Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 08/01/2014
Bastidores
Bastidores
Bastidores

CONTA CORRENTE – Sociedade Uberabense Protetora dos Animais enfrenta sérios problemas econômicos e financeiros, apesar dos avanços ocorridos nos últimos meses, inclusive através de convênio assinado com a Prefeitura de Uberaba. Contribuição pode ser depositada na Caixa Econômica Federal: agência 0160; operação 003; conta 1136-9

Mera ilusão!
Posse da coordenadora da Sociedade Uberabense Protetora dos Animais – Supra, Denise Max (PR), no cargo de vereadora, parece estar provocando uma grande confusão na cabeça de muita gente. O que se percebe pelos desabafos da própria Denise, é que uma boa parte dos colaboradores parou de ajudar a ONG, como se o salário da Câmara fosse resolver todos os problemas da Supra.

Ajuda extra...
Na verdade, o que fica explícito diante do cargo de vereadora e do convênio assinado recentemente com a Prefeitura de Uberaba é que o pessoal da Supra fazia milagres. A pergunta correta é: como a Denise e as voluntárias da ONG conseguiam cuidar de quase 400 animais, apenas com a contribuição da comunidade?! Por mais que a vereadora aplique seu salário e que os recursos da prefeitura sejam bem-vindos, é certo que a situação da Supra ainda é muito difícil.

Brasis
(Versão 1)
Outro pedido de socorro foi enviado pela baiana Soraia Alcântara para o deputado estadual Tony Carlos (PMDB), com quem ela estudou Jornalismo na Universidade de Uberaba – Uniube. Sabe o que ela pede ao deputado? Simplesmente que ele ajude a divulgar a situação da segurança pública em Cumuruxatiba, sul da Bahia, onde ela mora atualmente, e faça sua queixa chegar à Ordem dos Advogados do Brasil – OAB.
 
Abandono
A cidade – segundo ela, não tem promotor, não tem juiz, tem um policial militar, e uma delegacia de Polícia que não funciona. “A comunidade tem medo e a impunidade corre solta” – desabafa a brasileira. 

Drama
Atropelada por dois motoqueiros que disputavam corrida na contramão e alcoolizados, Soraia Alcântara conta que sofreu traumatismo craniano e que, desde então, está em tratamento (após um período de internação). “Ainda nem consegui fazer o boletim de ocorrência porque nenhuma autoridade veio averiguar o caso, e o único policial se recusou a lavrar o documento, por não estar de plantão aqui no dia” – afirma ela.

Saúde...
Mudando de assunto, o estudante de Engenharia Civil na Uniube, Ney Lúcio Carneiro da Silva, 36 anos, deixou o trabalho na construção civil para investir em hortaliças orgânicas. A mudança de ares tem tudo a ver com a vontade de batalhar por um mundo melhor. “Tomei por base a minha saúde” – conta ele, explicando que há 12 anos não adoece, e atribui esta condição à alimentação saudável.

...é o que interessa
Quatro meses atrás, ao ler uma reportagem sobre hortaliças orgânicas, Ney Lúcio resolveu investir nessa área. Providenciou o terreno, um poço artesiano, já está produzindo couve,  alface e rúcula, montou um blog, e prepara uma campanha para defender alimentação saudável nas escolas. Endereço da horta: avenida Francisco Podboy, nº 2.025.

Brasis
(Versão 2)
 “Vamos compartilhar os cuidados que precisamos ter em relação à dengue. A situação é crítica. Vamos colaborar. Só depende de nós”.
_Texto circulando no Facebook, pelos murais de uberabenses, é assinado por Luiz Caetano Silva, de Nova Londrina, Paraná.

Tempos idos
Tem ex-ocupante de cargo na Prefeitura de Uberaba mal se segurando de tanta amargura por estar fora. E daí, dá-lhe azaração pra cima dos que venceram as eleições em 2012! Gente...em 2016 tem nova disputa municipal. É só concorrer e vencer! O eleitorado de 2012 fez uma opção e merece respeito.

Indisfarçável
Não se trata aqui, de defender e de fazer compromisso com os erros. Oposição e críticas são importantes no processo democrático. O problema é a forma como algumas pessoas se posicionam. Até as crianças de grupo percebem um “quê” de dor de cotovelo. 

Encrenca
Ex-prefeito de Uberaba, presidente municipal do PSD, deputado federal Marcos Montes, foi indicado pelo seu partido para integrar a comissão especial que analisa duas propostas em tramitação no Congresso Nacional relativas à demarcação de terras indígenas. O assunto, que há vários anos provoca polêmica atrás de polêmica, promete azedar ainda mais em 2014.

Antagonismo
Uma das propostas é uma emenda à Constituição Federal, que transfere para o Congresso a decisão final sobre as demarcações. Em contrapartida, o governo federal mandou projeto de decreto de lei, que, entre outros temas, inclui nove ministérios no processo de análise dos pedidos de novas delimitações de comunidades indígenas.