Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 18/03/2016
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Amigo Animal

“O sofrimento, nos animais, é um trabalho de evolução para o princípio de vida que existe neles; adquirem por esse modo os primeiros rudimentos de consciência.”Leon Denis

 

190 - esse número também salva vidas!

Essa é uma matéria assinada por Vanessa Isabel Leal Salvador Bizinotto
, estudante de Medicina Veterinária da UNIUBE e assessora de marketing do GEAS-UNIUBE. Ela também coordena o Projeto Mini-Vet. Vanessa empresta seu nome à coluna para falar desse importante tema que envolve animais silvestres.

“Motorista encontra cobra no capô da caminhonete”; “Polícia é chamada para tirar tamanduá de estação de ônibus”; “Dona de casa abre a porta e encontra filhote de suçuarana na garagem de casa”; “Garoto soltando pipa com linha de cerol corta asa de Periquito-maracanã”. Notícias como estas estão se tornando cada vez mais comuns. O crescimento das cidades está tomando a casa dos animais, e, à procura de comida e abrigo, eles estão vindo morar em nossas casas. O que você faria se fizesse parte dessas notícias?

A resposta deveria ser de conhecimento geral: não faça nada com o animal e contate profissionais para resgatá-lo.

Em qualquer uma das notícias, o certo a se fazer seria contatar a polícia ambiental (190) ou os bombeiros (193), que são profissionais extremamente capacitados para agirem em qualquer uma dessas situações. Eles possuem treinamentos para evitar ataques, capturar o animal sem machucá-lo, destiná-lo para exames veterinários rápidos para confirmar se não há algum ferimento, e levá-lo para soltura em um local seguro e afastado da cidade.

Ao se deparar com qualquer animal desconhecido, várias pessoas tentam espantá-los, e até mesmo matá-los. Gambás órfãos estão chegando ao Hospital Veterinário de Uberaba porque suas mães foram mortas à vassouradas e pontapés; urubus precisam de atendimento médico após serem agredidos por pessoas enquanto se alimentavam; filhotes de coruja necessitam de curativos em suas patas após caírem de ninho e serem atacadas por um cachorro que estava passeando com seu dono. Isso é rotina para um Médico Veterinário de animais silvestres.

Não é culpa desses animais estarem vindo para cidade, e muito menos uma escolha. Com toda certeza, todos esses bichinhos se sentem mais seguros longe do território urbano, mas com os desmatamentos para construção de novos prédios, rodovias, plantações e outras estruturas para humanos, eles ficam sem um lugar para morar. E para onde mais iriam?

Por mais difícil que seja manter a calma ao se deparar com um animal silvestre, ou, em alguns casos, se conter para não adotá-lo (fato bem comum entre pessoas que resgatam maritacas e papagaios), o certo é comunicar autoridades para que eles voltem à natureza.

Filhotes órfãos raramente sobrevivem, machucados graves quase nunca são cicatrizados e os animais silvestres adotados normalmente não recebem alimentação e ambiente adequados para viverem.  Além disso, todos eles têm um papel importante na natureza.

Trabalhe pela preservação da natureza para que os animais silvestres possam viver em seu ambiente natural. Tenha certeza de que será sempre melhor para eles que você os veja ao fazer trilhas ou ao acampar, do que na casa de alguém, no zoológico ou empalhado em um museu como um animal extinto.”

***

Flash Pet

...e quem pensa que eles não são eternizados em pinturas, como os "retratos" que a gente vê de pessoas? Sim eles podem e são belos modelos para aquarelas. Formosura é que não falta. Achei lindo esse trabalho (da página Art People Gallery) publicado por um amigo carioca em sua página do face. E aí a homenagem, aos pets e aos artistas plásticos das aquarelas. Para fazer a coluna ficar mais bonita, além de informativa.
  


***

Saúde Animal

Indigestão em cães


Quando um cão vomita ou fica em posições estranhas, pode ser que esteja sofrendo de indigestão. A 
indigestão em cães ocorre quando o alimento fica mais tempo do que o normal em seu intestino, isto lhe produz alguns incômodos no estômago que fazem com que seu animal se sinta fraco e com náuseas.

Vejamos o que fazer para ajudá-lo nesses casos:

Se seu cachorro vomitou por causa de uma indigestão, o primeiro a fazer é não dar comida a ele até que tenham passado 12 horas do vômito. O motivo é que se ele voltar a comer é bastante provável que o cachorro volte a expulsar a comida, portanto, é melhor deixar que ele descanse o estômago e que se sinta melhor.

Após as 12 horas você deverá dar-lhe comida, mas de forma progressiva, isto é, comece dando só 1/8 da quantidade habitual e depois vá aumentando a quantidade à medida que passam os dias. Ao terceiro dia, seu cão já poderá voltar a comer normalmente.

 Você também deve tratar a indigestão em cães através da hidratação. Quando um cachorro tem indigestão é importante aumentar a quantidade de água que ele toma habitualmente. Quando o animal vomita ou tem diarréia, perde muita água e, por isso, é importante prestar mais atenção na hidratação de seu cão.

No entanto, você deve ter em conta que as doses de água devem ser dadas aos poucos, porque se ele beber uma grande quantidade de água de uma vez é muito provável que volte a vomitar. O segredo está em dar muita água a ele, mas de forma progressiva ao longo do dia.

***

Pet Aventura

Três histórias


Felizmente a mídia, de um modo geral, tem revelado atitudes voluntárias,  individuais ou de grupos de pessoas, que provam que existem pessoas bacanas, generosas e dignas, sempre dispostas a ajudar animais em situações que configuram verdadeira aventura. Na terça-feira, dia 15, um filhote de cachorro foi resgatado após entrar embaixo do asfalto em uma rua de São José, na Grande Florianópolis.  O trabalho de resgate durou cerca de três horas e meia durante a madrugada. Suspeita-se que o animal, de aproximadamente 45 dias, tenha parado debaixo do asfalto através de uma tubulação. Moradores acionaram o Corpo de Bombeiros , que fez o resgate.

Já em Uberlândia, um cão foi encontrado amarrado em uma árvore na segunda-feira, no bairro Santa Mônica, com sinais de maus-tratos, sem água e sem comida. A Polícia Militar do Meio Ambiente chegou ao local após denúncia. Foi feito registro de ocorrência e diligências na região, mas não foi encontrado o autor. Uma moradora do bairro ficou com a guarda provisória do cão. Vale ressaltar que o sargento Eduardo Venâncio explicou que maus - tratos configura crime previsto na Lei dos Crimes Ambientais.

Em Goiás, na região de Valparaíso, moradores se sensibilizaram com a situação de um cachorro que ficou preso em uma grande erosão próximo a BR-040. O animal de grande porte estava no local há três dias, sem se alimentar e bebendo água de chuva. Também o corpo de Bombeiros foi acionado que, usando técnica de rapel, resgatou o animal. O cachorro ficou aos cuidados de trabalhadores que estão construindo uma feira na região. Esperamos que depois encontre um lar.

A atitude de pessoas em chamar profissionais especializados para o resgate, tanto quanto o trabalho em si de resgate, feito por esses profissionais, são exemplares. São Francisco de Assis, sem dúvida, está feliz.

***