Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Amigo Animal

ACESSIBILIDADE: A A A A
Marcos Moreno 09/09/2016
Marcos Moreno
kikitomoreno@terra.com.br
Amigo Animal

“Os cães felizes gozam de boas relações com seus donos, tratadores e outros animais da casa. Quando um membro humano da família ou animal morre, ou mesmo se ausenta por um tempo prolongado, todos experimentam uma sensação de tristeza, inclusive o cão.”- Andrea Mc Hugh

 

Lei que cria a Delegacia Eletrônica de Proteção Animal é sancionada

Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin sancionou projeto de lei de autoria do deputado Feliciano Filho, que cria a DEPA

Depois de ser aprovado na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, o projeto de lei 91/2016 de autoria do deputado Feliciano Filho (PSC-SP), que cria a Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (DEPA), agora é lei.
Após várias manifestações nas redes sociais de protetores que esperaram ansiosamente pelo veredicto final, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sancionou na noite de ontem (06) a DEPA, uma lei que proporcionará agilidade nas denúncias e nas averiguações de crimes contra animais.
“Foi com muita alegria que recebi a notícia. A DEPA cumpre o papel do Estado de proteger nossa fauna e os nossos animais, que merecem respeito e um tratamento digno. Quem maltrata, fere ou mata um animal deve ser punido,” ressaltou o deputado Feliciano Filho, autor da matéria que agora virou lei.
A DEPA é um portal dentro do site da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, ligado às Polícias Civil e Militar, no qual qualquer pessoa poderá fazer denúncias de maus-tratos a animais, inclusive postando fotos e vídeos. Ela criará um canal único no âmbito estadual que fará a distribuição online das ocorrências diretamente às delegacias mais próximas do local dos fatos. Após completada a denúncia, a Secretaria de Segurança Pública terá até 10 dias para entrar em contato com o denunciante informando o andamento da apuração.

De acordo com o parlamentar, o portal também servirá para traçar um mapa estadual da criminalidade contra os animais, elaborando diretrizes para coibir os maus-tratos, punindo de modo exemplar quem comete esses crimes, contribuindo assim, para a diminuição da impunidade. "As estatísticas de onde estão ocorrendo os maus-tratos e os crimes servirão para direcionar a implantação de políticas públicas de conscientização, castração e identificação de animais no Estado de São Paulo,” afirmou Feliciano.

Conheça a lei no link: http://felicianofilho.com.br/leis/projeto-de-lei-no-91-de-2016-dispoe-sobre-a-criacao-da-delegacia-eletronica-de-protecao-animal-depa-no-estado-de-sao-paulo-e-da-outras-providencias/

 

Flash Pet

Os acessórios tomaram conta mesmo do universo pet. Aqui estão mais alguns modelos para ser conferidos. Nada que atrapalhe, mas dá um charme. O que se deve fazer é pensar que eles são gente e que têm vaidade. Sentem ciúmes, fazem manhã, mas ainda preferem o conforto à aparência. Então, toda moda tem que ser adequada. Nada de exagero.

  

***

Saúde Animal


Para acelerar a recuperação dos animais e, de quebra, diferenciarem-se da concorrência, dois hospitais veterinários apostam na "suíte do acompanhante". Os donos podem ficar perto do bicho que está em tratamento, com direito a sofá-cama ou poltrona reclinável, banheiro privativo, TV, frigobar, ar condicionado e até pensão completa, dependendo do pacote.

O serviço é oferecido no hospital Sena Madureira, em São Paulo, e no Pronto Socorro Veterinário (PSV), em Uberlândia. A diária custa a partir de R$ 400, na cidade mineira, e a partir de R$ 1.080, na capital paulista.

"É muito semelhante a um quarto de hospital humano. O objetivo é dar conforto e tranquilidade ao animal e ao dono", afirma o veterinário Mário Marcondes dos Santos, diretor clínico do hospital Sena Madureira. A ala para internação com acompanhante foi criada há quatro anos.

"O carinho faz toda diferença no tratamento. O animal fica mais tranquilo e o dono também", diz a veterinária Ana Paula Buiati, uma das donas do PSV. Se o animal precisa receber remédio por meio de soro, por exemplo, ele pode ficar no colo do dono.

O PSV inaugurou o serviço há um ano. "Temos quatro hospitais 24 horas [na cidade e na região] e nós queríamos nos diferenciar pelo atendimento, cuidado e qualidade no serviço prestado. A internação foi uma ótima aposta", diz Ana Paula.

A internação pode ser usada 24 horas por dia ou durante meio período, todos os dias da semana. O serviço é mais indicado para cães, segundo Marcondes, devido à personalidade do animal, que costuma ser mais próximo da família. "O gato é um animal mais independente, não sente o estresse de estar longe dos tutores", diz.

Esse tipo de internação, segundo os dois veterinários, só é contraindicado para animais com doenças contagiosas ou que estejam em estado grave de saúde e que precisam ser encaminhados para UTI.

Além do quarto para acompanhante, o hospital construiu também uma capela. "Muitas pessoas ficam fragilizadas com a doença do animal e buscam conforto na oração. O nosso objetivo foi criar um ambiente acolhedor seja qual for a religião."

***

Pet Aventura

Salvos pelo gongo


Aquele gongo oriental!!! Eles são muito fofos e acabam de ser salvos da extinção. Os pandas gigantes foram retirados da lista de espécies ameaçadas em grande parte por causa do esforço dos ambientalistas chineses.

Mas como conseguiram essa façanha? O bambu, principal fonte de alimentação dos pandas, é a principal resposta.
Ícone nacional chinês, o panda habitava todo sul e leste da China. Diante da expansão urbana e do desenvolvimento, a população dos pandas ficou limitada às poucas áreas que mantiveram florestas de bambu.
Há anos a China vem tentando aumentar a população do panda gigante. A solução veio depois dos bem sucedidos esforços para recriar as florestas de bambu.
O bambu corresponde a 99% da alimentação dos pandas. Sem ele, aumentam os riscos de os ursos morrerem de forme.
Pandas precisam comer de 12 quilos a 38 quilos de bambu por dia para manter o corpo funcionando.
Estima-se que atualmente existam 2.060 pandas, dos quais 1.864 são adultos. O número foi suficiente para que o mamífero, até então "espécie ameaçada", tivesse seu status mudado para "espécie vulnerável" na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza.
"É tudo sobre como restaurar o habitat. Ao restaurar, é dado de volta o espaço e haverá comida disponível", disse  Craig Hilton-Taylor, responsável pela lista vermelha da entidade.
No entanto, esse aparente sucesso pode ter curta duração.
O aquecimento global pode acabar com mais de um terço do habitat de bambu do panda nos próximos 80 anos.
"Com as mudanças climáticas, vai ficar quente demais para o bambu crescer", explicou Hilton-Taylor.
"Sem bambu, o futuro não é muito promissor para eles", disse Hilton-Taylor.
Muitos zoológicos e unidades de conservação têm apostado na reprodução de pandas gigantes em cativeiro, às vezes usando métodos de inseminação artificial.
Foi o caso dos bebês gêmeos de panda gigante que nasceram recentemente em um zoológico de Atlanta, nos EUA. A mãe dos bebês tinha sido inseminada artificialmente.
"Ter animais em cativeiro é como uma apólice de seguro", avaliou Hilton-Taylor. "Mas você não quer mantê-los em cativeiro para sempre", emendou.
O objetivo final da maioria dos programas de reprodução em cativeiro é levar os animais de volta à natureza. A adaptação fora das grades, contudo, nem sempre é fácil ou possível.
O panda não foi o único animal a sair da categoria "em extinção" na lista da União Internacional para a Conservação da Natureza. Graças ao esforço de ambientalistas, o antílope tibetano também viu sua população crescer.
Ainda assim, os pandas se transformaram em ícones das iniciativas para a proteção animal.