Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 08/01/2016
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Amigo Animal

 “Às vezes me perguntam: Por que investes todo esse tempo e dinheiro falando da amabilidade para com os animais quando existe tanta crueldade com o homem? E eu respondo: Estou trabalhando nas raízes.” George T. Angell

 

Férias! Férias?

Verão, férias, viagem! Nessa época do ano todos querem, e tem o direito, de descansar, tomar um sol e um banho de mar. Mas, proprietários de animais domésticos devem se preocupar com o que deixam para trás na hora de partir. Afinal de contas, abandono e maus-tratos são crimes previstos em lei e se houver flagrante, seu vizinho tem o direito de invadir sua casa, é o que alerta o advogado civil Leonardo Teles Gasparotto. “Todas as vezes que um animal estiver sendo espancado ou mesmo maltratado de outra maneira, acorrentado e/ou sem comida e/ou sem água, sob o frio ou o calor intenso, sendo envenenado ou na iminência de o ser, por exemplo, dentro de um imóvel privado é constitucional e é também legal qualquer pessoa invadir o recinto e salvá-lo, independentemente de autorização judicial ou do respectivo proprietário”, afirma categoricamente o advogado em artigo para o portal jurídico JusBrasil.

A informação pode cair como uma bomba para muitos donos irresponsáveis com seus animais, que os deixam, muitas vezes por dias, semanas ou meses sem alimentação adequada ou suficiente. Não são raros os casos em que denúncias se tornam escândalos na mídia. Mas, se afinal, é permitida a invasão e obrigatório o acompanhamento policial em favor do invasor, muitos poderão se perguntar: com base no quê?
Artigos 150, 301 e 303 do Código de Processo Penal (CPP), prevêem que em caso de flagrante delito decorrente de prática de crime (e maus-tratos a animais é um crime previsto no artigo 32 da Lei 9605/1998, que trata de crimes ambientais) a casa do tutor pode ser, sim, ser invadida a qualquer hora do dia ou da noite para libertação do animal em aflição.
Segundo Gasparotto, o Supremo Tribunal Federal (STF) entende até que “a polícia pode invadir local sem mandado judicial a qualquer hora do dia ou da noite para coletar provas, desde que haja flagrante delito no local” e “estejam presentes razões plausíveis para a tomada dessa medida, devendo ser justificada posteriormente em processo próprio”, afirma.
Nessas situações o invasor que socorreu o animal não poderá sofrer qualquer retaliação policial ou judicial, pois de acordo com o advogado, “agiu em nome da lei para proteger uma vida em perigo de morte”. Mas, para resguardar a segurança jurídica de quem executar o resgate é importante que se filme todo o processo de invasão, registrando com máximo de detalhes e explicando de que modo há crime de mau-trato no estabelecimento em questão.
Por fim, alerta o advogado, exija que seja imediatamente lavrado um boletim de ocorrência policial, “objetivando responsabilizar civil, penal e administrativamente o agente causador do crime contra o bicho acudido”, conclui.

Fonte: Olhar Animal

***

Flash Pet


Pra vocês que soltaram rojões na virada do ano. Especialmente para quem solta foguetes no Natal. Natal é tempo de oração e não de judiação com os bichos, ta?


Presente de Natal: pantufas personalizadas. Sou muito chique, falem a verdade. Mas, afinal de contas, eu mereço!


Pronto, já brincamos muito. Agora feche a porta que vou tomar aquele banho de espumas. Tá com inveja, tá?

***

Saúde Animal

Ração sim, leite não.


Como os mamíferos que são, gatos realmente precisam de leite. Mas isso é somente nas primeiras semanas de vida. Depois de desmamados, o que geralmente ocorre na sexta semana de vida, os gatos mantêm uma alimentação variada que, na natureza, consiste principalmente de roedores. Já quando eles são criados em ambiente doméstico, devem ser alimentados com ração, que possui todos os nutrientes que esses pets precisam e em quantidade perfeitamente balanceada.

Na verdade, o homem é o único mamífero que continua tomando leite quando adulto. O leite que os humanos tomam é de vaca, o qual possui uma constituição bem diferente do leite de gato. Assim, mesmo quando é necessário alimentar gatinhos que foram rejeitados pela mãe, utiliza-se leite felino, apropriado ao organismo desses pets.

Dentre as principais diferenças entre o leite de vaca e o de gata é que o primeiro é rico em lactose. E é aí que está o problema: a maioria dos gatos é intolerante à lactose, que essencialmente é o açúcar do leite. Assim, o organismo felino não consegue produzir as enzimas adequadas para a digestão desse açúcar, o que acaba gerando fermentação e consequentemente o acúmulo de gases, dor e até diarréia nos bichanos. Em cães também, normalmente.

Não se esqueça: a melhor alimentação para o seu gato é uma ração de qualidade e água. E se você quer mais informações e curiosidades do mundo dos animais de estimação.

Matéria revisada por um profissional veterinário da Equipe AgendaPet.

***

Dicas de Raça

O gato pelado


Até a bem pouco tempo essa raça de gatos sem pêlo era desconhecida por aqui. Como tudo, parece que está virando moda. Mas animal, lembro mais uma vez, não é moda. É vida!!!

O Sphynx  é uma raça de gato que tem uma aparência bem diferente do que as pessoas estão acostumadas a ver. Com um visual “pelado”, ele também se destaca pelo temperamento amável. Conhecida ainda como Pelado Canadense, a raça Sphynx é reconhecida internacionalmente desde 1998.

Sphynx, tal qual conhecemos hoje em dia, foi desenvolvido a partir de 1975 quando os agricultores Milt e Ethelyn Pearson descobriram um gatinho sem pelos numa ninhada da sua gata, que tinha uma pelagem absolutamente normal. Este gatinho acasalou com outro exemplar sem pelos, e foram vendidos a uma criadora do Oregon, Kim Mueske, que utilizou-se desses dois exemplares para criar a nova raça.

Em Fevereiro de 1998, o registo do Sphynx foi aceito pela CFA, o que impulsionou consideravelmente a criação da raça. Em 2000, 120 gatos da raça Sphynx estavam inscritos na associação, o que lhe garantia o 33º lugar entre 40 raças reconhecidas oficialmente.

Sphynx é um gato muito afetuoso e pode até mesmo ser considerado ciumento e possessivo, muito apegado ao seu dono. É um gato de temperamento vivaz, sociável, muito inteligente, enérgico, brincalhão, nunca agressivo e adora ser mimado. Quando o dono chega em casa procura imediatamente a sua companhia e recebe-o com demonstrações de carinho e muita brincadeira.

O comportamento do Sphynx é admirável, chegando ao ponto de eleger um dono ao qual se dedicará até o fim de sua vida. A ausência de bigodes, o torna muito desajeitado, às vezes não consegue subir em lugares altos, se desequilibrando facilmente. De acordo com o standard francês, o Sphynx é macaco, cão, criança e gato misturados. Ou seja, gostam de acrobacias, são leais e seguem os humanos para todo o lado, de cauda levantada e felizes da vida. Estão sempre requisitando a atenção dos donos.

***