Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Chic&Choc

ACESSIBILIDADE: A A A A
Fabiana Silbor 26/10/2014
Fabiana Silbor
fabianasilbor@gmail.com
Chic&Choc por Fabiana Silbor

Bem vindo!
Bem vinda!
 É hoje! É hoje!

Espelho, espelho!
Ó Pátria amada
Salve! Salve!
E mais uma vez a história se repete: alguém leu o plano de governo? E quem criou uma comissão para fiscalizar se a promessa será cumprida? E sobre as formas de gestão? Reformas? Principalmente a tributária? Mas esses e tantos assuntos morreram no esquecimento diante de uma odisseia de inquietudes sobre pormenores que não são indicadores de competência. A análise morreu no domínio dos ataques pessoais. E assim, seguimos bem mais preocupados com a vida privada do que com a edificação de um debate honesto sobre as necessidades coletivas. Se dessa forma permanecer, seja qual for a vitória, ela vai mesmo é apontar a continuidade do “apartheid” feito rivalidades que relavam que estamos cada vez mais longe da igualdade e do respeito. Nesse ritmo, o ganhar, seja de quem for, permanece endividado por uma dialética de ilusões e vai repetir a máxima que domina há gerações: loteamento de interesses. Eu, ainda, acredito que vai nascer o verdadeiro entendimento sobre o que significa apertar um botão.


Linda Nancy e o visionário jornalista Fabiano Fideles celebram mais um ano de prosperidades, alegrias e grandes projetos. Aniversário que marca o arrojo e o empreendedorismo desse destacado empresário

Ainda caem cinzas do vulcão semanal
Gente, você viu que semana borbulhante? Arrasou! Até chuva teve. Que maravilha. E nos bastidores políticos avolumaram convulsões bombásticas e promessas movimentaram os egos da Zebulândia. Já disseram e acertaram: “Quer conhecer a criatura, dê poder”. Dito e feito! Os mais divertidos são os ‘encostos’. Política tem cada ‘entidade’ que nem despacho resolve. A falta de senso beira à expressão da loucura.

No caminhão de mudança
Tem autoridade de cargo de confiança fazendo ‘merchandising’ para condomínio. A falsidade da criatura é tanta que se apresenta como um estandarte em defesa dos direitos do cidadão, mas faz a linha ‘Kátia Cega’ para as irregularidades do local. Interessante é que a pessoa, também, é cliente do lançamento imobiliário, tem terreno e tudo. Uai!


Raíssa Veloso sob os ângulos de Francis Prado
 

A bonita Marise Romano revela o estado de graça de Maria Eduarda Perpétua Silva Trida esperando por Maria Luiza. Felicidades nesse momento de grande amor
 

Vaidades voantes
E o melhor lugar para ver a hipocrisia desfilar foi o aeroporto. Credo! Com uma semana tão movimentada, muitos organizaram viagens para marcar presença, lamber botas e levar os pires para encher de ouro de tolo. Como o local é um ovo, ficaram inevitáveis as topadas constrangedoras. E é um espetáculo como disfarçam bem os desprezos! Nossa, as novelas perdem atores tão bons para a política.

Batendo de frente
Essa inversão de ruas tem deixado mais do que GPS loucos. Apesar do trabalho do setor, que informa pela mídia, com panfletagens e sinalizações, o uberabense acostumado com o que nunca mudou entra, toda hora, na contramão. Ocupados em falar ao celular, brigar, paquerar, enfiar o dedo no nariz, alguns motoristas mal tem tempo de lembrar que placas servem para alguma coisa. Aff!


A fotógrafa Ruth Gobbo em momento mágico de adoração pela vida

Mariana Barbosa, Daniela Peres e Bia Corrêa fizeram um tour pela Europa. Bonitas enfeitando o velho mundo

Cardápio do terror

E o tal do pão com cabelo? Você não soube? Foram servir uma comidinha para esse tanto de poderosos que circularam por aqui. E na roda estavam requintados que se acham. Nada, nada, um figurão pegou um quitute e depois da primeira mordida foi tirando aquele fio da boca, bem tipo truque de circo, sabe? Na hora, uma oferecida, figurinha repetida, pegou um copo de água e um guardanapo e quase enfiou o negócio goela abaixo do homem. Nem esperou ele puxar o fio todo... Rs. Será que foi ‘sorteado’ ou foi um fio ‘grampeado’. Afinal, nem só de grampos vivem os telefones, os cabelos, também (aí, ficou péssimo, mas valeu o sarro).

 

“Nóis trupica, mas num cai”

A série de tombos transformou a semana numa ‘cacetada’. Uns caíram, mas do chão não passaram. Foi por causa do empurra-empurra, oba-obra das passeatas. Desespero para aparecer na self! Mas bom mesmo foram os tropeções que provocaram quedas no mexe-mexe dos aliados. Com dois grupos tão fortes na disputa, o que teve de nocaute, uau! As histórias rendem seriados de vários capítulos.


O músico Antônio Fábio Ribeiro em um de seus dias de inspiração

Ninguém merece

Graças que acabaram as obrigações de ficarem com aquelas bandeiras pela rua. Da próxima vez, independentemente do partido podia treinar o povo que segura a bandeira porque, sinceramente, o que foi isso? Tinha gente com duas bandeiras e com uma cara de ódio... Será que ninguém percebe que esse tipo de estratégia serve para animar o eleitor e não assustar? Um dia de desmanche dos canteiros, tinham operários e máquinas arrancando coqueiros e um grupo no meio da confusão com as bandeiras! E as latinhas de cimento para segurar? Nem para por um adesivo, pintar, sei lá. Pegou lá no lixão e concretou o candidato para o vento não derrubar... Ai, ai.

 

Então é natal...

E quem pensa que hoje acaba... “Sabe de nada, inocente”. Vai ser depois do resultado que o ‘bicho vai pegar’. Pode esperar que até o velhinho de vermelho (antes que você confunda ou faça uma piadinha, estou me referindo ao papai noel) dominar com suas ilusões capitalistas o ideário popular, eleições continuarão a ser o tema da nação. Na internet, então, é só o que vai rolar. Mas a Simone já, já, vai começar a cantar...


Foto fabulosa de Kiko Pessoa mostra momento de descanso do escritor guerreiro, Tiago de Melo Andrade e sua grande companheira nos momentos incríveis de leitura. E que venha a FLU edição 2015 abençoada pelo talento desses geniais criadores

Viva a Democracia!

E que você reconheça o que significa viver, para compreender a força de uma decisão. Beijos!