Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 04/02/2014
Bastidores
Bastidores
Bastidores

ASCENSÃO -  E como antecipou com absoluta exclusividade esta coluna, o ex-vereador e ex-líder do prefeito Paulo Piau na Câmara de Uberaba, agora deputado estadual Tony Carlos, é o novo presidente do PMDB – a principal legenda da base de apoio do governo municipal. Suplente das eleições de 2010, Tony assumiu a cadeira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais em 29 de outubro de 2013 (conforme anuncia a foto de Guilherme Dardanhan), e agora conquista o comando do partido que lidera o atual projeto situacionista de Uberaba. O que vem depois?!!!

Solidariedade

SDD – Solidariedade, teve sua comissão executiva provisória reconduzida até 30 de abril de 2014. Recém-nascido e com quatro vereadores na composição, o comando do partido teve vigência encerrada neste final de semana. Executiva continua com os mesmos integrantes: os vereadores Luiz Dutra (presidente); Elmar Goulart/presidente da Câmara (2º vice); Paulo César Soares (secretário) e Samir Cecílio Filho (tesoureiro). Luiz Henrique Borges (1º vice-presidente) é o único que não tem cadeira na Câmara.

Olho grande
Uberabense Wólnei Muniz Franco – que reside em Brasília/DF, acompanha com dor de cotovelo as notícias sobre as obras de pavimentação do terreno que vai abrigar o aeroporto de cargas de Anápolis, GO, bem ali pertinho dele. “Leio sempre as notícias sobre Uberaba, e não estou vendo nada de que foi aprovado um aeroporto de cargas para nossa cidade” – lamentou ele, em e-mail enviado à redação de Bastidores. “Não se fala mais no aeroporto do Triângulo” – reclama o uberabense. 

Olho grande 2
Desde que assumiu o cargo dia 1º de janeiro de 2013, o prefeito Paulo Piau (PMDB) tem defendido a implantação de um aeroporto de cargas entre Uberaba e Uberlândia. Mas, por enquanto, o jeito é ver as obras de implantação do aeroporto de Anápolis. Com a conclusão, Goiás se tornará o segundo Estado brasileiro a contar com um aeroporto de cargas. O Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior paulista, é o único a abrigar, hoje, uma base com essa finalidade. 

Abre...não abre
Muita gente questionando sobre o funcionamento do comércio na terça-feira de carnaval. Recapitulando: caberá aos comerciantes decidirem se abrem, ou não, suas empresas, dia 4 de março. Trata-se de acordo firmado entre o Sindicato do Comércio e o Sindicato dos Empregados no Comércio de Uberaba,  que definiu o funcionamento do comércio no período de carnaval. Avaliação do Sindicomércio é de que não vale a pena abrir as portas neste dia.

Só pra contrariar...
E falando em carnaval, está certo que o vocalista Alexandre Pires é lá, da eterna rival Uberlândia, mas, venhamos e convenhamos que foi uma boa pedida a escolha do grupo liderado por ele para dar o toque festivo dia 2 de março, quando Uberaba completa os 194 anos do “Carnaval no Gás Total”. A própria banda está comemorando aniversário: os seus 25 anos de existência.

Haja fôlego!
Desta forma, o Parque do Paço promete um 2 de março de arrasar, com muita marchinha; a Banda Carnaval Brasileiro; desfile dos blocos; show com DJ, e encerramento com o SPC. A partir das 16h.

Curiosidade histórica
E afinal, vale lembrar o motivo de 2 de março ser o aniversário de Uberaba... Foi neste dia, em 1820, que dom João VI – preocupado com “o grande desgosto que sofrem os colonos estabelecidos no Sertão da Farinha Podre, por se verem privados de socorro e pasto espiritual”, baixou o decreto “estabelecendo uma freguesia, com a invocação de Santo Antônio e São Sebastião”. E, claro: mandou “fundar uma capela curada na freguesia”. 

Desenvolvimento
Avaliação dos defensores da data é de que, a criação da freguesia intensificou o desenvolvimento em todas as esferas, acelerou a ascensão de Uberaba à condição de vila, em 22 de fevereiro de 1836, e, posteriormente, à condição de cidade, em 1856. E os colonos, finalmente, puderam fazer suas orações, sem precisar viajar “60 léguas, até a freguesia do Desemboque”.

De Beraba...
E o pessoal que chama Uberaba de Beraba não está assim tão longe da realidade. De acordo com texto do Arquivo Público, até 1820, o arraial era conhecido como Santo Antônio do Beraba, “conforme verificado no proclama de casamento de Antônio Joaquim da Silva e Anna Josefa Reis, afixado, em 1816, na porta da Capela de Santo Antônio do Beraba, (atual Centro de Cultura José Maria Barra)”. 

...a Uberaba
O mesmo texto diz que, “de 1820 a 1836, a agora freguesia passou a se chamar Santo Antônio e São Sebastião de Uberaba. De 1836 a 1856, chamou-se Vila de Santo Antônio de Uberaba e, finalmente, Uberaba, a partir da elevação à cidade, em 1856”.

As almas
E quando se tornou freguesia, em 1820, Uberaba tinha “1.300 almas” – de acordo com manuscrito datado de 1824/1826, do “cônego Antônio José da Silva”, o Vigário Silva, duas vezes  presidente do Legislativo e agente-executivo de Uberaba (o que corresponderia ao cargo de prefeito). No posto de primeiro clérigo da cidade, ele registrou a história local sob o título: “História Topográfica da Freguesia de Uberaba, vulgo Farinha Podre”...

...do vigário
O manuscrito deste registro – com a previsão da data, foi cedido ao Arquivo Público Mineiro, pelo polivalente português Antônio Borges Sampaio – que chegou em Uberaba na década de 1840 e desempenhou uma série de atividades, até se tornar coronel, vereador por 30 anos, historiador e jornalista, atuando como um dos principais correspondentes brasileiros do Arquivo Público Mineiro.