Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 26/06/2013
Bastidores
Bastidores
O eco das ruas

O cartaz “cura corrupto” – foto abaixo, circula pelas redes sociais em reação à proposta conhecida como “cura gay”, recém-aprovada pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Deputado federal Marco Feliciano (PSC/SP), presidente da comissão e saco de pancadas desde que assumiu a função, é o principal defensor da “cura gay” - projeto que permite aos psicólogos promover tratamento com o objetivo de curar a homossexualidade. Antes de chegar ao plenário, o projeto precisa passar pelas comissões Social e de Constituição e Justiça. 

Transparência
(A quantas anda...)

E por falar em eco das ruas, a 15ª Promotoria de Justiça de Uberaba quer saber a quantas andam os portais da transparência das prefeituras e das câmaras dos municípios jurisdicionados a ela: Uberaba, Veríssimo, Delta, Campo Florido e Água Comprida. Inquérito civil – instaurado ontem pelo promotor José Carlos Fernandes Júnior, não tem o objetivo de punir ninguém, mas, sim, de detectar eventuais deficiências e promover o aperfeiçoamento em conjunto com os prefeitos e vereadores.

Transparência
(O recado...)

O promotor – que participou da manifestação pública de Uberaba, dia 21 de junho, sexta-feira, afirma que está respondendo a uma das principais reivindicações dos manifestantes. “Entre os inúmeros recados dados nas manifestações populares que vêm ocorrendo pelo Brasil afora, um deles é de que a sociedade brasileira exige transparência no trato da coisa pública” – disse José Carlos Fernandes a Bastidores. Segundo ele, a razão é muito simples: “quanto maior a transparência, menor a corrupção; e quanto menor a corrupção, mais dinheiro haverá para melhorar a prestação de serviços públicos, como saúde e educação.”

Tempos virtuais
Organizadores das duas manifestações públicas recém-promovidas em Uberaba convocam, agora, um novo protesto, para dia 1º de julho, às 16h, na praça Henrique Krügger/Correios, onde aconteceu a primeira mobilização, dia 21 de junho. A data tem razão de ser. Ainda sob o impacto do sucesso da convocação para as manifestações públicas que estão acontecendo em todo o país, grupos de frequentadores do Facebook preparam uma greve geral para dia 1º de julho. Mais de 2,5 milhões de pessoas já receberam convite, e até o fechamento desta edição de Bastidores, 150 mil tinham confirmado participação na greve nacional. 

Candidatos
E falando em participação, nada menos do que 48 alunos se inscreveram como candidatos a candidatos a vereadores mirins e infantojuvenis na eleição promovida na Escola Estadual João Pinheiro em parceria com o Instituto Agronelli de Desenvolvimento Social. Trata-se da terceira edição do projeto ”Aprender a Transformar” – que terá sua culminância no início de julho, quando os melhores votados ao longo do processo irão enfrentar-se na disputa final. A campanha inclui até mesmo um comício na escola.
 
Parlamento
Falando em jovens na política, entra na reta final a primeira edição do Parlamento Jovem Municipal de Uberaba. Na sexta-feira, 28 de junho, acontece a última plenária, quando serão eleitos os representantes e as propostas para a etapa estadual – neste caso, sob o comando da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Participam desta primeira edição, em Uberaba, os alunos da Escola Estadual Corina de Oliveira e do Colégio Marista Diocesano. “Que a segunda edição repita o sucesso da primeira, e tenha ainda mais alunos envolvidos” – já planeja Guilherme Gonzaga Bento, que coordena o projeto, junto com Rochelle Bazaga. Parlamento foi instalado em Uberaba por iniciativa do vereador Franco Cartafina (PSL).

Que sufoco!
Após muito suspense, declarações recheadas de dúvidas, viagens ao Tribunal de Contas de Minas Gerais, em Belo Horizonte, e até uma visita do ex-prefeito Anderson Adauto (sem partido) ao Centro Administrativo/Prefeitura de Uberaba, finalmente a Comissão de Orçamento e Finanças da Câmara Municipal elaborou seu parecer sobre as contas do exercício de 2006. Ainda assim, a votação em plenário ficou pra uma próxima sessão, já que o vogal da comissão, vereador Marcelo Machado Borges (DEM) pediu um tempo para analisar o parecer.

Pela aprovação
O balanço de 2006 – segundo ano do primeiro mandato de Anderson Adauto, retornou do Tribunal de Contas de Minas Gerais com manifestações contrárias: o relator, conselheiro Eduardo Campos Carone, se posicionou a favor da aprovação, enquanto o Ministério Público opinou pela rejeição. Palavra final cabe ao plenário da Câmara, que agora já conta com o parecer favorável da maioria dos membros da Comissão de Orçamento e Finanças: o presidente Samuel Pereira (PR), o relator Luiz Humberto Dutra (PDT), e o suplente Afrânio Cardoso (PP).

Ações orquestradas
“O movimento que foi iniciado pela juventude deste país já não é sé dela...Hoje, todos os cidadãos conscientes se manifestam contra tudo de ruim que se implantou no nosso Brasil e que vem tornando quase insuportável a vida de cada um... Entretanto, as marchas têm sido invadidas por grupos que vandalizam o patrimônio público e privado, com o nítido propósito de buscar descaracterizar as reivindicações sérias e justas do povo...As autoridades têm o dever de vir a público esclarecer definitivamente quem são os vândalos, de onde partem, a serviço de quem estão e com que finalidade vandalizam. Se assim não fizerem, teremos o direito de presumir que estamos diante de ações orquestrada pelos que se sentem atingidos nos seus interesses, quase todos ilegítimos e ilegais...”
_Geraldo Brasil, advogado de Uberaba, promotor de Justiça aposentado.