Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 26/09/2013
Bastidores
Bastidores
Bombou

Notícia política que agitou a quarta-feira, e ainda deve amanhecer hoje, na ordem do dia, mostra que aliados e adversários aguardavam, com expectativa, a definição da nova legenda do ex-prefeito Anderson Adauto. Confirmando o que anunciou Bastidores, na edição de ontem, seu destino é mesmo o PT, que durante reunião em Belo Horizonte, aprovou a filiação em meio a várias abstenções e até um voto contra.

Encrenca à vista
E assim, nasce mais um entrevero políticoeleitoral em Uberaba. O ex-candidato a prefeito, deputado estadual Adelmo Leão – que já está com tudo ajeitadinho pra se candidatar a deputado federal em 2014, quase caiu das pernas com a decisão do seu partido. Vai disputar o mesmo cargo com Anderson Adauto.

Esses políticos!
Enquanto isso, o empresário Vicente Araújo aparece na telinha fazendo a propaganda política do Partido Verde em rede estadual... Acontece que o mesmo comando mineiro que define os detalhes do horário político destituiu a comissão executiva provisória de Uberaba, presidida por Vicente Araújo, e nomeou Lawrence de Melo Borges para o seu lugar. Tudo isso em questão de horas.

Políticas públicas
Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais – Crrea/MG, Jobson Andrade, abriu, na terça-feira, o 10º Encontro Regional do Rio Grande de Políticas Públicas e Corresponsabilidade Social em Uberaba. “A proposta destes encontros é olhar para os problemas e apontar soluções que podem se transformar em projetos, ações e até orçamento”, afirmou. 

Teto
Jobson Andrade aproveitou a abertura do evento para anunciar que a sede da entidade, a ser erguida em parceria com a Prefeitura de Uberaba, poderá ser entregue até o final de 2014. Segundo ele, os recursos para a obra estão assegurados pela entidade. O encontro termina hoje, com a elaboração da “Carta Rio Grande”, que será entregue ao governador Antonio Anastsia (PSDB) com as propostas tiradas pelos participantes. 

Política rosa choque
Câmara dos Deputados está às voltas com uma campanha para estimular o ingresso de mulheres nos partidos políticos. Com o lema “Mulher, tome partido. Filie-se”, a meta é aumentar em 20% o número de mulheres filiadas até o dia 5 de outubro, prazo final de filiação para quem deseja concorrer a um cargo político nas eleições gerais de 2014. Atualmente, o Congresso possui 46 deputadas e oito senadoras. Juntas, elas representam apenas 9% do universo de congressistas (594 no total).

Maioria X minoria
A segunda fase da campanha terá o objetivo de convencer as filiadas a registrarem candidaturas às eleições de 2014, o que poderá ser feito no mês de junho. De acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, 51,5% da população brasileira são mulheres, ou seja, mais de 97 milhões de brasileiras. Mas, nas eleições de 2010, apenas 45 mulheres foram eleitas deputadas federais, representando 8,77% das cadeiras da Casa. No Senado, foram eleitas sete mulheres das 54 vagas preenchidas no Senado naquele ano, o que representou 12,99% do total. 

Mais 150 anos
Pesquisa de opinião pública realizada pelo Ibope e pelo Instituto Patrícia Galvão, em abril deste ano, em todo o país, com 2002 entrevistados com mais de 16 anos de idade, revelou que oito em cada dez brasileiros consideram que deveria ser obrigatória a participação paritária de mulheres e homens nas casas legislativas municipais, estaduais e federais. Entretanto, de acordo com o demógrafo José Eustáquio Diniz Alves, do IBGE, se o avanço da participação feminina continuar no ritmo atual, a paridade entre os sexos nos espaços municipais demorará ainda 150 anos para ser alcançada.

Cota preenchida
Em Uberaba, as coligações e os partidos que disputaram as eleições 2012 conseguiram cumprir o que estabelece a legislação eleitoral no que se refere ao preenchimento de 30% das vagas por candidatas. A média foi de 31,87%. O maior percentual foi atingido pela coligação “Meu Voto é Sustentável” (PDT/PHS/PV/PRP), que chegou a 40,54% - com 37 mulheres na disputa por cadeiras na Câmara de Vereadores. 

Expectativa
(Versão 1)

Apesar do preenchimento da cota, nenhuma mulher foi eleita em 2012. A Câmara de Uberaba, que já chegou a ter três mulheres na legislatura 1983/1988, e algum tempo depois, conseguiu eleger duas, começou a legislatura 2014/2017 sem representação feminina. Expectativa está por conta da 1ª suplente da coligação PMDB/PR, Denise Max, coordenadora da Sociedade Uberabense de Proteção ao Animal – Supra. 

Expectativa
(Versão 2)

Denise, que é filiada ao PR, depende de outra situação: o vereador peemedebista Tony Carlos é 2º suplente do PMDB na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que tem vaga aberta desde a morte do deputado estadual José Henrique. O 1º suplente, Getúlio Neiva, que é prefeito de Teófilo Otoni, ainda não decidiu se permanece no cargo que assumiu há apenas nove meses.

Esses homens!
Aliás, esta história de cota chegou a render um fato político inusitado em Uberaba. O PPS não conseguiu registrar o diretório municipal eleito porque não preencheu a cota de 1/3 das vagas destinada às mulheres. O presidente eleito – mas não empossado, Alaor Carlos de Oliveira Jr, disse a Bastidores, na época, que “Uberaba não tem quadros do sexo feminino com militância e ou disposição para fazer parte do diretório.”