Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Bastidores

ACESSIBILIDADE: A A A A
Bastidores 12/02/2014
Bastidores
Bastidores
Bastidores

CORAÇÃO EXPOSTO – A paixão e os cuidados com os animais conduziram Denise Max a uma cadeira na Câmara de Vereadores (Foto: Enerson Cleiton)

Drama revelado

Revelando ter sido vítima de violência doméstica, a 2ª secretária da mesa diretora da Câmara Municipal e coordenadora/voluntária da Sociedade Uberabense de Proteção aos Animais – Supra, Denise Max, defendeu ontem, a implantação de uma casa-abrigo em Uberaba para mulheres vítimas de violência. Requerimento de sua autoria foi aprovado em plenário e será encaminhado ao prefeito Paulo Piau (PMDB).

 

Bom começo

A vereadora lembrou que, na semana passada, participou da inauguração do Centro Integrado da Mulher – CIM, sede de três organismos importantes: a Coordenadoria de Políticas Públicas para Mulheres, o Centro de Referência da Mulher e a Delegacia da Mulher. Denise Max elogiou o projeto, mas refletiu que, para que ele tenha uma boa eficácia, faz-se necessário uma reformulação.

 

Adequações

Além da casa-abrigo para receber as mulheres que denunciam a violência doméstica e não podem voltar para suas residências, a 2ª secretária da Câmara pediu mudanças no horário de atendimento do CIM. De acordo com ela, a Delegacia da Mulher funciona em dias de semana e até às 18h. “Sei, por experiência própria, que é justamente nos finais de semana e após às 18h, que acontecem as principais violências domésticas; é quando os companheiros saem para beber e voltam agressivos para casa” – expôs a vereadora de 59 anos de idade.

 

Plenitude

Denise Max disse não ter dúvida de que o CIM é um bom começo e demonstra a vontade política do atual governo em investir na segurança da mulher. Mas, pregou que uma proposta tão importante seja realizada em sua plenitude. “Temos que oferecer o atendimento por inteiro” – disse a vereadora, que chegou a ser vítima de cárcere privado, permanecendo durante três dias sob a mira de uma arma de fogo.

 

Nostradamus

Depois de “prever”, no ano passado, a ascensão do então vereador Tony Carlos (PMDB) a uma cadeira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, ontem foi a vez de o vice-presidente da Câmara, Paulo César Soares (SDD), anunciar o colega Samuel Pereira (PR) como “futuro deputado estadual” ao passar a palavra a ele, em plenário.

 

O líder

Apesar da inexperiência na função, o presidente do SDD/Uberaba, vereador Luiz Dutra, já está dizendo a que veio na liderança do prefeito Paulo Piau. Desde que o ofício do secretário de Governo, jornalista Wellington Cardoso Ramos, chegou à mesa diretora da Câmara anunciando que Dutra é o novo líder, o vereador tratou de dar os primeiros passos: o liderado posta nos murais do Facebook, e Dutra faz questão de compartilhar.

 

No ar
Enquanto isso, a colega jornalista Karla Borges – assessora de imprensa do Sindicato os Produtores Rurais de Uberaba, comemora o lançamento do novíssimo e belo site da entidade. E convida os produtores, os amigos, os colegas da imprensa e os parceiros do SRU para uma passadinha de olhos no espaço virtual (www.sru.com.br).

 

Visão

As imagens feitas pelo fotógrafo oficial Wellington Pedro da audiência do governador Antonio Anastasia (PSDB), ontem, no Palácio Tiradentes, com a comitiva de Uberaba, liderada pelo prefeito Paulo Piau, são dignas de entrar para os anais da história política da cidade. Vale prestar atenção na variedade posta ao redor da mesa.

 

“1ª obra”

Enquanto o prefeito, em Belo Horizonte, liderava uma comitiva de ficar pra história; em Uberaba, alguns vereadores não poupavam reclamações, em plenário, na segunda sessão de 2014, ontem. O vice-presidente Paulo César Soares fez discurso inflamado, na tribuna, pedindo a construção de um viaduto em sua base eleitoral. E sempre fazendo questão de chamar o viaduto de “primeira grande obra do prefeito Paulo Piau”...

 

“500 obras”

Animado com o discurso do colega, o ex-líder do então prefeito Anderson Adauto (PRB) na Câmara, presidente do PROS/Uberaba, Cléber Humberto Ramos, pediu informações sobre as 500 obras anunciadas pelo governo Paulo Piau no balanço relativo a 2013.

 

Guarda

Mas, no final das contas, sobrou mesmo, em plenário, foi para a Guarda Municipal. Vários vereadores, inclusive alguns mais tranquilos, lembraram que a GM foi criada com o objetivo de proteger o patrimônio público, mas, que, desde o governo passado, tem sido mera aplicadora de multas de trânsito. Enquanto isso – recordavam os vereadores, o patrimônio público de Uberaba tem sido depredado de forma recorrente.

 

Notado e anotado

Os vereadores perderam sim, uma boa oportunidade para demonstrar sensibilidade com as revelações feitas pela colega Denise Max. Com raríssimas exceções, e ainda assim, sem qualquer comentário que merecesse repercussão, os homens da Casa praticamente ignoraram a história de violência doméstica narrada pela única representante feminina na legislatura 2013/2016.