Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 04/10/2016
Bastidores
Bastidores
Bastidores

Essa vitória é de Piau

Se na eleição anterior Paulo Piau foi obrigado a fazer muitas alianças para vencer no segundo turno, nesta foi diferente. Sua estrondosa vitória pertence a ele mesmo. Paulo soube com ética, serenidade e firmeza se posicionar como um gestor sério e competente. Habilidoso, soube se livrar das cracas e penduricalhos partidários oportunistas, que só queriam aparecer. Venceu as críticas do mesmismo e continuísmo. Inovou e fez muito. O eleitor reconheceu...

Visionário

Quando no início de seu governo defendeu a construção de um aeroporto internacional de cargas, no Cinquentão, incrédulos e críticos de plantão caíram matando. Após a implantação do maior entreposto de grãos do hemisfério sul, na região da Palestina, esse sonho se mostra factível e necessário. Nem Uberaba ou Uberlândia tem condição de ampliação de aeroporto para exportação.

Visionário II

Piau pensa grande e no futuro da região. Percebe que o Triângulo só terá voz e representatividade em Minas, se as forças políticas e econômicas estiverem unidas. Passadas as comemorações das vitórias estrondosas em Uberaba e Uberlândia, Odelmo e Piau terão necessariamente de se reunir, a fim de tratar do futuro do Triângulo, quer seja como região importante ou como Estado independente...

Adeus às ilusões

Existe um consenso entre os experts de que Angela Mairink poderia ter se saído melhor, sem a tutela do marido. Anderson quis aparecer mais do que a candidata, dando a conotação de despreparo ou incompetência da esposa. Ninguém vota em pré-posto. Esse erro foi fatal, deu no que deu.

Retorno migratório

Belo Horizonte e Brasília deverão ser os destinos dos derrotados: Angela e Wagner. Como pássaros em revoada, vão buscar abrigo em suas últimas atividades de esposa de político desempregado e professor.

Mudou para ficar igual?

Houve uma significativa mudança de atores na Câmara Municipal. A população sinalizou o descontentamento com os atuais vereadores, que com raras exceções só pensam em salários faraônicos e empregos para apaniguados. O nepotismo cruzado (eu emprego os seus e você os meus), viagens desnecessárias, gastos astronômicos, falta de ações e projetos em benefício do eleitor, tudo foi percebido e repudiado nas urnas.

Vereadores caros

Em termos per capita, temos a mais onerosa Câmara de Vereadores do planeta. Cada edil e seu entorno custam ao contribuinte aproximadamente R$ 4.5 milhões ao ano ou o equivalente a R$ 375 mil mensais. Essa enxurrada de dinheiro transformou a instituição num extenso cabide de emprego. O próximo presidente precisa repensar e definir a razão existencial da Câmara Municipal. Certamente não será de empregar parentes.

Serviço decadente

Câmaras municipais remuneradas são algo em extinção nos países desenvolvidos. Nos estados do Nordeste e Norte dos USA, como Dacota, Minnesota; Montana e outros do meio Oeste, as câmaras remuneradas foram substituídas pelos conselhos de cidadãos voluntários. São os vários conselhos que fiscalizam e determinam a atuação do prefeito. Aqui cada vereador possui um séquito de aspones e gepones mamando nas tetas gordas do contribuinte. Isso precisa ter um fim.

Postura ética reconhecida

Franco Cartafina surge como a maior liderança jovem dos últimos tempos. Sua postura firme, ética e racional, ao rejeitar o aumento despropositado dos vereadores, rendeu-lhe dividendos e votos. Apesar de pertencer à família de grandes políticos uberabenses, em nenhum momento o jovem faz alusão aos feitos dos avós. Prefere ser ele, com "drive" e postura própria. Porém, o estigma ético e moral dos ascendentes é percebido em todos os seus atos. Ganhou Uberaba.

Quem diria!

Borjão aposentado compulsoriamente pelo povo! O Brasil está mudando e os políticos precisam ter essa percepção. Borjão iniciou o último mandato como crítico feroz do prefeito. Depois como camaleão passou a cortejar Piau. Essa dubiedade não foi perdoada por seus eleitores.

E agora José?

Um dos desafios mais impossíveis do mundo é o retorno à câmara de um vereador derrotado. Itamar, Massuó e Bolão confirmam esse estigma. Quando um político é cassado pelo voto, pode fazer promessa, apelar para Santo Expedito e outras mandingas, que dificilmente voltam. Lembrem-se disso novos vereadores, ou trabalham para o povo ou serão cassados.

Volta às origens

Conta a lenda que nas terras por onde Jesus andou, as atividades de pastoreio era uma das mais representativas do reino. A cada quatro anos era escolhido um pastor para representar a classe no palácio. Um jovem foi escolhido. Mas antes pastoreou suas ovelhas e depois enterrou suas vestes debaixo de uma árvore onde pastoreava.

Volta às origens II

Durante os dois primeiros anos deslumbrou-se com a vida palaciana, conheceu mulheres lindas, imergiu nas orgias e farras, esquecendo que sua missão era representar seu povo junto ao rei. Uma noite teve pesadelo e ouviu vozes sobre seus desvios. No outro dia, desenterrou e vestiu suas vestes, pastoreou suas ovelhas durante todo dia. À noite retornou ao palácio e foi o melhor representante que seu povo teve.