Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 18/09/2015
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Amigo Animal

“O animal é tão ou mais sábio do que o homem: conhece a medida da sua necessidade, enquanto o homem a ignora.”

DEMÓCRITO

 

Agressividade Canina

Um assunto mal entendido para quem convive com cães é a agressividade canina.

Embora todos tenham várias histórias relacionadas ao fato, é sempre um assunto tabu.
Entre as pessoas que gostam e as que não gostam de cães, existe duas “correntes de pensamento”: uma, que acredita serem os cães, animais perigosíssimos, que devem ser afastados à qualquer custo. Outra, que sabe e acredita que os mesmos são animais inofensivos e que toda a culpa é do dono que não soube educar, ou então incentivou o animal a ser agressivo.

Assim, as pessoas ficam mal informadas e agem de forma errada e claro, os acidentes acontecem mais freqüentemente. O fato de gostar de animais e principalmente de cães, não deve fazer com que as pessoas deixem de perceber alguns aspectos.

A agressividade é uma das primeiras respostas que os cães, seja de que idade forem, apresentam.

Ela é um meio para conseguir, por exemplo, abrigo, comida e parceiros sexuais. Muitas vezes, e principalmente quando é uma luta entre cães do mesmo sexo, a linguagem corporal é suficiente para que haja um vencedor e um vencido.

Imagine o que aconteceria se você se aproximasse de um cão, lhe fizesse uma festa e de repente lhe desse um forte beliscão, torcendo a pele com vontade e força. Ele vai, com certeza morde-lo.

Talvez seja uma mordidela fraca no inicio, se for um animal dócil, mas se o beliscão continuar ele vai apertar cada vez com mais força a sua mão ou braço. Num caso como esse, a que chamamos de mordida, não passa de uma resposta a um estímulo doloroso e tem a clara função de acabar com essa dor desagradável, da maneira mais rápida e eficiente.

Todos os cães reagem agressivamente a uma dor forte.

Morder também tem outras funções.

É comum vermos os nossos animais domésticos apresentando o  comportamento de perseguir e morder alguma coisa que esteja em movimento, mesmo que seja uma bola ou um automóvel. Trata-se ainda do instinto de caça, muito embora eles não precisem mais disto.

Se um cão está encurralado num canto, apavorado e alguém tenta pegar nele, é mais que provável que ele use a agressão para afastar o que lhe parece ser uma ameaça.

Por isso, cães com medo são potenciais mordedores, embora não costumem provocar acidentes mais sérios pois não têm a intenção de magoar, mas sim de afastar as pessoas.

Outro exemplo é de cães que quando estão a dormir, podem se assustar com algo que surja subitamente à sua frente e podem morder apenas como um reflexo de defesa. Enfim, há que existir uma convivência tranqüila entre animais e seus donos, mas nunca desrespeitar. Ficar atento a limites, em todos os sentidos, é sempre necessário.

***

Flash Pet


Fritz é o companheiro do  Ivan De La Roque.  É levadíssimo e tem uma irmã que chama  Ágata que é do netinho do Ivan. Tá em família e claro, como não poderia deixar de ser, há briga entre irmãos

Esse é o Zeus , da Raissa . É um labrador albino dócil , brincalhão e super inteligente .

Essa menina linda é da Viviane, que a mima sempre com banhos e cuidados da Renata. Ele merece, cá pra nós, né?

***

Dicas de Raças

O Elegante Galgo


O galgo da campanha é uma raça brasileira desenvolvida por caçadores no sul do Brasil há mais de meio século. Na década de 1950, caçadores de lebres do interior do Rio Grande do Sul estavam insatisfeitos com o desempenho de seus cães na caça, que não eram velozes e resistentes o suficiente para caçar com destreza estes habilidosos animais.

Após as importações, verificaram que as raças tinham diferentes desempenhos na tarefa da caça à lebres, então resolveram cruzar os cães com as características mais desejáveis na tarefa, os cães oriundos desta miscigenação acabaram se tornando muito populares nos municípios gaúchos próximos a fronteira com o Uruguai, assim como também do outro lado da fronteira.

Estes cães acabaram ficando conhecidos por galgos da campanha, em alusão a região da campanha gaúcha onde tiveram origem.
Cão alto, de aparência esgalgada, mas bem forte se comparado a outros galgos. Músculos longos e marcados, dando grande impressão de força e potência. Também possui uma versão de menor tamanho, conhecida como galguinho da campanha, ou galguinho pampeano.
Normalmente são usados como cães de caça e companhia, são muito populares entre os homens do campo da região da campanha gaúcha, que se utilizam de suas habilidades na caça de lebres e se divertem em competições de corrida de cães. 
 

***

Saúde Animal

Lambendo as feridas

Já que hoje estamos falando sobre agressividade e as confusões provocadas pelo tema, vamos falar sobre as feridas que as mordidas de um cachorro causam em outros cachorros.  São perigosas e sempre uma emergência. Elas geralmente parecem pequenas, mas causam lesões graves e escondidas, como ossos rachados ou quebrados, danos nos órgãos internos e graves danos nas camadas internas do tecido, principalmente em mordidas de cachorros. Além disso, feridas de mordidas são sempre contaminadas e frequentemente infeccionam. Essa não é uma lesão que você pode tratar em casa. A ajuda de um veterinário deve ser procurada imediatamente, ou o mais rápido possível.

Como proceder nestes casos:

-Ponha uma focinheira em seu cachorro antes de tentar movê-lo ou cuidar dele. Não importa quão carinhoso ele é normalmente, ainda pode tentar mordê-lo por causa da dor, do medo ou da confusão.

-Mova seu cachorro da forma mais gentil possível e tente manter o corpo nivelado e bem apoiado. Ele pode ter ossos quebrados ou outras lesões das quais você não sabe. Se possível, use um cobertor ou toalha grossa ou uma tábua para levantar um cachorro maior e colocá-lo dentro de um veículo.

-Se for levar mais de meia hora para levá-lo ao veterinário, limpe as feridas do cachorro com água limpa e peróxido de hidrogênio. Se você puder levá-lo até o veterinário rapidamente, pule esse passo.

Não deixe de procurar um veterinário, mesmo que o animal pareça bem e que a ferida pareça pequena.

-Peça a alguém no local para tentar capturar o cachorro que brigou com o seu. Descubra se ele foi vacinado. O outro animal também deve ver um veterinário imediatamente, se a situação permitir.

Siga as ordens do seu veterinário fielmente. Ele irá prescrever antibióticos e lhe dará instruções para limpar a ferida e trocar os curativos. Como o risco de infecção é muito alto em feridas de mordidas, as instruções devem ser seguidas com muito cuidado.

***

Pet Aventura

Entre paredes


Uma filhote de cachorro foi resgatada por uma equipe de Bombeiros Voluntários de 
Salvador após passar três dias presa entre paredes de duas casas, com diferença de 20 centímentros, no bairro de Plataforma, na capital baiana. O animal não sofreu ferimentos.

As informações são de Emerson França, comandante dos Bombeiros Voluntários da capital. A ação, que durou 2h, foi realizada na noite de terça-feira (15) após denúncia por meio de rede social. O resgate foi feito por volta das 22h. O dono da filhote não foi localizado.

Conforme o comandante, moradores relataram que a cachorrinha teria caído na fenda entre duas paredes após ter se assustado. O animal passou os três dias preso sendo alimentado com comida e água oferecidos pela comunidade.

Durante resgate, França conta que, com o apoio da Polícia Militar, o local precisou ser desobstruído inicialmente para a retirada do filhote. "Lançamos os obstáculos, entre telhas e tijolos, para desobstruir a passagem e resgatamos o animal com o laço de corda", relatou ao G1.

Em seguida, a cadela foi levada por representantes para uma ONG de Proteção ao Animal na cidade de Lauro de Freitas. Os Bombeiros Voluntários atuam por meio da Lei Municipal 8.743/2015. Um resgate é sempre uma grande aventura.