Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 28/07/2013
Bastidores
Bastidores
Seguindo o papa

De férias, a subsecretária Municipal de Planejamento, arquiteta, professora e servidora de carreira da Prefeitura de Uberaba, Maria Paula Meneghello, tem movimentado o Facebook com fotos da visita do papa Francisco ao Brasil. Pelas imagens, fica óbvio que a uberabense não se desgrudou do argentino Jorge Mario Begoglio desde que ele desembarcou para a Jornada Mundial da Juventude. “Pena que nem eu e nem a máquina somos profissionais pra fazer fotos” – se queixa ela.  Imagine se fossem!!!!

Inconformismo
Aposentado há cerca de dois anos pelo Estado - após décadas na chefia do Instituto Médico Legal, o médico legista e do trabalho Romeu Norte, 61 anos, não se conforma com a situação dramática a que chegou o IML/Uberaba. “É lamentável que tenham deixado o local chegar ao fundo do poço” – se queixa.

Drama da vida real
Crítico da falta de atenção do Estado desde a época em que dirigia o IML, Romeu lembra que, aos trancos e barrancos, ele não deixava a peteca cair. E justifica: “Independente do corpo submetido à perícia, o que não podemos esquecer é que, do lado de fora, estão os pais, mães, esposas, filhos, que merecem consideração e respeito” – lembra ele.

Mineirice
Resultado da realização de 20 encontros no interior, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais recebeu 1.332 sugestões para a atuação dos deputados estaduais nos próximos dois anos. Informação está no site da Assembleia, lembrando que as propostas foram recebidas, ao longo do primeiro semestre, durante as reuniões de prestação de contas regionalizadas, promovidas pela mesa diretora.

Saúde e trânsito na liderança
A reunião do Triângulo Mineiro – realizada em Uberaba, computou 94 sugestões. O assunto recordista foi a saúde – com 12 propostas levantadas durante o evento que lotou a Câmara Municipal. Transporte e trânsito também foram destaque, com 11 sugestões. Em seguida aparecem educação, segurança pública e desenvolvimento regional.

Sem chance
Tudo indica que o odontólogo, ex-secretário de Saúde, ex-presidente e principal liderança do PPS/Uberaba, Alaor Carlos de Oliveira Júnior, e o ex-vereador e uma das lideranças do PMN/Uberaba, Jorge Ferreira, não vão tornar-se correligionários na Mobilização Democrática – MD/Uberaba, nascida da fusão dos dois primeiros partidos.

Divórcio
A convocação do PMN para a convenção nacional que acontece hoje, a partir das 10h, em São Paulo, cita entre os temas da pauta: “deliberar sobre a desistência da fusão com o PPS”...Enfim, pela segunda vez a ideia deve passar longe de um final feliz. Em 2006, PPS, PMN e PHS chegaram a protocolar um pedido de registro no Tribunal Superior Eleitoral – TSE, mas a criação da MD morreu antes de nascer.

PSIU!
Em 2013, PPS e PMN avançaram na fusão e na criação do novo partido, já tido e havido como assunto definido. Em Uberaba, porém, o “falante” Alaor Carlos se recolheu ao silêncio, como se o assunto nem tivesse a ver com ele – que até então, presidia o PPS. E nem precisa ser esperto pra captar o espírito da coisa: na comissão executiva do PMN estava/está o encrencado Jorge Ferreira.

Complicações
Vale lembrar que o ex-vereador enfrentou uma série de acusações ao longo da legislatura passada (2009/2012), não foi reeleito, e recentemente teve sua vida ainda mais complicada. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG, confirmou sentença do juiz da 5ª Vara Cível de Uberaba, Timóteo Yagura. A decisão inclui o ex-vereador na Lei da Ficha Limpa. 

Acusação e defesa
Decisão de 1ª e 2ª instâncias foi proferida em ação civil pública movida pelo promotor de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, José Carlos Fernandes, que acusa Jorge Ferreira de ter exigido, para ele, parte dos vencimentos recebidos pelos servidores lotados em seu gabinete. O ex-vereador nega a acusação, ressaltando que os servidores o acusaram por terem sido demitidos.

Premonições
Por sua vez, Alaor Carlos é crítico contumaz de todo e qualquer conceito que se desvie da correção na política. Chegou a abandonar o cargo de secretário da Saúde no governo de Anderson Adauto (sem partido), denunciando supostas irregularidades em processo seletivo realizado pela pasta. Enfim, ainda que a MD seja confirmada hoje, é certo que Alaor e Jorge não estarão juntos.


REGISTROS – Atenção para os flashes dos celulares, captados por Maria Paula Meneghello!