Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 07/08/2015
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Amigo Animal

Feras assassinas

A coluna se juntou ao grito de clamor mundial na semana passada contra a “fera assassina” que matou por mero prazer o leão Cecil. Cecil é o mártir da hora para dar nome a movimentos que já existem, claro, mas precisam cada vez mais de popularidade. São os movimentos contra os “assassinatos” de animais selvagens. Nenhuma espécie escapa à sanha assassina do homem. Os elefantes são outras grandes vítimas. Um novo registro de elefantes na Tanzânia revela um "declínio catastrófico", com uma população reduzida pela metade em cinco anos - anunciou nesta terça-feira a ONG Traffic, especializada no monitoramento da vida selvagem.

De acordo com dados do governo da Tanzânia, a população de elefantes no país caiu de 106.051 em 2009 para 43.330 em 2014, números que "mostram um declínio catastrófico" e anunciam "um desastre".

Para o governo, as razões são a caça furtiva para o trafico de marfim.

A Traffic mostrou num relatório de 2013 "uma mudança profunda nas rotas dos traficantes de marfim", observando que o porto tanzaniano de Dar es Salaam e Zanzibar são "os principais pontos de exportação de grandes quantidades de marfim".

As últimas informações recolhidas pelas ONGs indicam que "mais de 45 toneladas de marfim foram exportadas ilegalmente da Tanzânia para os mercados asiáticos". O preço do marfim na China chegou a 2,1 mil dólares em 2014, de acordo com a ONG Save the Elephants e a Fundação Aspinall.

Segundo especialistas reunidos recentemente em Botswana, 470 mil elefantes selvagens estão na África. De acordo com um registro da ONG Elephants Without Borders, os animais podem desaparecer em cerca de vinte anos, caso a caça furtiva continue no mesmo ritmo.

A boa notícia
 Três grandes companhias aéreas norte-americanas baniram o transporte de leões, leopardos, elefantes, rinocerontes e búfalos mortos por caçadores, após a comoção provocada pela morte do leão Cecil no mês passado no Zimbábue.

A American Airlines informou na terça-feira que iria se juntar a Delta Airlines e United Airlines proibindo o transporte de animais conhecidos na África como os "grandes cinco", procurados por caçadores por serem os mais difíceis de se matar a pé.

Houve um repúdio internacional contra a caça entre amantes de animais desde que o dentista norte-americano Walter Palmer matou Cecil, um raro leão de juba escura muito conhecido no Hwange National Park, no Zimbábue.

A Delta Air Lines Inc, única companhia aérea norte-americana que voa diretamente entre os Estados Unidos e Johanesburgo, também revisará as políticas de aceitar outros troféus de caça com agências governamentais e outras organizações que apoiam as transferências legais, informou.

Mesmo antes da morte de Cecil, manifestantes já tinham pedido às grandes companhias de carga que parassem de transportar espécies em risco mortas por caçadores. Definitivamente o mundo não pode mais permitir isto.

***

Flash Pet


Esse é o Fábio, um weimaranner de 11 anos animado e muito bem disposto. Esta foto é na praça da Concha Acústica, quando ele curtia um show de rock com seu tutor, o Francisco Jorge

Aldair levou o chiquérrimo Theo para passear de roda-gigante.  É claro que ele gostou demais

E olha só a brincadeira que José Eurípedes fez colocando o nome em sua gatinha preta de branquinha!!! Ficou legal

***

Saúde Animal

Frio?  À Noite sim!


A médica veterinária Karine Romanel, de Curitiba, colabora hoje com a coluna dando dicas importantes sobre que cuidados especiais a gente deve tomar com os pets nesta época seca e com noites frias. É claro que a temperatura esse ano está atípica, mesmo assim, à noite, esfria. E tem também o cuidado com a alimentação, que nos fala a Karine.

“Como todos nós, os animais sofrem um pouco com o frio do inverno. Quanto menos pêlos ele tiver, maior é a chance de que ele tenha algumas dificuldades para enfrentar essa fase do ano. Por esse motivo, os donos devem ficar muito atentos para garantir a saúde dos animais”, explica.

Quando se trata de cães, os principais problemas de saúde são os relacionados às bronquites, Tosse dos Canis (Gripe Canina) e graves pneumonias. Para evitar esses problemas, o dono deve se certificar se o animal recebeu todas as vacinas necessárias. “Os cães precisam tomar, indispensavelmente, a vacina contra Gripe Canina. Esse é o primeiro passo para um inverno sem problemas”. No caso dos gatos, a vacina essencial é a Quádrupla Felina.

Para completar, a médica veterinária Karine Romanel sugere que os donos de cães e gatos disponibilizem uma alimentação balanceada, baseada em rações de boa qualidade. “O inverno não exige uma mudança na alimentação dos animais, pois eles tendem a comer um pouco mais se acharem necessário. O que eu sempre falo para os donos é que os cães e gatos devem receber alimentos com qualidade comprovada. Isso vale para qualquer estação do ano”, completa a especialista.

***

Dicas de Raça

  Eles sumiram!!!


A raça collie já foi muito mais popular, principalmente nas décadas de 40 e 50, por causa da famosa Lassie, a cadela dessa raça que era a grande estrela dos filmes infantis de Hollywood. Eu cheguei a conhecer uma linda, aqui em Uberaba, que se chamava Rebeca. Mas é impressionante como o tipo de cão também é influenciado pela moda. Na minha opinião é um absurdo, mas acontece. É que deixam de colocar para procriar. Bem, essa questão à parte, o Collie é um cão de guarda com porte médio, de aparência nobre, expressão inteligente, extremamente leal a seus donos e muito gentil com as crianças. Sem dúvida, um verdadeiro sucesso.
Fácil de ser treinada é muito ágil e resistente. Necessita de exercícios e de um espaço razoável dentro de casa. O Collie é um cão de pêlos longos e densos, que devem ser escovados todos os dias.
O Collie pastoreava as ovelhas nas Terras Altas da Escócia, às vezes sem que o pastor o guiasse, sendo capaz de agir por conta própria, tomando decisões, e esse é um dos fatores que o difere de outras raças. São muito afetivos com crianças e muito companheiros. 
Atualmente, a raça não é mais requisitada para o trabalho de pastoreio, apesar de manter como características a inteligência, a robustez e a visão.
O nome original "Coley" pode ser uma derivação da palavra anglo-saxônica, significando "preto", que era possivelmente a cor original da raça ou ainda uma apropriação do nome das ovelhas de cara preta, conhecidas como colleys, que eram pastoreadas pelos cães Collies.
 

***
Pet Aventura

Repetindo o que já se tornou um bordão: ter um pet é uma grande aventura! Ter um pet grande e forte então... Pois é! Quem tem um rottweiler sabe disto. Há um ano pessoas que têm essa raça de cães resolveram formar um grupo para desmistificar as crenças em torno desses cães. São bravos, claro. São animais de muita personalidade. Mas são dóceis e companheiros também. A questão para esse grupo não é a raça, é como se cria. Amanhã às 16 horas eles realização mais um encontro. Desta vez o evento acontece no piscinão e vai comemorar um ano de conquista de respeito e carinho por essa raça de cães.