Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 23/07/2013
Bastidores
Bastidores
Inferno astral

Quem pensa que o vídeo divulgado pelo Fantástico/Globo, no domingo, 21 de julho, terá sido a única nuvem escura a rondar o deputado federal Aelton Freitas...mera ilusão! Unidos pelo mesmo objetivo, o coordenador regional das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Público do Triângulo Mineiro/sede Uberaba, José Carlos Fernandes, e os promotores de Justiça de Iturama, Leonardo de Faria Gignon e Silvana de Oliveira Francahe, querem que Aelton Freitas devolva recursos aos cofres da Prefeitura de Iturama.

Bons companheiros
Os três promotores cobram na Justiça de Iturama um ressarcimento na ordem de R$ 4,9 milhões, que, segundo eles, teriam sido movimentados irregularmente nos exercícios de 1995 e 1996, quando Aelton Freitas era prefeito daquela cidade. Também respondem pela mesma ação alguns empresários e agentes públicos municipais, acusados de se beneficiarem com as irregularidades.

Dois portos
A cidade – que tem 35.308 habitantes, com 27.401 eleitores, foi administrada duas vezes por Aelton Freitas, que depois se tornou suplente do senador José Alencar, e, com a morte deste, assumiu a vaga no Senado; mudou-se para Uberaba – para onde transferiu seu domicílio eleitoral, e elegeu-se deputado federal. Desta forma, o político é meio que ituramense e meio que uberabense.

A terra tem dono
E nesta de Aelton Freitas ser meio ituramense e meio uberabense, muita gente de Uberaba está desabafando nas redes sociais, infeliz com o fato de a reportagem do Fantástico/Globo ter citado Uberaba como sendo a cidade do deputado – que também é presidente do Partido da República/PR de Minas Gerais. Ele aparece no vídeo literalmente ensinando um grupo de pessoas a comprar votos e plantar boatos contra adversários em épocas de campanha eleitoral. 

Mistura explosiva
Gás e amônia

Visitante...
Em tempos de Jornada Mundial da Juventude e da presença do Papa Francisco no Brasil, nada como a visita de um bispo dinamarquês a Uberaba. Na verdade, do único bispo da Dinamarca. Dom Czeslaw Kozon, 61 anos, desembarcou em terras brasileiras para a JMJ, e aproveitou pra conhecer o mosteiro das irmãs beneditinas de Uberaba, que recebem ajuda dos poucos católicos do reino comandado pela rainha Margrethe II.

...especial
Dom Paulo Mendes Peixoto – arcebispo metropolitano de Uberaba, ciceroneou o colega europeu, que é responsável por um clero de apenas 73 padres. Acontece que somente 10% dos dinamarqueses são católicos, enquanto a grande maioria dos 5,5 milhões de habitantes segue o protestantismo luterano. A Dinamarca é uma monarquia constitucional com uma sólida proteção social a todos os seus cidadãos.

Até parece brasileiro...
O poeta e dramaturgo inglês William Shakespeare “popularizou” a Dinamarca – inclusive no Brasil. Quem nunca ouviu a expressão “Há algo de podre no reino da Dinamarca”? Ainda hoje a frase é usada no sentido de se referir a fatos ocultos, obscuros, traições, corrupção, enfim, bem a calhar. É dita pelo príncipe Hamlet na obra escrita nos idos de 1600 e que tem o seu nome. Uma das principais tragédias de Shakespeare e uma das peças mais representadas em todos os tempos, Hamlet mistura loucura real com loucura fingida, sofrimento e ódio, traição, incesto, vingança, corrupção...

Impacto
Além dos números surpreendentes de peregrinos – cerca de 2,5 milhões de pessoas, a Jornada Mundial da Juventude vai provocar um impacto de mais de R$ 1 bilhão na economia brasileira. Só em despesas com hospedagem e alimentação, a estimativa é atingir R$ 660 milhões. O gasto médio por turista, incluindo hospedagem, transporte e alimentação, deverá ficar em torno de R$ 305 por dia, informa o governo federal. A JMJ Rio2013 deve atrair mais turistas estrangeiros do que a Copa das Confederações, no mês passado.

Tudo igual
Responsável pela execução da planta de amônia em Uberaba, a Petrobras permanece alheia aos entreveros que rondam o projeto do gasoduto – imprescindível para a fábrica de amônia sair do papel. A notícia que se destaca no site oficial da Petrobras é a mesma postada em março de 2011, quando a presidente Dilma Rousseff (PT), e o governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB), assinaram o Protocolo de Intenções para a implantação dos dois megaprojetos.

Expectativas
A então diretora de Gás e Energia da Petrobras – que depois se tornou a presidente da empresa, Graça Foster, garantiu durante o evento de março de 2011: “Não há riscos de que algo se torne inviável, pois a Petrobras e  a Cemig são duas empresas sérias e que estão muito empenhadas nesse projeto. O trabalho será grande e estaremos operando a planta no final de 2014”.

Nem te ligo...
A impressão que se tem em relação ao tratamento dispensado pela Petrobras ao assunto é de que, com gasoduto ou sem gasoduto em Uberaba, a fábrica de amônia será construída – ainda que seja em outro Estado brasileiro. Deu pra entender?!