Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 05/12/2014
Bastidores
Bastidores
Bastidores

XÔ, ESTÁTUA! – Ninguém duvide que uma das primeiras ações do vereador Luiz Dutra (SD), ao assumir a presidência da Câmara, em janeiro de 2015, será providenciar a transferência da estátua do fundador de Uberaba, major Eustáquio, para um local apropriado. Dutra já deixou claro que não se conforma com a estátua colocada bem em frente ao prédio da Câmara, e, de quebra, atrapalhando a rampa de acessibilidade. Na opinião do presidente eleito, e de 110% dos uberabenses, o lugar adequado seria no centro da praça Rui Barbosa. (As fotos que mostram as faixas de pedestres recém-pintadas na praça, e a estátua, são do espertíssimo Enerson Cleiton)

 

Reação

Notas publicadas nesta coluna, na edição de 26 de novembro, sobre o trânsito de Uberaba, provocou reação de um leitor – que diz ter sido um dos que manifestaram no Facebook e foram criticados neste espaço. “Meu nome é Christiano Miguel, sou psicoterapeuta... e deixo claro desde já, que não simpatizo com partido político nenhum, não sou filiado, e nem primo por bons governos”, afirma ele.

 

Exageros

(Recapitulando)

Na oportunidade, a coluna considerou “absurdamente exagerados alguns comentários de frequentadores do Facebook a respeito das mudanças no trânsito”, demonstrando que “tem gente precisando arrumar serviço ou um psicólogo... já que teve até quem falasse em abaixo-assinado pra protocolar denúncia no Ministério Público”...

 

Preocupação

De acordo com o leitor, a preocupação “é com minha segurança e das minhas filhas; minha reclamação não é pelo incômodo de atravessar a avenida, por que pedestre tem que atravessar na faixa; mas essas grades atrapalham a visão nos cruzamentos das nossas avenidas colocando em risco nossas vidas e as dos nossos entes queridos”...

 

Riscos

Segundo ele, “a visão ficou impossível e sempre depois da zero hora os sinais ficam intermitentes, causando ainda mais medo na travessia, pois é impossível vermos o outro lado da avenida”. E revela que, recentemente, quase colidiu com um automóvel que vinha em alta velocidade”.

 

A César o que é de César...

Na edição de 26 de novembro, a colunista concordou que algumas reclamações têm razão de ser! É o caso de quem se queixa da falta de faixas de pedestres e outras indicações... Alegação dos técnicos é de que a chuva impediu as pinturas no asfalto... Pois então, que se esperasse o tempo melhorar pra implantar as mudanças... Agora, o jeito é ter paciência com os reclamantes!

 

Emoções

Quem acompanhou o “Natal em Canto e Luz” na noite de quarta-feira, na praça Magalhães Pinto, ainda não conseguiu se recuperar. Foi uma emoção atrás da outra, com chororô a torto e a direito, de mamando a caducando! Não dá pra saber se o pessoal chorou mais por causa da apresentação das crianças ou se, pela apresentação dos artistas adultos... Parceria da Polícia Militar e da Prefeitura de Uberaba/Fundação Cultural.

 

Perdas e danos

E vale ressaltar que, entre os artistas que se apresentaram no “Natal em Canto e Luz” tem quem precise ser professor pra sobreviver, já que a música não tem permitido isso, por si só... Nada contra a função de professor! Pelo contrário: é a mais nobre de todas! Problema é que, se tivessem patrocínios, estes artistas maravilhosos estariam aprimorando suas técnicas e correndo atrás de oportunidades.

 

Mais emoções

E por falar em emoções, dia 9, terça-feira, às 18h30, tem Cantada de Natal no Mário Palmério Hospital Universitário – da Universidade de Uberaba. Apresentação ficará a cargo do elogiadíssimo Coral do Colégio Marista Diocesano.

 

Mais emoções ainda...

Por sinal, a turma do Coral Canta Marista fará apresentações dia 10, às 18h, na Capela do Colégio; dia 11, às 17h30, no Fórum Melo Viana; dia 18, após a missa das 19h, na Catedral Metropolitana

 

XÔ, MAQUIAGEM! - Página do deputado federal reeleito e majoritário de Uberaba, Marcos Montes, no Facebook, informa que ele votou contra o polêmico projeto que altera a forma de cálculo do superávit primário de 2014. A sessão foi marcada por protestos, durou 19 horas, atravessou madrugada adentro, e foi um “Deus nos acuda” entre oposição e situação. No final, o Congresso acabou aprovando a mudança. “Não vou fazer oposição sistemática e raivosa, mas não vou votar a favor do que não é de interesse da Nação” – afirmou Marcos Montes, cujo partido – o PSD, trabalhou a favor do governo. Para MM, a mudança é uma forma de “maquiar” os gastos excessivos que o governo federal fez para ganhar as eleições em 2014.