Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 23/01/2015
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Os pets e as frutas

"Eu sou a favor dos direitos animais bem como dos direitos humanos. Essa e' a proposta de um ser humano integral." 
Abraham Lincoln (Presidente Americano)

 

Os pets e as frutas

Muitas vezes a gente confunde as necessidades dos animais com as nossas. Às vezes ficamos pensando se deveríamos dar frutas aos nossos cães ou gatos, principalmente em função do calor, que este ano então, é histórico. É comum cachorro gostar de banana ou outras frutas. Mas será que o cão precisa dos nutrientes contidos nesses alimentos? Segundo especialistas, cães e gatos não necessitam de acrescentar frutas em sua dieta diária.
As frutas funcionam muito mais como um agrado, um mimo aos animais do que uma necessidade alimentar. Aliás, é preciso ter cuidado. As frutas ácidas, por exemplo, como laranja, mexirica, morango e abacaxi não devem ser oferecidas aos cães. Eles têm um estômago muito sensível e vão sofrer com a fruta ácida. Algumas frutas podem ser dadas, apesar de não acrescentarem nenhum valor protéico à dieta, como banana, maçã (menos a verde, porque é ácida), pêra, manga e ameixa doce.
A água de coco é indicada para os animais que estão se recuperando de complicações no estômago e gastrite. No entanto, cães e gatos não gostam de nenhum tipo de suco de frutas.
Já os bichanos não são chegados a comer frutas. Os gatos preferem mesmo os legumes. Segundo a veterinária Patrícia, “O gato é muito seletivo e as frutas não o apetecem”. “A salada atrai, muitas vezes, por causa do azeite.”
A veterinária lembra ainda que mesmo que o dono dê frutas ao animal, nunca deve deixar que ela substitua uma refeição de ração. Ela ressalta que durante a fase de crescimento o animal deve comer somente a ração.
Mas, se para um cãozinho uma fruta funciona como um mimo, um carinho,  para um pássaro, como canários ou periquitos, as frutas têm um importante papel - suprir as necessidades de vitaminas e proteínas.
Para as aves podem ser oferecidas as mais variadas frutas, desde que não sejam cítricas, como laranja, mexirica, limão e abacaxi. Isto funciona para as frutas em relação aos pets mais comuns. Oportunamente falaremos da relação e necessidade deles com os legumes. Por enquanto, tente se manter frio, apesar do calor horroroso, e continuar mesmo dando uma boa ração para seu pet.

 


“Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça...”. anjinha, da Marise de Oliveira, parece um desenho, de tão linda

Olha a língua azul do Zé! Mas não é por causa do calor não. É assim mesmo. Ele tá muito feliz porque a Katiuça o levou para tomar  bom banho

A Xuxinha, da Joelma, acabou de sair da “seção beleza”. Os lacinnhos dourados são para evento de gala

Saúde Animal

Anemia em cachorros’

Quando ouvimos falar sobre anemia, logo o que nos vem à cabeça é a perda de ferro, correto? Em animais, esse tipo de anemia é raro, apenas animais muito debilitados podem desenvolvê-lo.
É na medula óssea, no interior dos ossos, que são produzidas as células que compõem o sangue. Se ocorrer algum erro no processo ou algum fator levar à destruição ou perda de sangue ou células, poderá surgir a anemia. Veja, a seguir, alguns fatores que levam a essa falta.
Acidentes: leva à perda de sangue, devido à hemorragia tanto interna quanto externa, mas é considerada perda de sangue e não apenas anemia.
Doença transmitida por carrapato: leva à destruição de células sanguíneas, provocando, assim em determinada fase, a anemia.
Alimentação: quando inadequada, leva à deficiência extrema de vitaminas e ferro, que são essenciais para a produção de sangue.
Veneno: existem muitos casos de cães que ingerem venenos de ratos, causando a perda de sangue (hemorragia). Esses animais devem ser atendidos às pressas, pois esse veneno pode causar a morte. Nessas situações, hái a perda de sangue total e não apenas anemia.
Parasitos: os carrapatos, os vermes intestinais e as pulgas têm como fonte de alimentação o sangue do animal. Em infestações prolongadas, podem levar o cachorro a ter um quadro de anemia, principalmente se for um filhote.
Doença renal crônica: com a falta da produção de eritropoeitina, a medula não é estimulada a produzir células e, com isso, pode ocorrer a anemia. 
Esses são alguns dos exemplos de causas de anemia em cachorros. Para o tratamento mais adequado, procure um médico veterinário. Somente ele poderá determinar a real causa da anemia.

 

 

Pet Aventura

Eles já são vistos por aqui

Cães da raça Bull Terrier já podem ser visto por aqui. Não são comuns, claro. Tal qual o conhecemos hoje, foram fixadas a mais ou menos um século, e em sua origem, encontramos muito do bulldog, que foi criado para lutar contra touros em exibições públicas.
Alguns criadores, buscando exemplares mais ágeis, e lutadores imbatíveis, cruzaram o bulldog com o antigo terrier inglês branco, muito difundido na época. Os primeiros cães obtidos mostraram-se muito volumosos, e diferentes entre sí. Mais tarde, através de cruzamentos com o dálmata e terriers ingleses brancos, o Bull Terrier tornou-se o cachorro ágil e forte que conhecemos hoje. Hoje em dia é um grande guarda e ótimo companheiro.
O Bull Terrier é uma raça obediente e tolerante frente a disciplina. É um cachorro de constituição sólida, ativo, simétrico, de expressão profunda, decidida. Os olhos da raça Bull Terrier são fundos, pequenos, amendoados e penetrantes. As orelhas são eretas, finas, próximas entre si. A pelagem é curta, compacta, reluzente, um pouco dura ao tato.
Considerada uma raça de cachorro de porte pequeno para médio, não há limites para a altura e o peso do Bull Terrier, mas o cão deve dar a impressão de máxima substância para seu tamanho, em coerência com as suas qualidades e sexo.