Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 19/06/2015
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Amigo Animal

Amigo Animal - 19 de junho de 2015

"Todas as coisas da criação são filhos do Pai e irmãos do homem... Deus quer que ajudemos aos animais, se necessitam de ajuda. Toda criatura em desgraça tem o mesmo direito a ser protegida." - São Francisco de Assis

 

Nossos guardiães!

Hoje as pessoas já criam cães de grande porte como companheiros, “filhos” e etc. Esses “mimos” que são mais parecidos com pequenos pets. Felizmente. Mas, antigamente, e ainda hoje e muitas situações, cães de grande e até de médio porte, eram criados exclusivamente como guardas da casa. Não à toa. Diz estudos recentes que, naturalmente, sem terem sido “treinados” para isto, os cães rejeitam pessoas que são hostis com seus donos. Eles não gostam de pessoas que são desagradáveis com os seus donos e rejeitam até mesmo comida se ela é oferecida por tais pessoas, de acordo com um estudo japonês.

Os cães seriam, portanto, capazes de julgar uma pessoa com base em seu comportamento na sociedade. "Descobrimos pela primeira vez que um cão pode avaliar a sociabilidade de um indivíduo, independentemente de seu interesse direto", explicou Kazuo Fujita, um professor de psicologia da Universidade de Kyoto e diretor do estudo.

Esta conclusão é apoiada por uma série de experimentos com um total de 54 cães divididos em três grupos.

O ciúme já é claramente definido. Eles sentem, e muito. E, claro, para quem tem e adora cães, os recentes estudos sobre suas personalidades só confirma o que já se sabe. Sabemos dos sentimentos deles, conhecemos as artimanhas que usam para conseguir as coisas- carinho, por exemplo- o sentimento de tristeza e também de alegria. A fidelidade, é incontestável. Mas para quem não acredita, melhor ficar esperto e não ter atitudes desagradáveis, agressivas, com alguém que esteja perto de seu cão. O resultado poderá ficar complicado.

***

Flash Pet


Esse lindinho está muito triste, porque seus tutores vão se mudar para um apartamento e ele, e seus irmãos não vão poder ir. Então precisam de um novo lar. Quem se interessar, entrar em contato com a coluna

Chapolim está na mesma situação: para adoção. É simpático, dócil. Não vai se arrepender que o acolher. Contato com a ONG Santo Focinho.

Esta linda cadela e seus filhotes foram resgatados pela ONG Santo Focinho. Estão sendo doados, tanto juntos quanto separados, claro.

***

Saúde Animal

 Creme para eles!


Calos ou escaras de decúbito são lesões de pele que aparecem com frequência em animais de médio e grande porte e que nada mais são que calos de apoio causados pelo contato da pele com superfícies duras, mas comumente em cotovelos e calcanhares. Dois são os principais fatores que levam ao seu aparecimento: o piso e o peso do animal. Quanto mais rugoso o piso, maior a fricção deste com a pele ao levantar-se ou deitar-se, que leva à perda de pelo ou até destruição dos folículos pilosos nas regiões já citadas, pois para compensar o impacto e a falta de gordura, a pele começa a se espessar nas regiões de contato.

Se não houver ferida no local, a pele do calo deve ser hidratada diariamente com substâncias emolientes, oleosas ou cremosas específicas para calos. Existem produtos veterinários específicos para este tratamento à base de lanolina, ureia, silicone, óleo mineral, cera de abelha, vaselina entre outros componentes.

Caso haja ferida, com rachaduras, sangue ou pus, pois em alguns casos a pele pode ressecar a tal ponto que rache e inflame bastante, o animal deve ser encaminhado ao médico veterinário para correta aplicação de anti-inflamatórios e/ou antibióticos. Quando o animal se deita, seu peso faz com que as pontas dos ossos se atritem com o solo. O piso do canil para cães adultos deve ser macio, de preferência de cimento queimado ou piso antiderrapante (cerâmica ou borracha).

***

Dicas de Raça

Gato de Bengala


O Bengal (ou Gato de Bengala) é uma raça de gatos bastante curiosa, meiga e divertida.

O Bengal é um felino que veio do resultado de uma seleção e cruzamentos criteriosos entre espécimes diversos de leopardos asiáticos e gatos de raça pura, resultando em um animal belíssimo e de aparência muito bonita, além de um temperamento diferente dos felinos selvagens.

Esta criação resultou um felino que não diferiria em nada dos gatos domésticos de raça, sendo bastante interessante, magnífico e afável, a reprodução de um leopardo feito em escala reduzida.

É um gato robusto, com forte ossatura, e também muito musculoso, costuma ser de tamanho médio a grande. Seu peso pode chegar a até 9 quilos. Uma característica bastante marcante nesta raça é o fato de suas patas traseiras serem mais altas do que as suas dianteiras, herança deixada por seus ancestrais  e sua versão selvagem.

Mas todos os cruzamentos são rigorosamente controlados pelos criadores. E os animais de padrão pet que não preencherem todos os requisitos de standard da raça são castrados e vendidos da mesma forma, porém como não puros. No Brasil os criadores possuem um compromisso real de apurar, e aprimorar esta raça.

Como curiosidades da raça, podemos citar que os Bengals não costumam miar.

Existem algumas recomendações de rações premium para alimentar os animais adultos.

A vacinação padrão anual é necessária para raiva, leucemia, panleucopenia e rino traqueíte.

Uma dica interessante para a beleza e para a saúde destes felinos são os banhos, que deverão ter intervalos mínimos quinzenais. Eles gostam muito de banhos, e diferentes de outras raças não irão renegar uma boa água refrescante para ficaram mais bonitos do que já são.

***

Pet Aventura

Cartas ao paraíso


As histórias de pets sempre emocionam, e muitas delas têm um final triste. Mas algumas delas excedem as expectativas na hora de arrancar lágrimas dos nossos olhos… E essa é uma delas. Um garotinho chamado Luke Westbrook, de apenas 3 anos de idade, tinha um melhor amigo – o cachorro Moe, da raça Beagle. Só que, infelizmente, Moe faleceu em abril desse ano.

Luke ficou inconsolável. Desde então, com a ajuda de sua mãe, ele manda cartas para o “Paraíso dos Cachorros” dizendo que está com saudades do amigo. Ele falava o que queria dizer, e sua mãe, April Westbrook, as escrevia. Eles enviavam as cartas para ‘Moe Westbrook, Paraíso dos Cachorros, Nuvem 1′.

A mãe levava o garoto até a caixa de correio e botava a carta lá dentro na frente dele. Só tirava quando ele ia dormir, pra que ele não ficasse desconfiado. Até que um belo dia, ela simplesmente se esqueceu de tirar a carta. Quando ela foi checar a caixa de correio o carteiro já tinha passado e recolhido a carta! A mãe de garoto achou que simplesmente iriam jogar a carta fora.

Mas ao invés disso, aconteceu algo que surpreendeu a todos. Na manhã do dia 12 de junho, uma carta sem estampa apareceu na caixa de correio deles. Intrigada, April levou a carta pra casa, e junto de seu filho, abriu. A carta dizia o seguinte:

“Eu estou no Paraíso dos Cachorros                                           

Eu brinco o dia todo, e estou feliz

Obrigado por ser meu amigo

Eu te amo Luke”

Luke e sua mãe ficaram muito felizes com a carta, e ela ainda não faz ideia de quem esteja por trás disso.

Muito tocante, né? E parabéns pra seja lá quem tiver escrito a carta. Atitude exemplar!