Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 22/01/2014
Bastidores
Bastidores
Bastidores

DNA - A faixa está exposta em Campina Verde, no pontal do Triângulo, e atribui ao deputado federal Aelton Freitas (PR) a paternidade da liberação da pavimentação da BR/154, que liga aquele município a Ituiutaba. Foto foi enviada a Bastidores por um campinaverdense muito irritado, prometendo fazer campanha na rede social para provar que a paternidade é mais antiga do que as pirâmides do Egito. “Quando eu nasci, esta rodovia já tinha décadas de luta pela pavimentação”, diz ele.

O comércio por dentro
Comércio varejista de Uberaba ganhou impulso em tempos recentes, mas ainda não aderiu ao associativismo como se espera nestes tempos atuais. Foi o que constatou pesquisa realizada pelo Centro de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - Cepes, instituto mantido pela Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Uberaba – Aciu, e sua FCETM -  Faculdade de Ciências Econômicas do Triângulo Mineiro. 

Impulso recente
De acordo com a pesquisa, 42% das empresas têm menos de cinco anos no mercado. E mais: 13,2% têm entre 11 e 15 anos de vida. Menos de 5% estão funcionando há mais de 35 anos. Levantamento - divulgado esta semana pela Aciu, relacionou 400 estabelecimentos, entre novembro e dezembro de 2013.

As pequenas dominam
A pesquisa constatou que 67% do comércio da cidade é formado por microempresas, 8,3% por microempreendimentos individuais e 19,5% por empresas de pequeno porte. Como era de se esperar, a maioria das empresas mais antigas são administradas por uma mesma família. Nada menos do que quase 80% são empresas familiares.

Nem tudo é perfeito
Outra constatação interessante é que o investimento em publicidade é antenado com os tempos atuais. De acordo com a pesquisa, 73,3% das empresas aplicam em publicidade. Detalhe importante: quase 20% disseram que fazem propaganda na internet. Mas, rádio e jornal impresso juntos ainda dominam as preferências. O lado ruim da pesquisa é que apenas 46% das empresas de Uberaba – e portanto, menos da metade delas, são associadas a entidades classistas. 

A fila anda
Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro – HC/UFTM, começa a selecionar as pessoas que vão submeter-se às 150 cirurgias bariátricas recém-liberadas pelo governo do Estado. Detalhe importante: elas serão feitas por videoparoscopia, uma técnica mais moderna, menos invasiva, e que, portanto, permite uma recuperação mais rápida do paciente.

Critérios
A liberação dos recursos para as cirurgias foi confirmada pelo superintendente do HC/UFTM, cardiologista Luiz Antônio Rodrigues Resende, explicando que todos os procedimentos relacionados ao assunto estão sob a coordenação do vice-diretor clínico, Juverson Alves Terra Junior, que é o responsável pelo ambulatório que cadastra os pacientes e pelo serviço de cirurgias bariátricas. “Ele é extremamente criterioso” – diz Luiz Resende, lembrando que a seleção dos pacientes que farão as cirurgias envolve uma série de exames e consultas, que vão desde psicólogos a nutricionistas.

Conquista
De acordo com o superintendente do HC/UFTM, os recursos destinados ao projeto – que somam mais de R$ 1 milhão, são uma conquista do deputado federal e ex-prefeito de Uberaba, médico e professor licenciado da UFTM, Marcos Montes (PSD). Ele conta que MM fez a reivindicação ao secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, quando este visitou Uberaba em julho de 2013, e esteve na UFTM para conhecer o projeto do Centro do Trauma do Hospital de Clínicas.

O grito das ruas
Os tempos estão mudando e precisamos acompanhar estas mudanças. Por mais que gostemos do nosso status quo, do nosso lugar comum, da nossa tranquilidade, nada pode impedir as mudanças. O grito das ruas - que ouvimos em junho de 2013, continua ecoando, e agora tem a adesão dos adolescentes (ricos, medianos e pobres). Outros grupos devem reforçar este movimento! É questão de semanas, meses, talvez. 

Adequações
Os políticos precisam adequar-se...Os empresários (shoppings e ruas) precisam adequar-se...A imprensa precisa adequar-se...Os professores precisam adequar-se...A polícia precisa adequar-se...A Justiça precisa adequar-se...Os frequentadores das redes sociais precisam adequar-se... Não podemos apoiar e justificar vandalismos, mas, com certeza, precisamos refletir sobre estas mudanças. E atenção! As eleições de 2014 podem intensificar tudo isso.

Nem tudo é o que parece
Meu maior temor se confirma com alguns comentários que estou lendo por aí: o temor de que o preconceito seja mais forte do que a vontade de adaptar-se ao novo mundo. Tem gente tratando os adolescentes que foram ao Shopping de Uberaba, sábado, dia 18, como se 100% DELES FOSSEM BANDIDOS, ARRUACEIROS E VÂNDALOS. Tenho muito medo deste tipo de preconceito, porque o futuro - e até o presente, podem nos cobrar por estes preconceitos. 

Moral da história
Sou contra qualquer vandalismo, e acho que os rolezinhos não podem e não devem servir aos senhores da guerra, mas servem para nos alertar de que o grito das ruas continua ecoando — e cada vez mais alto.

Repercussão
Deu no jornal Hoje em Dia – com base em Belo Horizonte, com repercussão na Agência Minas/governo do Estado: Minas Gerais receberá este ano três novos centros de tecnologia ligados a universidades federais. As cidades são Uberaba, Juiz de Fora e Lavras. A informação é do presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa – Fapemig, Mário Neto Borges, que disse que a escolha recaiu sobre aquelas cidades “que já possuem universidades reconhecidas como fabricantes de conhecimento, para assegurar o retorno do investimento, que pode variar entre R$ 20 milhões e R$ 100 milhões”.