Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Chic&Choc

ACESSIBILIDADE: A A A A
Fabiana Silbor 15/06/2014
Fabiana Silbor
fabianasilbor@gmail.com
Chic&Choc por Fabiana Silbor

Bem vindo!
Bem vinda!
Gosto muito de gente que assume o que é!
Tenho profunda preguiça de gente falsa. Fingidores profissionais.
Faz de bonzinho, mas é uma cobra!
Faz de moralista, mas é a periguete de plantão.
Faz de pessoa iluminada, mas vive de inveja, fofocando, fazendo papel de apagão!
Faz de vítima, mas é chefe dos puxadores de tapete da nação!
F
az de competente, mas vive do trabalho alheio e dos conchavos com os fracos.

Gente que se prostitui de graça para ganhar o que não se compra.
Que aproveita das fragilidades, das carências, das inseguranças alheias para se promover.
Gente que explora e se faz de santo a custa de dores e investimentos dos bons.
Não é pela roupa que veste.
Pela profissão que exerce.
Por causa das vitórias de engodo conquistadas...
Que se disfarça a falta de caráter!
E antes que alguém pense que o texto tem algo haver comigo, saiba: tem, sim!
Comigo, com você, com todo mundo que prefere uma vida honesta e real!
Se é para manifestar, o meu repúdio é contra esse tipo de gente.
Apesar de ter quem adora ser assim e viver assim.
E é verdade: todo mundo tem o direito de ser o que quiser.
Mas tenha dó!
Vá lá e se assuma como tal.
Aí perde a graça?
Bom é mentir? É provável que continue a dar ibope.
Afinal, como diz o bom mineiro: “gente boba e estrada velha não acabam, nunca”!
Então, posso apostar que esse tipinho vai continuar...
Mas tem outra coisa que mineiro, também, fala: “o que se planta, se colhe”!


Posse solene dos integrantes do IGN – instituto de gestão e negócios “Fidélis Reis” realizada na lindíssima Casa do Folclore tendo como anfitrião o inteligente e visionário Gilberto Rezende. A foto registrada pela competente Rose Dutra traz Marco Antônio Nogueira, Inara Barbosa, Sílvia Denise, Marcelo Palmério, César Augusto, Manoel Rodrigues, João Rodrigues, José Eustachio Bueno que ladeiam o Conselheiro das duas Entidades UNIUBE e ACIU Gilberto Rezende
 

Sabe de nada inocente

A abertura da copa ensinou uma lição que serve como carapuça para Uberaba: o imbecil ditado de que “santo de casa não faz milagre”. Aliás, se tem um que pode fazer, é o de casa mesmo. Temos visto uma invasão de estrangeiros para oferecer resultados que nunca acontecem. A coreografia (horrorosa) da abertura do mundial, que era para ter sido um show, mostra bem que o ato de continuar tratando mal ‘os filhos da terra’ continuará a custar caro. Mas esse prejuízo não se contabiliza porque o dono do dinheiro late, mas não morde.

 

Espelho para o povo

Os falsos gurus chegam fazendo um espetáculo e prometendo o impossível em um cenário de ilusão. Se jogar a lona nesse povo vira circo automaticamente. A história já mostrou o que os 'colonizadores' ofereceram para o Brasil. Que vergonha alheia dos brasileiros que fazem parte desses núcleos e aceitam as regras desse jogo falido de intenção, criatividade e consideração.
 

Dívida sem fim

Quem se vende fiado (e são muitos) deve dormir com algum buraco no coração. Claro que, para muitos, esse preço é bem inofensivo perto das altas cifras pagas, mas a vida, ah... Essa tem destino certo. E essa construção viver de ouro de tolo é uma das maiores corrupções.


Ainda repercute o evento organizado por Tetheuss Rodrigues com a Sex Choach, striptóloga, educadora sexual, Tarciana Chuvas. Quem foi tem altas histórias para contar e o assunto se transformou em obrigatório entre as mulheres poderosas da Zebulândia. Inovação desse empresário que ganhou destaque com a ideia e a organização! Quenteeee!
 

Que comecem os jogos (mortais)

Reviravoltas nos bastidores de Uberaba. Tem gente, literalmente, possuída com as novidades que devem explodir essa semana. Sinceramente, não sei por que tanta indignação com as mudanças que os ventos políticos adotaram. Eu mesma já tinha dito aqui, no ano passado, que a tendência era essa. O óbvio, sempre, é mais difícil de ver!
 

Arquivo sem memória

Uberaba tem perdido figuras públicas importantes sem documentar suas trajetórias, memórias e biografias. Os pioneiros da terrinha têm partido com apenas um adeus. Penso que a falta de interesse por esse arquivamento está atreladíssima a tudo que o passado esconde e que muita gente quer que fique morto e enterrado.

 

Braços cruzados

Mais greve! Pelo menos são as ameaças de setores importantes de segurança pública, educação e saúde em Uberaba. Historicamente, as manifestações, válidas têm oferecido resultados pequenos diante das necessidades anunciadas nesses segmentos. O entendimento de que a paralisação é um modo de reivindicação parece bem ignorado.


Bia Adriano é sempre muito elegante. Agora, ela comemora mais uma vitória: a abertura da empresa "Bia Adriano Mimos personalizados". Especializada em lembranças personalizadas para qualquer ocasião, Scrapbooking e Scrap Festa. Na foto de Paulo Lúcio uma das belas criações da artista. Trabalho que merece ser valorizado e recebido com entusiasmo. Tudo pensado nos mínimos detalhes. Parabéns para a bela e muito sucesso, sempre!
 

Do jeitinho que eles gostam

O dia dos namorados numa analogia romântica foi abatido pela abertura da copa. Pela primeira vez, a celebração dos apaixonados teve outro ritmo. E deu certo: mulheres com novas identidades e homens adorando a oportunidade de juntar as três paixões nacionais. 

 

Uma vela de 70 dias

Santo Antônio foi o mais badalado da semana que passou. Apesar do número de casamentos em Uberaba ser astronômico, o povo da terrinha fez voto, promessa e pagou penitência. Tudo para garantir o milagre. A busca pelo par é eterna e nunca sai de moda.
 

Movimento fraquinho

Apesar do incentivo da prefeitura e de alguns empresários mais empreendedores, os bares não atraíram tantos consumidores para o primeiro jogo do Brasil. Parece que o uberabense preferiu reunir a galera em casa, mesmo. Também, com os cardápios, preços e atendimentos de alguns lugares, melhor ficar no conforto do lar!


Torcida super organizada do Jornal de Uberaba prontinha para torcer no próximo jogo para mais um vitória. Lindos! Competência e alegria para a veiculação de grandes notícias.

Subiu e desceu na semana

Aplausos de pé para o pai que buscou o filho em São Paulo durante ato considerado como arriscado zelando pela segurança do adolescente. Vaias para as celebridades que ganham dinheiro à custa dos fãs e colocam seguranças para agredir a imprensa impedindo a mídia de trabalhar.

 

Pergunta que não se cala

E como estão as condições de trabalho e a qualidade de vida dos policiais que deixaram suas casas para ficarem alojados em ambientes, no mínimo, improvisados para trabalhar pela 'segurança' durante a copa? Numa democracia, em um país com leis tão bem estabelecidas quem está 'olhando' os direitos dos militares e outras dezenas de categorias que estão numa atuação exaustiva e sob risco para garantir a 'festa'? Como, também, por exemplo, trabalhadores da construção civil?

 

Que preguiça

A manipulação das massas é uma arte tão simplória que chega a entediar de tão previsível. Alguém tinha dúvida que fariam um levante para ofender a Presidenta? Que a violência teria mais manchete que o espetáculo? Que seria uma avalanche de críticas e reclamações, mas nenhuma atitude consistente para mudar a realidade? Algo novo desde a invenção do grito do Ipiranga?


Em homenagem ao dia dos namorados a lindo casal clicado por Alysson Oliveira. Ah! O amor, sempre, será o melhor, o maior, o grande motivo... Parabéns!

Dinheiro compra quem se vende

Feriado prolongado fará a semana mais curta. Jogos entreterão os brasileiros e assim junho caminha para o fim! O primeiro semestre de 2014 fecha o balanço econômico sob comunicações veladas. Sigilos explícitos para qualquer um que conhece a regra da matemática. Dívidas acumuladas em longo prazo e um blecaute econômico mais do que previsível para uma era onde o capitalismo fez a maioria perder a vocação para humanizar. Tornar-se uma coisa é tendência crônica.

 

Bom domingo!

Que seus dias estejam bonitos. Daqueles feitos de doçuras e intensidades que nos conduzem...

Obrigada pela sua coragem. Sua entrega.  Sua força feita de tantas fragilidades em mosaicos.

Nada posso conceber de ti. Apenas, que alguém que tenta traduzir minhas letras é grande companhia.

Nas composições de textos que ora são avalanches, ora trampolins.

E me atrevi a pensar quais são as partes da vida que, realmente, nos param?

A morte com certeza é um delas. Outra, talvez, uma doença crônica.

Mas que outra parte não permitiria um negociar?

A vida é lotada de intervenções. Os manejos vão reinventando possibilidades.

Sabe, penso que o descuidar, o egoísmo, a falta de amor próprio são elementos para essa receita que leva à falta de chance. Poderíamos intervir antes da fatalidade. E muito, e sempre, e seria bem melhor, assim...

O desapego me vem tão intenso como sinônimo de fracasso.

Querido leitor não desista. Nem de mim, nem de você, nem de nós. Essa imensidão de gente feita de tantas riquezas e pequenezes que encontra nas suas composições um trilhar.

Tenho medo desse caminho feito de uma chance só! Penso que nossa maior celebração está no tentar de novo. Acreditar. Compreender que somos tantos, por vezes, somos nossos próprios inimigos e precisamos tanto de encontrarmos companhias para esse ato de existir...

Reconheço que tudo tem um tempo. A natureza ensina os ciclos e o universo que o ato de continuar vem de um eterno depois do fim. Mas, por favor, passe um GPS no seu coração e encontre uma rota que a conduza e que, por carona, nos leve, também, ao esperançar.

Bjxxx Silbor!