Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 26/06/2014
Bastidores
Bastidores
Bastidores

115 ANOS DEPOIS - Em Abril de 2012, Enerson Cleiton fez imagem do prédio do extinto Lavoura&Comércio poucas horas antes da demolição; ontem, Nayce StudioFoto clicou, a pedido de Bastidores, as obras de edificação do novo imóvel – com a preservação de parte da fachada centenária, conforme compromisso do empresário Carlos Sabbag com o Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba

Melhor a emenda...
Ao contrário do que se esperava, ficou melhor a emenda do que o soneto ... Este é o caso do imóvel do extinto jornal Lavoura&Comércio, na rua Vigário Silva, ali pertinho da praça Rui Barbosa. Pintada de novo, a fachada atrai a curiosidade de quem passa pelo local e dá uma pardinha pra conferir o rítmo acelerado de obras.

A fachada
É claro que a preservação passa longe da perfeição – ou do ideal defendido pelo Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba, mas, venhamos e convenhamos: o empresário uberlandense Carlos Sabbag, que arrematou o prédio em leilão, manteve boa parte da fachada centenária/histórica. Cumpriu assim, seu compromisso com o Conphau.

A história
Fundado dia 6 de Julho de 1899, o jornal circulou quase que ininterruptamente – com raras exceções, até 27 de Outubro de 2003. Foram, portanto, 104 anos de atividades, que somariam hoje, 115 anos se não tivesse sido extinto. O Lavoura&Comércio nasceu em defesa dos pequenos, médios e grandes produtores rurais, com mais de 50 matérias, praticamente todas elas relacionadas ao assunto.

Quem deu mais
 O imóvel centenário foi arrematado, através de leilão, em A     gosto de 2011, pelo empresário uberlandense Carlos Sabbag, por R$ 1,7 milhão. O prédio tinha oito cômodos, onde funcionaram as oficinas e redação do jornal, e segundo o inventário feito pelo Conphau em 1987, o estilo da construção era “eclético”. O edifício foi inventariado, mas não chegou a ser tombado, o que permitiu sua venda. Vale lembrar que o resultado da venda visava ao pagamento de dívidas, principalmente com os ex-funcionários.

Novo morador
Vale ressaltar que, ao ser arrematado, o prédio já teria destinação definida.  Sua edificação seguiria os padrões dos imóveis que abrigam as Lojas Americanas... A empresa, por sinal, fez uma tentativa, por escrito, de tentar derrubar o acordo de preservação da fachada, mas o Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba negou a solicitação, por unanimidade.

Inauguração
Desde Maio de 2012, o terreno estava vago, cercado por um portão (chegou a ser cercado por arame farpado), e à espera das obras de um novo imóvel. Ontem, fonte de Bastidores garantia que as obras – que estão a pleno vapor, serão concluídas dia 5 de Julho, e que a inauguração da unidade das Lojas Americanas deve acontecer em Agosto ou Setembro.

Enredo...
Se tornar enredo de uma escola de samba fosse ruim, nos últimos 15 anos do carnaval carioca, não teríamos 16 cidades pagando para ter sua história contada e cantada  por uma agremiação carnavalesca. A reflexão foi enviada à coluna Bastidores pelo professor Robert Mori, se referindo às críticas contra o anúncio do prefeito Paulo Piau (PMDB), de que Uberaba deve ser enredo da Escola de Samba Grande Rio em 2015.

Se é pra comparar...
Para os que andam dizendo no Facebook que, “se a ideia fosse boa, Uberlândia teria emplacado um enredo”, o professor alerta sobre a necessidade de se pesquisar antes de dar palpites. Ressalta que Uberlândia foi enredo no carnaval de 2002, em São Paulo, pela Acadêmicos do Tucuruvi.

A lista
Fazendo questão de dizer que não conhece o prefeito Paulo Piau pessoalmente – e nem é “amigo” dele no Facebook, Robert Mori relaciona as cidades que pagaram para serem lembradas no Rio de Janeiro: Grande Rio 2014 (Maricá); Beija-Flor 2012 (São Luís);
Mangueira 2013 (Cuiabá); Grande Rio 2011 (Florianópolis); Beija-Flor 2010 (Brasília);
Beija-Flor 2008 (Macapá); Grande Rio 2008 (Coarí); Mangueira 2008 (Recife); Beija-Flor 2006 (Poços de Caldas); Beija-Flor 2004 (Manaus); Imperatriz 2002 (Campos dos Goitacazes); Porto da Pedra 2002 (Petrópolis); Caprichosos 2002 (Porto Alegre); São Clemente 2002 (Guapimirim); Beija-Flor 1999 (Araxá); Vila Isabel 1999 (João Pessoa).