Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 02/01/2015
Bastidores
Bastidores
Bastidores

O 1º bebê - Iago - nome escolhido pela mãe, nasceu às 5h12 do dia 12 de março de 2014, pesando 3,150 Kg, e pré-inaugurando o Mário Palmério Hospital Universitário, da Universidade de Uberaba. O HU/Uniube só foi inaugurado oficialmente dia 17, mas os pacientes do hospital antigo tinham sido transferidos com antecedência, entre eles, Lúcia de Fátima Braga, de Unaí/MG, que deu entrada  no pronto-atendimento da unidade antiga, e chegou à nova estrutura da Uniube em trabalho de parto. Estavam de plantão no novo hospital, dia 12 de março de 2014, as enfermeiras Mara Rosa e Helena Cristina Silveira Dantas, e os médicos João de Almeida (pediatra), Mário Sérgio Caetano e Luciano Eliziario

 

Retrô 2014

(Parte 3)

A colunista de Bastidores e do blog Conta-Gotas...Notícias divulga a terceira parte da retrospectiva do ano que está nos seus finalmentes. Em pauta, algumas notícias divulgadas com exclusividade/primeira mão.

 

Abrindo mão

Da Bahia – onde coordenava o plantio de milho em fazenda da família, o herdeiro do clã Palmério, que inclui a Universidade de Uberaba/Uniube e a veia política do pai, Marcelo Palmério, conversou via Internet com a colunista, quando antecipou que não pretendia ser reconduzido à presidência do PMDB. “A renovação é princípio fundamental da democracia” – pregou Eduardo Palmério, cujo mandato terminaria dia 2 de fevereiro de 2014. Eduardo, que presidia o PMDB, realmente se afastou. Assumiu o deputado estadual Tony Carlos.

 

Reviravolta

Após um amplo recadastramento – com o cancelamento de todas as fichas e um recomeço polêmico, o Partido do Movimento Democrático Brasileiro/PMDB atropelou outras 31 legendas e saltou para a liderança do ranking das filiações em Uberaba. Desde 2005, o Democratas/DEM – na época Partido da Frente Liberal/PFL, reinou absoluto na primeira colocação.

A virada

Desde que tomou posse em janeiro de 2013, o atual prefeito – Paulo Piau, entrou de cabeça no fortalecimento do seu partido. E extraoficialmente, desde a posse, o prefeito e outras lideranças do partido, incluindo o ex-vereador e hoje deputado estadual Tony Carlos, já comemoravam o crescimento que ganhava corpo.

Reparação – João Eurípedes Sabino é cidadão uberabense dos mais antenados e bairristas

 

Reparação

A colunista revelou que o então presidente da Câmara de Uberaba, vereador Elmar Goulart, recebera correspondência inusitada do presidente do Fórum Permanente dos Articulistas de Uberaba e Região, membro da Academia de Letras do Triângulo Mineiro, engenheiro e perito João Eurípedes Sabino. Ele propôs que a Câmara – 126 anos depois, promova uma reparação histórica.

Abolição ignorada

Em pauta, nada menos do que o fato de a Câmara de Uberaba ter ignorado totalmente um dos fatos históricos mais importantes do país: a abolição da escravatura, ocorrida em 13 de maio de 1888. “Os nobres vereadores da época, não se dignaram a falar em plenário uma única palavra sequer, sobre o assunto” – justificou João Eurípedes, explicando que as atas das reuniões, que se encontram no Arquivo Público de Uberaba, comprovam o fato.

 

Multa histórica

Bastidores e Conta-Gotas...Notícias informaram que, através de um Termo de Ajuste de Conduta/TAC, foi acertado entre as duas partes, que a proprietária de residência localizada na rua Vigário Silva, nº 143, esquina com a rua Segismundo Mendes, teria que pagar uma multa de R$ 200 mil ao Fundo do Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba/Funphau.

Art déco

Inventariada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais/Iepha, a casa passou por reforma sem que o Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba/Conphau fosse consultado a respeito. E pior: para os conselheiros, houve danos causados ao bem protegido pelo patrimônio público. A reforma – na avaliação do Conphau, descaracterizou o bem inventariado em 1987.

 

(In)fidelidade

A colunista revelou, em primeira mão, que o então presidente da Câmara havia se livrado de uma dor de cabeça. Foi inocentado da acusação de infidelidade partidária proposta pelo Partido Social Liberal/PSL – sua antiga legenda. Juiz relator do processo no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais/TRE-MG, Wladimir Rodrigues Dias, entendeu que, ao se filiar ao Solidariedade/SD, Elmar Goulart se encaixava na justa causa, prerrogativa prevista para os casos em que um detentor de mandato deixa o partido pelo qual se elegeu para se filiar a uma sigla recém-criada.