Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Chic&Choc

ACESSIBILIDADE: A A A A
Fabiana Silbor 20/04/2014
Fabiana Silbor
fabianasilbor@gmail.com
Chic&Choc por Fabiana Silbor

Bem vindo!
Bem vinda!
Será que no meio de tanto feriado, programa de índio e chocolate, alguém vai lembrar do verdadeiro sentido do renascimento?
Espero que sim!

Pensar é bom
Assim estava escrito: sou feliz com a diversidade. Para quem aprecia a simplicidade, o ápice é a transformação. Será assim a partir deste domingo e enquanto essa construção se faz acredite: podemos ser melhores juntos.

Preguiça de um povo da Zebulost
E por falar do que vai lotar seu ‘closet’ a regra número um contra a cafonisse é: liberte-se, já, da inveja a tiracolo! Desapego gente! Cuidar da própria vida é um caviar beluga!


Reclamando para sempre

Uberaba tem galerias de arte. Livrarias. Café. Tem prédios lindos inspirados pelos fatos anônimos da história. Museus, mercado, feiras. Mas para os que ainda persistem em exaltar as hipocrisias dizendo que Uberaba não tem nada vai para Peirópolis: De dinossauro para dinossauro...

Eleição difícil
Depois da eterna polêmica, importantíssima, para a nobreza de uma sociedade como a nossa, ficou definido: a língua é mesmo, o músculo mais forte do nosso corpo.  E se fizessem um concurso na Zebulândia?!
Por tese, quem mais usa, mais forte fica.
Competição acirrada: quem levaria o troféu?
Você tem alguém para indicar?


Santo virtual

Essa é a nova figurinha (bajuladora) repetida da Internet.
Derivados do “puxa-saco” ficam de plantão para falar bem dos candidatos à faixa em 2014. O ano político mal nasceu e ninguém sabe se vai dar menino ou menina. Androgenia está na moda na política do UAI.
O trabalho é digno (até necessário), mas, falta profissionalismo.

Trote que constrange
Muita gente se diverte vendo novatos em Instituição de Ensino Superior usando apetrechos, no mínimo, exóticos. Mas nem todos acham graça na tradição. Reservado o direito de expressão, é certo que, andar pelas ruas com o sol a pino usando capas, chapéus e tal, é pouco animador. Ridicularizar, ato comum da cultura ocidental, em nada tem de promissor. Inserir com responsabilidade social integrando a comunidade e transformando os famigerados ‘trotes’ se trocados por acolhidas, verdadeiramente, significativas seria mais fácil, interessante e definitivo. Desse, o atual, ‘espetáculo’ nem todos gostam, concordam ou gostariam de participar.


Reação nas repartições

Ficar da pá virada é bom, assim não acumula, afinal quem fica sempre à disposição encontra alguém disposto a fazer usufruto para limpar as sujeiras. No mais, funções novas nos conduzem a encontrar outras possibilidades para servir. Gente que rascunha demais, que pensa demais, que aceita demais, quando reage causa estragos demais! Há na decisão de reagir um tom de amor que só entende quem paga os preços de ser transparente, mesmo que incompreendido, incomode os equivocados.

Presente de Páscoa
Quando leio essa frase “vamos beber porque amar está difícil” penso que as pessoas, que viveram grandes histórias de sucesso, jamais a teriam dito. Nem é, somente, pela apologia ao álcool, mas pela fuga que ela simboliza.


Queremos um sentir prático, feliz em tempo integral e que nos deixe em paz. O amor não cabe nessa receita. Amar está, é e sempre será difícil. É o óbvio: trata-se do encontro de estranhos que aceitam o desafio de se unirem como fonte de crescimento e oportunidades.

Merecemos a felicidade, mas temos que escolher qual e assumir. Há muitas formas de ser feliz na solidão. Mas, conviver com gente exige uma confusão de acontecimentos. É um eterno desalojar. Entra dia, sai dia, e sempre, algo novo, bom ou ruim, acontecerá.

Quando somos obrigados a aceitar que a vida é muito mais do que se embebedar dos próprios egoísmos, deixamos de lado a preguiça de se relacionar com diferentes e nos posicionamos: o sim é uma questão de escolha e de querer.

Então, se escolher a solidão seja feliz sem incômodos. Mas se escolher amar alguém prepare-se: é perfeito, mas é difícil! Me indique alguém que conseguiu ter tudo! Quando se escolhe um, perde-se o outro. É preciso parar de se fazer de vítima.


Chic e Choc é um espaço de valorização da arte. A coluna sempre traz as criações dos grandes gênios da fotografia de Uberaba. Hoje a homenagem ao Alysson Oliveira que foi um dos destaques na mesa redonda do Wedding Brasil 2014. Ele contribuiu com a grande oportunidade de entender o contexto da fotografia de casamento no Brasil. Parabéns!
Nós ficamos com as criações desse talentoso artista e sua equipe.

A vida nem sempre é justa, estamos na corda bamba e às vezes a gente cai. Mas todos nós somos maiores que os nossos erros.  Quem pensa que pode ter o privilégio de amar e ser amado sob o acordo de uma relação onde se tem tudo o que se quer, está fazendo negócios e não amor.

Bjxxx! Feliz Páscoa