Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 23/02/2014
Bastidores
Bastidores
Bastidores

Nem São José escapa

Entre os prêmios doados pela comunidade para a Festa de São José – da paróquia do bairro Gameleira 2, está nada mais, nada menos do que um fuscão preto. O bingo, que vai sortear o exótico veículo, acontece dia 22 de março, às 20h, no salão da igreja – praça Pio XII, 28. Ah, sim! A colunista ia até esquecendo do principal: a festa será de 7 a 22 de março, com quermesse, missas, terços, procissão...

Pimenta nos olhos 
dos outros é refresco

Ex-assessores do ex-prefeito Anderson Adauto (PRB) esqueceram que foi no apagar das luzes do governo ao qual eles pertenciam, que houve o último reajuste da tarifa do transporte coletivo urbano de Uberaba. E estão criticando, na rede social, a isenção de tributos para as concessionárias, concedida pelo atual prefeito, Paulo Piau (PMDB), para não ter que promover novo aumento.

Briga feia
E apesar da redução dos tributos ter ficado abaixo do que pediam as empresas, o importante é que a população mais carente sai beneficiada. Os diretores da Piracicabana e da Itamarati – que adquiriu a ex-Líder, não ficaram nada satisfeitos com a decisão de se manter a tarifa em R$ 2,80, em vez de se chegar pelo menos perto dos R$3,44 solicitados. A pendenga entre as partes teria fervilhado – segundo as más línguas, e as boas também. 

Casa nova
E agora vem aí, sessão extraordinária na Câmara Municipal – convocada pelo próprio Executivo, para a votação, em plenário, da redução de tributos para as concessionárias. Reunião está prevista para quinta-feira, dia 27, e portanto, um dia depois da inauguração do plenário reformado – e “ilustrado” com as caríssimas e polêmicas poltronas recém-adquiridas pela Casa.

A luta continua
Já o presidente da Associação dos Usuários de Transporte Coletivo – Acobe, José Tiago de Castro, apesar de comemorar o não reajuste da tarifa, não está totalmente satisfeito. Ele quer a tarifa a R$ 2; gratuidade para os estudantes e isenção para todos os maiores de 60 anos de idade, e não apenas para os maiores de 65, como acontece atualmente...

Recordações
Pelo jeito o encrencado processo político de 2012 continua povoando muitos sentimentos, pensamentos e comportamentos por aí...Que o diga a escolha do engenheiro/vice-presidente do Instituto de Desenvolvimento Integrado – INDI/MG, Maurício Cecílio, para presidir o PSDB do governador Antonio Anastasia, do senador Aécio Neves, e de toda a tucanada de alta plumagem mineira.

Dívida
Vão contestar...Mas, fica evidente que a alta plumagem ainda se sente em dívida com Maurício Cecílio, que foi colocado pra escanteio na disputa de prefeito em 2012, para que o PSDB pudesse apoiar a candidatura do deputado estadual Antônio Lerin, do PSB, com quem a turma de Aécio já antecipava negociações para as eleições de 2014.

Renúncia
A situação ficou tão complicada que, em abril de 2012, Maurício Cecílio foi o primeiro – entre 21 pré-candidatos a prefeito de Uberaba, a jogar a toalha. Em carta aberta ao então presidente do PSDB/Uberaba, Luiz Cláudio Campos, o ex-pré-candidato disse textualmente, que tentou, “ao longo das últimas semanas, insistir na construção de um ambiente em que meu nome pudesse ser apreciado e cogitado pelo conjunto de forças que dá sustentação ao governo Anastasia”.

Resgate
Hoje, os mesmos que lançaram a pré-candidatura de Maurício e depois o trocaram por Lerin, estão anunciando seu nome para presidente do PSDB/Uberaba. O partido está sem comando desde o ano passado, e a alta plumagem mineira chegou a articular a eleição de um diretório, que agora se descarta. O então presidente, Luiz Cláudio Campos, fica com a secretaria-geral da nova comissão executiva provisória – ainda não oficializada na Justiça Eleitoral.

Painel
Advogado, escritor, historiador e leitor/eleitor de qualidade, o uberabense Guido Bilharinho ganhou destaque inédito no site do maior jornal do país: a Folha de S.Paulo. Motivo foi seu comentário no Painel do Leitor, a respeito do editorial/opinião do jornal “Vícios parlamentares”, publicado dia 18 de fevereiro. Declaração de Bilharinho ganhou, inclusive, um título em letras garrafais: “Políticos são os únicos que pagam para atingir função pública”, diz advogado.

Destaque
Argumenta ele, sobre o editorial da Folha de S.Paulo:
_ “O editorial “Vícios parlamentares” enfoca e critica – com toda a razão – as mordomias parlamentares. Contudo, não menciona nem analisa que os políticos são os únicos cidadãos que pagam para atingir função pública, seja com dinheiro próprio, seja pleiteando contribuição de empresas e empresários, com os quais se comprometem. E ainda há pessoas contrárias à criação do fundo público eleitoral gerido e aplicado pela Justiça, com proibição de gastos por candidatos e partidos.”