Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 14/09/2013
Bastidores
Bastidores
Entrou pra história...

Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba aprovou o tombamento definitivo do imóvel de nº 90 da rua Vigário Silva. Trata-se da residência onde morou a família - inclusive avó e mãe, da presidente Dilma Rousseff (PT). De acordo com todas as biografias da presidente brasileira, seus pais – o imigrante búlgaro Pedro Rousseff e a professora Dilma Jane da Silva, se conheceram em Uberaba, quando ele esteve na cidade a negócios. Depois de casados, eles se mudaram para Belo Horizonte, onde tiveram os três filhos: Igor, Dilma e Zana. Os irmãos visitavam sempre a avó, em Uberaba.

Concordância
Em junho, esta colunista informou, com exclusividade, através da coluna Bastidores/JORNAL DE UBERABA e do blog CONTA-GOTAS...Notícias, que o Conphau havia aprovado o tombamento em caráter provisório, e aguardava retorno de consulta feita à presidente da República sobre a proposta de tombamento definitivo do imóvel. Sem qualquer alarde sobre o assunto, o Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico acaba de confirmar a decisão, o que pressupõe a concordância de Dilma Rousseff.

Repercussão
A divulgação exclusiva sobre o tombamento histórico da residência atraiu a atenção de repórteres da imprensa nacional, e ganhou destaque no Facebook – dividindo opiniões entre os favoráveis e os contrários à medida histórica. Além disso, em função da notícia, fontes revelaram que, há vários meses, o portão de entrada da casa está “blindado” por um muro de alvenaria. A providência foi tomada pela administração municipal depois que o local foi invadido e vandalizado – segundo consta, por moradores de rua. 

Preservação
Patrimônio histórico refere-se a um bem móvel, imóvel ou natural, que possua valor significativo para uma sociedade, podendo ser estético, artístico, documental, científico, social, espiritual ou ecológico. Quando um imóvel é tombado por algum órgão do patrimônio histórico, ele não pode ser demolido, nem mesmo reformado. Pode apenas passar por processo de restauração, seguindo normas específicas, para preservar as características originais da época em que foi construído. 

História contada
E por falar em preservação, a Superintendência de Arquivo Público de Uberaba conquista um acervo importante. Esta semana receberá a doação de material digitalizado do “O Jornal Sorriso” – que circulou no período de 1930 a 1933; de “O Jornal” - de 1933 a 1938, e “Uberaba Jornal” - de 1938 a 1944. A superintendente Marta Zednik de Casanova vai receber o acervo das mãos de Airton Magalhães Pinto, arquiteto residente em Brasília, filho do uberabense Godofredo Santos, um dos fundadores destas publicações.

Julgamento
Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais marcou para a sessão do dia 17 de setembro, terça-feira, o julgamento dos Embargos de Declaração propostos pelo deputado estadual Antônio Lerin (PSB) contra a sentença do TRE/MG que julgou improcedente a ação que contesta o resultado das eleições majoritárias de Uberaba. A nova relatora do processo, Alice Birchal, vai apresentar seu voto, que será deliberado em plenário. Lerin entrou com o recurso meia hora antes de a decisão do TRE transitar em julgado e, portanto, encerrar a ação em definitivo. Ele perdeu a eleição para o prefeito Paulo Piau (PMDB) no segundo turno.

Pró-ética
Vem aí, mais uma campanha no Facebook... Desta vez, vai reunir pessoas que colocam a cara pra bater, têm coragem de aparecer, e que consideram falta de ética o fato de uns ou outros criarem perfis “ocultos” com o objetivo de atacar e/ou elogiar sem identificação. Até uma agência especializada em marketing foi contratada para produzir o material de protesto...

Tititi
E segundo informações que circulavam na tarde/noite de ontem, o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), vai fazer voo rasante em Uberaba, nos próximos dias. Objetivo seria marcar presença na ExpoCigra 2013, que o Centro das Indústrias do Vale do Rio Grande - Cigra, promove entre 18 e 22 de setembro no estacionamento do Shopping Uberaba. 


A residência onde morou a família de Dilma Rousseff pertence, hoje, aos herdeiros, inclusive à própria presidente, que foi consultada sobre o tombamento histórico (Foto: Conphau)