Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 10/07/2013
Bastidores
Bastidores
Seis anos depois...

O que está sendo comemorado como novidade e ineditismo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Uberaba já virou “Curiosidade Histórica”: o fim do voto secreto. Aprovada em 2006, a iniciativa levou as assinaturas dos então vereadores Tony Carlos (PMDB), Marilda Ribeiro Resende (PT) e ainda de Marcelo Borges (na época do PMDB) – que assinou a proposta antes de deixar a Câmara onde ocupou cadeira por alguns meses. Tony (líder do governo) e Marcelo (hoje filiado ao DEM) integram a legislatura 20013/2016, enquanto Marilda é a subsecretária Municipal de Educação e Cultura.

Xô, voto secreto!
E desde 2006, portanto, o voto secreto está extinto da Câmara de Uberaba. Em eleições de mesa diretora; vetos do prefeito; julgamento de vereadores (processos de perda de mandato), enfim, sem qualquer prejuízo para as articulações de bastidores de praxe, os vereadores de Uberaba expõem seus votos e os motivos, sem subterfúgios. 

Controvérsias
Vale lembrar que em 2006 Tony Carlos era presidente da Câmara, enquanto Marilda era a vice-presidente. Os dois colocaram a matéria em votação mesmo enfrentando oposições internas e externas. Exemplo foi o então prefeito Anderson Adauto - então aliado de Tony, que chegou a conceder entrevistas contra a ideia, e defendendo o voto secreto em pelo menos algumas propostas.

Experiência...
Ontem – quase seis anos depois, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais aprovou o fim do voto secreto nas deliberações da Casa e a determinação de que as votações sejam nominais (individuais e registradas por cada deputado no painel eletrônico) para a maioria das proposições. E vai aqui, mais uma puxadinha pra Uberaba: entre os membros da atual mesa diretora da Assembleia está o deputado estadual Adelmo Leão (PT).

26º pedido
Juiz Carlos Alberto Simões completou ontem o 26º pedido de vistas da ação que investiga o resultado das eleições majoritárias do segundo turno de Uberaba, e que tramita em grau de recurso no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais – TRE/MG. E assim, o processo vai para a 27ª sessão de julgamento – marcada para 11 de julho. 
 
Investigação
O primeiro pedido aconteceu dia 11 de abril, quando o então juiz relator Maurício Soares chegou a anunciar seu voto pelo arquivamento da ação. Depois disso, além de o relator ter deixado a Corte por ter completado o tempo de juiz no TRE, as únicas movimentações relativas a esta ação foram os pedidos de vista. Ação é de autoria do deputado estadual Antônio Lerin (PSB), que perdeu o segundo turno para Paulo Piau (PMDB), e o acusa de compra de votos.
 
Unanimidade
Até agora – contando com o ex-relator, a ação de investigação só recebeu manifestações pelo arquivamento. Ministério Público de Uberaba deu parecer contra a investigação; Justiça Eleitoral de 1ª instância julgou pelo fim da ação, e a Procuradoria/MP de Minas Gerais concordou que não existem provas para levar o processo em frente.

Sem saída
Notícia bombástica mesmo, nesta terça-feira, foi a de que o Ministério Público Federal – MPF, vai realizar audiência pública no dia 17 de julho, às 14h, no anfiteatro da biblioteca central da Universidade de Uberaba – Uniube. Objetivo: encontrar solução para as irregularidades detectadas pela Agência Nacional de Aviação Civil – Anac, na pista de pouso e decolagem do aeroporto de Uberaba. O aeroporto precisa se adequar, mas está espremido pelas residências de várias famílias que foram invadindo os arredores ao longo do tempo. 

Entre a cruz e a espada
O procurador da República/MPF em Uberaba, Thales Cardoso, quer a participação do povo nos debates sobre o que fazer. Ele lembra que a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – Infraero,  responsável pela administração do aeroporto, apontou duas alternativas: a desapropriação dos imóveis localizados até 150 metros das cabeceiras da pista, ou o recuo das cabeceiras, atendendo às normas de segurança, porém, diminuindo a própria extensão da pista.

Movimento
De janeiro a maio de 2013, o aeroporto de Uberaba registrou 3.444 voos – segundo estatísticas da Infraero. Foram 64.051 passageiros transportados no período, e 4.921 quilos de cargas variadas. Azul Linhas Aéreas é a única empresa de aviação que opera atualmente na cidade.

Festivais...
Existem, sim, dois festivais de música previstos para 2013, mas, dependendo das conversas entabuladas entre as duas partes, eles poderão tornar-se um só Festival de Música de Uberaba. A explicação é da presidente da Fundação Cultural, Sumayra Oliveira, que está convocando os músicos da cidade para uma reunião, dia 15 de julho, às 18h30, no Teatro Experimental de Uberaba – TEU, com o objetivo de “discutir o Festival de Música de Uberaba”.

...de música
O convite – que circula pela rede social, surpreendeu, já que, poucos dias antes, a coluna Bastidores tinha anunciado a realização de um Festival de Música de Uberaba, já convocado para os dias 1º, 2 e 3 de novembro de 2013. Neste caso, a promoção é de Vinícius Oliveira, Caio Presotto e Edvaldo Cardoso, e as inscrições estão abertas a partir de hoje, através do site www.festivalde musicadeuberaba.com.br.


ALIADOS - Marilda Ribeiro e Tony Carlos – vice-presidente e presidente da Câmara de Uberaba em outubro de 2006