplificar e facilitar o processo digestivo. Outra vantagem é que como é a digestibilidade é maior, o consumo de ração é menor. Além disso ajuda a reduzir o volume de fezes.