Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 31/07/2013
Bastidores
Bastidores
Índice rural

Acaba de ser divulgado um estudo inédito encomendado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA, e recém-concluído pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas - Ibre/FGV. O Índice de Desenvolvimento Rural – IDR, calculado pelo Ibre, leva em consideração diferentes pesos para quatro dimensões distintas: social (30,1%), econômica (29,5%), demográfica (22,8%) e ambiental (17,6%).

Os 10 melhores
Do cruzamento dos dados, oito municípios do Centro-Oeste despontaram entre os dez de melhores IDRs do país. Este “domínio” foi quebrado apenas pelas presenças de Uberaba, em Minas Gerais – em 6º lugar; e de Telêmaco Borba, no Paraná – na 10ª posição do ranking. De acordo com as avaliações do Ibre/FGC, pesa a favor de Uberaba o fato de o município, entre outras atividades, abrigar um polo de tecnologia de ponta voltada à pecuária. 

Performance
O IDR vem reforçar outra informação importante, neste caso, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, em dezembro de 2102 – e, portanto, apenas sete meses atrás. Na época Uberaba ganhou destaque em todo o país pela sua posição no ranking do Produto Interno Bruto – PIB, da agropecuária, A cidade apareceu na 4ª colocação, atrás apenas de Cristália (GO), Petrolina (PE) e São Desidério (BA). Em 2009 o município ocupava a 8ª colocação no ranking da agropecuária.


SALVAÇÃO DA PÁTRIA - “Acusado” durante a campanha de dar muito valor à zona rural, o prefeito Paulo Piau acompanha, de camarote, números que demonstram a importância do setor para o desenvolvimento de Uberaba como um todo

Alma lavada
E não dá pra não comentar... Prefeito Paulo Piau (PMDB) deve estar se sentindo vingadinho da silva. Apontado ao longo da campanha em 2012 – como se fosse uma acusação muito grave, de ser aliado dos produtores rurais, ele nem bem tomou posse e já saía o PIB da agropecuária, e, agora, vem o IDR pra reforçar. Detalhe: o município de Uberaba conta com mais de cinco mil propriedades rurais.

Dez anos depois...
Está certo que houve mudança nos critérios que calculam os dados relacionados à educação, mas, no geral, não dá pra não comparar os índices divulgados em 2003 com os índices de agora, em 2013. Enfim, publicado uma vez a cada dez anos, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM, dos municípios brasileiros, chegou ao conhecimento público nesta segunda-feira, 29 de julho. Detalhe: o IDHM é o resultado das avaliações das três das mais importantes áreas do desenvolvimento humano: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda).

Atenção!
Em 2003 foram usados dados de 2000, e agora, em 2013, a grande maioria das informações é fruto do censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, em 2010. Em 2000, o então prefeito Marcos Montes – atual deputado federal pelo PSD, terminava o seu primeiro mandato (1997/2000). Em 2010, o então prefeito Anderson Adauto (sem partido) estava no segundo ano do seu segundo mandato (2005/2010).

Fogos...
Na divulgação de 2003, Uberaba ficou em 104º lugar, com um IDHM de 0,834. Resultado foi comemorado com fogos de artifício, visto que – na variação de zero a 1, o índice igual ou acima de 0,800 era considerado “alto” pelo órgão responsável pelos levantamentos: o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – Pnud. No Brasil, o Pnud conta com a parceria do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea, e da Fundação João Pinheiro.

...e bombinha
A lista divulgada nesta segunda-feira indica Uberaba na 210ª classificação, com um IDHM de 0,772. A queda na ordem de classificação foi de 106 lugares, enquanto o índice caiu 0,062. Uberaba se saiu bem melhor na longevidade, que alcançou um IDH de 0,845. Entretanto, não ficou tão bem no padrão de vida (0,772) e na educação (0,705). De acordo com o Programa das Nações Unidas, o indicador “educação” se tornou mais rigoroso ao exigir mais escolaridade para que um município tenha IDH maior. Para o IDHM/2013, o acesso ao conhecimento ganhou dois subindicadores: escolaridade da população adulta e fluxo escolar da população jovem.

Uberaba e Uberlândia
Aposto que tem muita gente questionando: “Uai! A coluna não vai falar de Uberlândia?!”... Vai sim! Ainda não deu pra perder o costume... Na divulgação de 2003 (com dados de 2000), Uberlândia ficou em 135º lugar, com um IDHM de 0,83. Portanto, também obteve um índice alto, mas ficou abaixo de Uberaba, o que provocou comemorações em dobro. Agora, em 2013 (com dados de 2010), Uberlândia também caiu no IDHM geral, mas saltou à frente de Uberaba. Subiu para a 71ª classificação, com um índice final de 0,789.