Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 13/03/2015
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Remédios para alma

Remédios para alma

Aquela remelinha...

“Onde os Rottweileres se encontram”

Muito inteligente

Remédios para alma

Cada vez mais terapeutas e profissionais da saúde reconhecem que diversos animais auxiliam no tratamento e na recuperação de doentes ou na melhoria das condições de saúde dos idosos. Estudos comprovam que a presença dos bichanos, nesses casos, promove a sensação de bem-estar e sociabilização nos pacientes, além de diminuir as dores e combater a depressão. 
No Brasil, o tratamento com animais mais conhecido é a equoterapia, um tipo de terapia que alia a convivência com os cavalos ao acompanhamento de profissionais das áreas de saúde, psicologia e equitação, visando o desenvolvimento físico, psicológico e social dos portadores de deficiências ou necessidades especiais, como a paralisia cerebral, a síndrome de Down e o autismo. Entre os resultados, a equoterapia aprimora o equilíbrio do corpo, aumenta a força muscular, a coordenação motora, etc. Já em relação aos benefícios psicológicos, a terapia faz bem para a autoestima, a concentração e a socialização, bem como deixa a pessoa mais segura.
Se a equoterapia traz tantos benefícios, o convivio com outros animais também. Segundo profissionais da área de saúde, o contato com o animal traz uma série de benefícios físicos, pois promove a liberação de endorfina – responsável pela sensação de bem-estar – e equilibra a pressão arterial. A convivência também pode reduzir a necessidade de medicamentos e melhorar a disposição do paciente para encarar o tratamento. Com a aprovação da equipe médica, o animal pode ser tocado ou apenas apreciado. Esse contato, mesmo que apenas visual, distrai e alegra, uma vez que ajuda a combater a solidão e a depressão, e, claro, isto traz melhora para as dores físicas. 
Até mesmo os pacientes com perda de memória, um dos sintomas da Doença de Alzheimer, sentem-se melhor quando recebem os simpáticos visitantes. Sociáveis e especialmente treinados, os cachorros são os preferidos e mais habilitados para tais funções. Gatos, coelhos e até mesmo peixes em aquários também ajudam - e muito - na recuperação de pacientes. Eles são verdadeiros remédios para a alma, porque a alma serena contribui para um físico equilibrado, melhor.

 

“Onde os Rottweileres se encontram”

Até parece nome de filme ganhador de Oscar. Mas trata-se aqui do encontro dos mais belos cães da raça Rottweiler de Uberaba, que acontece amanhã , às 16:00 horas  na Praça Pio XXII ( Igreja São José). 
“Os organizadores do evento avisam: “Se for de carro é bom levar uma vasilha e uma garrafa com água para nossos Rotts não ficarem com sede. (Previnem nesse calor)
É bom levarmos sempre uma sacolinha para o caso deles quererem defecar em local público. Se vamos para as ruas, lembramos que devemos dar exemplo com eles.
DICAS DE SEGURANÇA:

É sempre bom checar as guias(coleiras) de seus Rotts e ver se estão em bom estado para passeio.
Pedimos que todos os Rotts presente esteja com FOCINHEIRA, pois na presença de outros cães o temperamento do cão muda podendo ficar mais agressivo.
Vamos estar sempre em dia com as vacinas e reforços para uma qualidade e um encontro seguro para os Rotts..
Vamos manter o máximo de segurança o possível.
Nos encontramos lá!”

 

Aquela remelinha...

Após uma boa noite de sono, é comum que os cães acordem com o canto dos olhos cheios de uma sujeirinha bem conhecida: a remela. Porém, muitas vezes um vazamento bastante semelhante a ela – mas com complicações à saúde do bichinho – pode passar despercebido pelos donos. Existem casos em que as secreções não são sinais de uma bela noite de sono, mas sim de que há algo mais a ser investigado. Podem ser indícios de uma infecção, alergia ou inflamação nos olhos.
Diversos  fatores  causam secreções. Desde o atrito da pelagem com o olho do animal à conjuntivite. Não existe exceção à regra: qualquer raça está sujeita. Porém, os problemas acontecem mais frequentemente em poodles, lhasas, cocker spaniels, shih tzus, cane corsos, beagles, rottweilers, pugs, pequineses e sharpeis.
Tanto as secreções quanto as manchas de lágrima são mais comuns em dias quentes. O ar seco é ambiente propício para reações alérgicas e inflamatórias. 
Para resolver o problema, o ideal é levar o pet ao veterinário. A melhor dica é: quando perceber qualquer sinal de irritação ocular (vermelhidão), secreções em excesso, dor nos olhos (o cão não consegue abri-los com facilidade) ou perda de visão, deve-se imediatamente procurar ajuda,

 

Muito inteligente

Cão considerado dos mais inteligentes, o Boiadeiro Australiano, é notável também pela sua resistência, ótima agilidade e sempre silencioso em seu trabalho. A raça foi desenvolvida na Austrália para conduzir e guardar as boiadas por enormes distâncias em inóspitas regiões. 
Nascido do cruzamento de Smithfields (já extinto), Dingos, Coolies, Bull Terriers e Dálmatas, surgiu o Boiadeiro Australiano que vemos hoje em dia, também chamado de Australian Cattledog. A raça foi reconhecida por volta de 1890 e só passou a ser vista nos EUA e Europa a partir de 1970.
O Boiadeiro Australiano é sempre alerta e vigilante, inteligente e corajoso, é um companheiro fiel de seu dono e muito dedicado à sua família. Primeiramente é um cão arrebanhador de bovinos, porém por sua desconfiança com estranhos e suas qualidades, é um exímio guardião de casas também. Não é um cão de cidade, pois como foi criado para trabalhar em amplos campos australianos, não se adaptará bem a um apartamento na cidade. Tem a necessidade de bastante exercício diário, independente do lugar.