Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 03/12/2013
Bastidores
Bastidores
BASTIDORES

RENOVAÇÃO – Nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior do Município de Uberaba (Sinte-Med) foi empossada ontem, na se3de da instituição. Foram empossados Daniela de Souza Santos Néspoli; Denilson Assis Francisco Caetano; Diógenes Alexandre Silva; Elciene Alves de Oliveira; Elizabete Quaiotti; Lúcia Helena Cardoso; João Alberto Gomes Alves; Maria Antônia da Silva; Maida Martins Leal Modesto; Maria José Siqueira da Silva; Sandra de Souza; Simea Aparecida Freitas; Rosa Emília da Silva Rangel; Isabel Cristina Oliveira Silva; Ilza Helena Martins; Jeanir Pedro Gomes; Jefferson Correia Manso; Maurício Batista; Márcia de Souza Resende; Norma Sueli Oliveira Abreu; e Romilda Luísa Brinck.

Renovação 2
E a posse desta diretoria é histórica. O sindicato foi criado havia dez anos e nunca houve disputa, já que sempre era chapa única, que era eleita por aclamação. Concorreram duas chapas, a “Renovação e Luta”, que foi eleita no dia 30 de outubro para o biênio 2014/2015, e a “Agregar, a Hora é Agora”. Vale lembrar que apesar de ant6es a eleição ser por chapa única, algumas vezes ocorreu polêmica, já que algumas chapas que pretendiam se colocar na disputa acabavam impugnadas. Agora houve a eleição com duas concorrentes e a derrotada aceitou o resultado normalmente, mesmo que as urnas tenham apontado grande diferença de votos. Venceu a democracia. 

Responsabilidade social
A Fundação João Pinheiro (FJP) apresenta, hoje, a nova edição do Índice Mineiro de Responsabilidade Social (IMRS). O documento reúne, além do índice, 400 indicadores para os 853 municípios de Minas Gerais, nas dimensões saúde, educação, segurança pública, assistência social, meio ambiente e saneamento, cultura, esporte e turismo, renda e emprego e finanças municipais. Em Uberaba, a expectativa é que o município tenha bom desempenho. 

Natal da Gente
Coletiva de imprensa vai acabar com a curiosidade da população e dos jornalistas em relação a programação de Natal. A coletiva acontece hoje, ás 15h, no Centro Administrativo da Prefeitura. A imprensa irá conhecer em primeira mão o que a Prefeitura de Uberaba, através da Fundação Cultural, programou para este fim de ano. Uma coisa é certa, a população vai gostar do Natal musical, grandioso e surpreendente, como está colocado no próprio convite, também muito bem produzido. 

Repercussão
Primeiro foi a preocupação com o impasse sobre o gasoduto e o medo de perder investimento bilionário. Agora, com o anúncio o governador Antonio Anastasia, de construir gasoduto entre Betim e Uberaba – com investimento de R$ 1,8 bilhão e 457 quilômetros de extensão transportando gás da bacia do São Francisco – para abastecer a fábrica de amônia, começam as apostas.

Repercussão 2
Muitas delas são pessimistas e colocam em dúvida a execução do projeto. Porém outras pessoas se posicionam de forma firme a favor do projeto. É o caso do vereador Marcelo Borjão (DEM). Ontem ele foi claro, ao enviar seu ponto de vista à imprensa: “Pessimismo, brigas políticas, ciumeira e outros interesses não podem mais atrapalhar Uberaba. Temos sim que unir forças e trabalhar junto aos governos estadual e federal em prol de nossa cidade de maneira responsável e madura”, conclamou Borjão. 

Repercussão 3
O vereador ficou indignado com as críticas do ex-prefeito Anderson Adauto, ao atual Paulo Piau, em relação às mudanças de traçado do gasoduto. Borjão considera que existem outros interesses por trás das críticas e avalia que é subestimar a inteligência da população de Uberaba usar o argumento de que o governador terá que deixar o cargo em 2014 para concorrer ao Senado e por isso não teria o direito de tomar uma decisão para quem efetivamente fará o projeto acontecer em 2016. 

Faça o que eu digo
Borjão lembrou que o ex-prefeito critica algo que ele mesmo fez “muito pior”, ao inaugurar, por exemplo, o Hospital Regional, sem condição alguma de receber um paciente sequer, em meio ao “poeirão” da obra. E lembra que o projeto estava errado, com portas menores do que as macas, com ressonância magnética projetada em cima de um estacionamento. “Era ligar o aparelho e movimentar todos os carros ao mesmo tempo. A atual administração teve de refazer o projeto e terminar a obra”, aponta Borjão.

...não faça o que eu faço
Borjão também lembra outras “inaugurações fajutas”, como o BRTs, deixando a PMU sem dinheiro em caixa para fazer o terminal do Manoel Mendes, com projetos errados e incompletos. Outros exemplos dão o Complexo CEU, no Residencial 2000, e a Unidade Básica de Saúde no Residencial Tancredo Neves, também inaugurado acabado; a licitação no valor de R$ 4 milhões para a construção da escola do Copacabana, também inaugurada na administração anterior,  cujo valor deixado em caixa foi de apenas R$ 300 mil na verdade; e a compra em 2011 de software da Fundação Israel Pinheiro, para a Saúde, pelo valor superior a R$ 3 milhões. “A prefeitura pagou quase metade e nunca funcionou porque o programa da Codiub era superior”. E agora José...

Colunista interina: Maria das Graças Salvador