Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Chic&Choc

ACESSIBILIDADE: A A A A
Fabiana Silbor 12/07/2015
Fabiana Silbor
fabianasilbor@gmail.com
Chic&Choc por Fabiana Silbor

Bem vindo!
Bem vinda!
É sempre difícil, enquanto se vive ter certezas. Elas só vêm depois. E quando já é esse o tempo, nem sempre nos orgulhamos de nós mesmos. E isso é o tem que mudar. O melhor que podemos dar a alguém é o que somos.

 

Bichos no condomínio

E a questão do Bosque? Onde estão os ambientalistas para discussões interessantes e viáveis? Com identidade de “Zoológico” o local tem questões importantes. Alguém?

 

Sobras úteis

Empresas de atacado e varejo que vendem perecíveis poderiam ser parceiras para melhorar a qualidade da alimentação de algumas Instituições Filantrópicas. Já viram quanto desperdício em alguns varejões e, até mesmo, em alguns pontos do Ceasa?

 

Aprendemos a respeitar nossos sentimentos, valorizar as pessoas que nos amam e assumir as responsabilidades pelas mudanças que precisamos fazer para vivenciar o momento presente, agradecendo quem nos ajuda a evoluir, por meio das relações e nos tornando tudo o que sonhamos ser. Acreditar é bom começo. Pedir desculpas e perdoar, também!

 

Além da brincadeira de “banco imobiliário”

Se os secretários municipais fizessem reuniões para desenvolver mais projetos em conjunto, e alguns desistissem de querer comer o bolo arrecadado sozinho, todos nós ganharíamos mais. Graças à burocracia e à indiferença o desencontro de forças e recursos emperram soluções importantes.

 

Separados na maternidade

Gente, você, também não acha que tem um vereador em Uberaba que podia ter sido escalado para fazer o filme dos Minions? Uai. O comportamento é igualzinho. Só falta ser amarelo.

 

Quando você se apaixonar, queira os que sabem poemas, oferecem flores, tonalizam com músicas, surpresas, detalhes, mas que diga: recortes de uma totalidade são, ainda, muito pouco. Todas as expressões deveriam se revezar na demonstração permanente do sentir. Fórmulas decoradas, inventadas, receitas de ser, de comer, de reconhecer, de viver devem ser repetidas ao esgotar das preciosas ideias, para nascerem outras, mais raras, melhores... Viver para abençoar, celebrar, adoçar a existência de um compartilhar, nem sempre equilibrado, leve, certo, mas essencial.

 

Quebrou a banca

Comparsas juntos desde sempre que dominavam segmento de entretenimentos tiveram mais uma briga (já foram milhares), mas dessa vez as situação parece definitiva. O rompimento tem motivos intensos. Ninguém aguenta eternamente os supostos espertos...

 

Se resolverem mostrar tudo...

E depois que suposta funcionária pública suposto documento de colega denunciando irregularidades e esquemas os responsáveis decidiram apurar o caso e prestar atenção à segurança (quase inexistente) da informação que circulam nas repartições. O caso ganhou repercussão em rede social e muita gente sem conhecimento deu pitaco.

 

Alguém merece?

Comum na Zebulândia: a via tem velocidade em 60 quilômetros. O dito motorista anda nas duas pistas e a 20 por hora. Por que não vai a pé?

Será que depois da explosão dos caixas no Hospital das Clínicas vão debater essa questão da segurança. Gente... Destruíram um hospital! Colocaram em risco pessoas e dignidades.

 

E entre as maravilhosas e deslumbrantes ilusões do capitalismo, lá vamos nós: de desilusão em desilusão.  Vamos cedendo a “sengracesa” (desculpe inventar mais uma palavra, mas as aceitas pelo dicionário estão batidas demais para entrar aqui) e aceitando os acordos de secura na emoção. Que nem os mananciais perfeitos que param de brotar do chão porque defendemos uma modernidade hiperativa de destruição. Assim, também, estupeficar é nossa intensão. E anestesiados seguimos zumbidamente (outra palavra teimosa nascendo, e pelo jeito, mais e mais vingarão).

 

Coisinhas das alcovas

Jaguara bomba esse fim de semana. Se você não foi convidado para o evento que promete por fogo até em caixa d’água não se der por vencido. Afinal, com tanto telefone em circulação em algum momento um flagra poderá mostrar porque os poderosos daqui vão tanto para o outro município.

 

Fazendo negócios

No melhor estilo coronelesco famílias tradicionais de Uberaba acertaram detalhes para o casamento dos filhotes. Acredita? Parece coisa de novela, mas o sentimento, cada vez mais fora de moda, ficou em segundo plano quando o assunto foi a sucessão, heranças e fusões. E tudo vai parecer um conto de fadas... Fada capitalista, heim!

 

Dinheirinho no cofrinho

Depois de um barraco gigante político Uberabense e a esposa decidiram separar. Antes de arrumar a papelada entrou a turma do deixa disso. Afinal, para o ano que vem estar em par é diferencial importante para o eleitor. Então fizeram um acordo: vão manter as aparências em troca de... Ah, essa parte você já sabe!

 

Viva o domingo! Viva, mesmo!

Beijos. Fabiana Silbor.

 

Homenageando nosso domingo, enfeitando nosso dia com talento, oferecendo arte pura, as fotos de Chic e Choc foram feitas por Alysson Oliveira e equipe. Imagens que falam mais que milhões de palavras. Uma celebração à coragem de viver e a determinação de ser feliz! Parabéns ao fotógrafo e aos participantes dessa grande obra.