Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Chic&Choc

ACESSIBILIDADE: A A A A
Fabiana Silbor 09/02/2015
Fabiana Silbor
fabianasilbor@gmail.com
Só na malandragem

onversa entre dois produtores rurais chamou atenção para um problema antigo que abala o agronegócio: o calote. Em todas as áreas cresce o número de gente que compra, mas não paga. 

onversa entre dois produtores rurais chamou atenção para um problema antigo que abala o agronegócio: o calote. Em todas as áreas cresce o número de gente que compra, mas não paga. 

Os médicos Luciano Santiago e Francine Gelo Santiago com o máximo amor com o lindo Bernardo. Um momento de ternura e aconchego que expressa os valores dessa bela família. Doutor Luciano Santiago é uma referência em pediatria, sendo um dos pioneiros e mais determinados lutadores pela causa do aleitamento materno. Muitas felicidades e mais amor, sempre! A foto é de Francis Prado que tem desenvolvido um trabalho muito bonito com as famílias. A criação de uma nova percepção sobre o retrato é obra de arte dessa especialista.

Tetheus Rodrigues é o grande anfitrião do dia 11 de fevereiro, no Teatro Vera Cruz, às 19 horas, onde apresentará mais um evento sensacional com Tarciana Chuvas. A mais famosa Educadora Sexual, Consultora de Artes Sensuais, Striptóloga e Sex Coach volta a Uberaba e deverá reunir centenas de pessoas. Parabéns para o importante idealizador que desenvolve um trabalho que destaca como uma inovadora maneira de encarar os desafios e debater questões importantes como a qualidade da vida sexual.

Belíssimos Mike Soares e Gy Martins! Eles formam um dos casais mais lindos de Uberaba, não só pela estética, mas também, pela elegância nas atitudes. Os dois celebram com a família e os amigos o momento especial do noivado. Parabéns! Que tenham dias incríveis de amor, sucesso, 
felicidade e saúde. 

Bem vindo!
Bem vinda!
Viva o domingo! Viva!

Só na malandragem 
Conversa entre dois produtores rurais chamou atenção para um problema antigo que abala o agronegócio: o calote. Em todas as áreas cresce o número de gente que compra, mas não paga. Entretanto, nesse meio muitas negociatas são feitas sem o rigor da burocracia e isso impacta de maneira definitiva, até mesmo, nos valores de quem atua no segmento e na geração de divisas. O papo dos dois referia-se à compra de garrotes em nome de produtores respeitados que sequer sabiam das abordagens comerciais feitas. Para conseguir a façanha os espertos fazem relações (são atravessadores) de compra e venda com os pecuaristas. Compram em conjunto, inicialmente, para revender. Depois de um certo tempo começam a fazer as rodadas sozinhos e passam a utilizar, sem o conhecimento, os nomes do ex-parceiros. Já foi o tempo em que um fio de bigode afiançava as relações. 

Garantia do carro
É impressionante a variedade de tabelas para revisão dos carros nas concessionárias de Uberaba. Especialista do ramo explicou que a diversidade atribui-se à várias razões. Tem haver com as mais óbvias como modelos e tal, mas também, com o que é feito pela Empresa. Dizem as boas línguas que, em alguns lugares, nem a troca, realmente, do óleo é realizada. A variação do preço praticado na autorizada e em empresas que oferecem o mesmo serviço é outro disparate: às vezes ultrapassa 100%. No oba-oba do ego tem muita gente que compra o possante sem levar essas “continuidades” em consideração e quando vê já está em situação, inclusive, arriscada. Afinal, depois de passar por um procedimento desses, o mínimo que se espera é segurança na direção.

Abandono é crime
O acesso à medicamentos, alimentação e tratamento para os animais em Uberaba é literalmente artigo de luxo. Na verdade, em todas as regiões. Mas sendo a cidade referência em formação de profissionais na área espera-se iniciativas de educação ambiental e social que contribuam para a compreensão da super população de bichos na humanidade. Para os animais domésticos, por exemplo, como cães e gatos, consultas e exames são oferecidos, apenas, de maneira particular. É óbvio que o pagamento é importante para validar várias questões: de custos às valorizações dos procedimentos em saúde, todavia, pouco se vê de investimento nos valores arrecadados para campanhas ou iniciativas de formação populacional para a criação responsável dos bichos. O número de animais abandonados é grande.

Estacionamento de ouro
Depois de manter por anos, tornando-se, inclusive herança de geração em geração, os especuladores dos terrenos nos centro de Uberaba, agora, confirmam a supremacia, que para alguns é uma expressão visionária. Depois de manter por mais de um século lotes vagos, agora, todos se tornaram estacionamentos. Lucro certo com os preços estabelecidos com base, apenas, na concorrência, esses estabelecimentos tem muitos desafios. Um deles é efetivamente garantir a segurança dos veículos. Normalmente, fica uma só pessoa atendendo no local. O dono estaciona e se o veículo for furtado ou se sofrer algum avaria, essas empresas vão se responsabilizar? Esses dias um proprietário foi abordado por ladrão armado dentro de um estacionamento. O carro foi roubado. E aí? Por sorte o larápio não sabia dirigir direito e abandonou o veículo quarteirões depois...

Precisa melhorar
Conseguir um táxi em Uberaba é uma luta. Começa com a dificuldade de atendimento ao telefone. Dependendo do horário é preciso ligar várias vezes até ser atendido. Quem quiser manter a pontualidade tem que pedir com antecedência máxima porque além de demorar, tem todas as adaptações que colocam lentidão em trechos impossíveis de evitar. Muitos carros estão sujos e a falta de educação dos motoristas é absurda. Alguns nem se levantam para receber o passageiro, ouvem som alto e até falam ao celular. Quem depende do serviço de madrugada nem sempre consegue e apesar de um certo “tabelamento” no preço, alguns cobram valores diferentes pelas corridas. Pensando que esse é um serviço que sempre foi muito importante e será cada dia mais requisitado, a Empresa que decidir investir em qualificação, treinamento, melhoria dos serviços vai ter uma explosão de crescimento nos negócios. Em São Paulo, por exemplo, o uso de aplicativos rege a logística dos taxistas e funciona bem. Claro que existem profissionais sem escrúpulos em todo lugar, mas em média, o atendimento precisa ser bom.

Sem luz
Novos apagões durante a semana que passou afirmam a previsão de que em muitos dias vamos ficar no escuro. Apesar do silêncio sobre o abastecimento de água, estudiosos estão apavorados com as probabilidades reais de falta de energia para 2015. Escolas, hospitais, empresas de atendimento ao público podem se preparar para acender os lampiões. Com uma tecnologia crescente, quase que exclusivamente amparada no só meio energético, o escuro pode será um apagão, também, na economia. Apesar de alguns célebres já discutirem esse assunto há décadas, a maior parte da população segue sem consciência em diversos aspectos abusando de recursos que estão no fim. Mais uma vez a conversa mais antiga do Brasil segue atual: sem critérios racionais e objetivos para eleger representantes, a população sacramenta com seus votos sua própria perdição ao continuar a escolher alguns políticos interessados em especializar-se em corrupção garantindo a própria vida sob a nuance do poder deixando à míngua as próximas gerações.

Pelo repúdio ao assédio moral
Amanhã é dia do Zelador. Apesar do nome ser utilizado para destacar profissionais de acolhimento e gestão em portarias, é importante repensar a relação que temos estabelecido com os profissionais que ‘zelam’ pelo patrimônio profissional e pessoal. É um absurdo que a essa altura, ainda, tenha certo tipo de gente que ignora e humilha trabalhadores. Com descarado assédio moral, certos ‘patrões’ gritam, ameaçam e geram situações de abuso e constrangimento. Que gente grossa é mal amada é fato. Mas esse tipo de ‘coisa geniosa’ precisa ser detida pelas auroras legais. “Dura lex, sed lex”. Relações de confiança e lealdade são impagáveis. Que dirá ficarem à mercê desse despreparo de criaturas que descontam os desafetos em quem está trabalhando. Isso acontecia no passado e naquele tempo era preciso aceitar, hoje não mais. É preciso decretar o fim de certas atitudes que mascaram essa visão coronelesca de escravidão moderna. Justiça seja feita.

Tem trocado?
Colo, dengo, cafuné, sorrisos, carinhos, um tempo a mais com quem se ama...
Sentar para ouvir, olhar nos olhos, desenhar um poema, abraçar, agradecer...
- Quando é que se marca hora para isso?

Sim. A gente tem vivido de muitas esmolas.
Estamos trocando tesouros por ilusões. 
Cuidamos primeiro das coisas urgentes e deixamos as importantes para depois.
E como o momento certo é agora perdemos o rastro da felicidade nos ocupando de compromissos estranhos para sobreviver.

E assim, vamos trocando o essencial pela necessidade.
Esquecemos que só temos o hoje.
O amanhã talvez. 
Sim, temos trocado!
Se compreendêssemos o quanto a vida é breve transformaríamos nossas atitudes.

Beijos! Bom domingo. Fabiana Silbor