Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Chic&Choc

ACESSIBILIDADE: A A A A
Fabiana Silbor 08/12/2013
Fabiana Silbor
fabianasilbor@gmail.com
Chic&Choc por Fabiana Silbor

Bem vindo!

Bem vinda.

Decidi escrever uma cartinha para o tal do Papai Noel.

Bem assim:

“Escrevo essa cartinha aqui da Zebulândia.

Talvez, o Senhor nunca tenha ouvido falar daqui, mas saiba que se vier, vai demorar a querer voltar para o seu Polo.

Apesar dos pesares, é um lindo lugar.

Claro, tem todo tipo de gente. Igual a toda parte do mundo.

Uns pensando que são primos do Aladim: vivem tentando puxar o tapete.

Têm, ainda, uns camaradas, sobrinhos da Dona Baratinha, que ficam vendo a vida passar pela janela, prestando atenção nos outros. Sabe, né, ‘Papis’, na Zebulândia temos muitos Peters, aliás, anda na moda, se recusar a crescer.

Mas no todo, Seu Noel, a terra das Águas Claras é especial. Tem nobres de coração e alguns corajosos que andam fazendo a diferença. Os desejos por aqui são mais encorpados. Somos todos como peões montados em touros bravos e conseguimos em oito segundos vencer na arena da vida!

Por isso, quando ler minha correspondência atenda meu pedido de criança: devolva a inocência! Vontade danada, que todos temos, eu e meus leitores, de sentir de novo a vivacidade da ilusão.

Quando o véu se rompeu enxergamos precipícios e descobrimos que não podíamos voar. Agora, se o Senhor voltar, passe uns tempos por aqui, e traga no seu trenó algumas asas para nos emprestar.

Obrigada Papai Noel pela sua atenção. Sei que trabalha muito, mas um sonho, sempre, precisa de resposta”.

 


Apaixonante decorar com peças que trazem esse espírito maravilhoso do Natal. É lindo pensar em um presente raro, exclusivo, que simbolizará a sua presença manifestada de maneira artística e cultural. Que requinte e sofisticação preparar ambientes personalizados com pluralidade de estilos. A construção de uma vida sensível e bela. Ideias do visionário Urbano Salomão, expostas sob a criação de consagrados artísticas no Espaço Arte e Cultura 149. Você tem que conhecer. Rua Major Eustáquio, 149. 3321-4648.


Por falar em Papai Noel esse é o assunto do momento. O absurdo de pagar para tirar foto com o bom velhinho.

Sim! Paga-se para tirar foto com o Papai Noel. O personagem está trabalhando. A equipe dele, também. Vender imagem custa dinheiro. Nesse mundo capitalista todos tem seu preço, no caso do bom velhinho, o ingresso garante a ilusão.

Sim! Vai chover e as ruas inundarão. Não são as obras que irão resolver, mas sim a consciência e a educação. Terrenos encapados de cimentos, ruas chiques asfaltadas, bueiros lotados de lixos, ideias do ser humano para uma urbanidade contemporânea abusada de destruição.

Sim! As pessoas vão continuar postando fotos com cenários bagunçados. O que é um varal, um monte de roupas, uma veneziana velha, uma parede descascada quando a vontade de revelar a felicidade pede uma foto para eternizar a alegria do coração? É o momento que no futuro, quando lembrança, se transformará em emoção.

Sim! Continuarão as postagens nas redes do artista famoso que morreu, da mulher que pegou o marido com a amiga e bateu, de como ganhar dinheiro fácil, emagrecer agora e viver feliz para sempre. São vírus ou mentiras, mas muita gente vai preferir isso à atitude da mudança.


Christian Lucas é o competente e destacado Administrador do Espaço Arte e Cultura 149. Com especial conhecimento desse cenário riquíssimo de múltiplas artes. Ele nos brinda com elegância e informações maravilhosas sobre o grande acervo de pintores consagrados. Altos papos sobre gravuras, escultura, quadros. Uma delícia!


Sim! Não é o que o outro faz. É o que você escolhe manter dentro de si.

Políticos novatos nas jogatinas do poder aprendem a duras penas que ao fazerem uma lista sobre as pessoas “certas” para determinada função é melhor manter a lápis. Os políticos estão sempre pensando no próximo... mandato.

Por falar nesse povo que nos representa, o segmento está em polvorosa com tórrido romance descoberto, claro, pelos domínios do WhatsApp. A criatura tem vida pública, mas arquivou as mensagens na multiplataforma. Agora, só Jesus na causa. “Etâ sistema bão, sô”. Não há custo para enviar mensagens e ficar em contato com seus amigos, mas custa caríssimo quando tudo isso cai nas mãos dos inimigos. Sempre falo: casar por dinheiro é um problemão. Qualquer um pode conseguir um empréstimo bem mais barato.

A pessoa fica feia até quando tenta parecer bonita. Melhor é gente simples que continua linda nos desencontros da vida.

Ainda bem que as operadoras andam com dificuldades em oferecer internet veloz. Afinal, se tivessem tanta competência a humanidade estaria, ainda mais, em risco. Só quando a rede cai é que as pessoas se lembram de que existe uma vida real para ser vivida.


Maicon Vieira é nome do sensacional fotógrafo que registrou esse momento maravilhoso. Que fofa essa foto. François Ramos e a mamãe mais linda do ano, Leilane Penariol, preparam tudo para a chegada de bela princesa. Já viram que a menina vai ter que ser torcedora nata. Certo é que será recebida com muito amor. Bem vinda! 


O capitalismo desenfreado transformou as pessoas em meros protótipos.  Pensando que caixão não tem gaveta. É melhor analisar bem as lindas histórias de amor entre a criatura e o décimo terceiro. Medo de gente que gasta dinheiro para iludir entrega desejando "Feliz Natal", mas no subconsciente deseja que você engasgue com um pedaço de Peru.

A pessoa já começa a namorar e tatua o nome da criatura. Nossa. Se continuar nessa de “a fila anda” o apelido logo, logo, será lista telefônica.

Um amigo super empreendedor disse que está o terror conseguir gente para trabalhar no fim de ano. Ele contou que uma candidata explicou que precisava de um emprego que fosse de terça à quinta, que comece às 12:00 horas e termine as 16:00 horas, com horário de almoço. Por isso que o povo não procura emprego. Porque acha!

Ainh... gente, essa tenho que compartilhar. Uma assessora parlamentar (claro que no horário do expediente) lamuriava sem parar sobre o caso amoroso. A colega ouvia tudo com paciência elástica. E a outra repetia: “Ele não me enxerga, não reconhece, não me vê”. O colega do gabinete, cansadíssimo, do drama encerrou o assunto bem ao estilo macho: “Fia manda ele comer formiga, minha mãe dizia que é bom para a vista”. Seria engraçado se o patrão desse povo não fosse o povo. Rs.


O educador Lelio Roberto de Sousa, uma referência de mais de três décadas na área de educação, celebrando importantes projetos para o desenvolvimento de uma gestão competente e sempre afiançadas em resultados transparentes para a coletividade. A foto é do talentoso Arthur Matos


Pra você que namora e pula a cerca, te desejo uma cerca elétrica.

Ah! Esse domingo é mesmo lindo.

Disfarçado de brinquedo o espírito de natal faz milagre, de novo.

Nas cartinhas que deixaram de ser escritas tem tantos amores para serem vividos! Tantas esperanças para serem nutridas! Tantos motivos que nunca foram ditos!

Nesse dia, onde lágrimas significam sorrisos e as risadas são defesas fortes, tudo pode acontecer.

Queria ficar, apenas, na linha da meiguice, mas tenho que contribuir para o agridoce, apimentando.


Ela comemora o aniversário em grande estilo. Bonita, bem sucedida, muito amada e um ícone da Comunicação, Cássia Queiroz e Mauro Sérgio fazem planos para dias de felicidade de muitas realizações. Parabéns em tudo. Eles merecem os melhores acontecimentos


É incrível como no almoço de domingo a gente encontra tudo que perdeu na noite anterior. Inclusive os quilos da última dieta (rs).

E os cabelos do povo! Põe reparo (mas faz discretamente). Ontem estavam uma ‘belezura’ e hoje, a ‘parente difícil tá’ com o penteado igualzinho a mãe do Bart Simpson.

Isso me recorda a história, que virou lenda, do Marco Túlio, sobre a mulher que prendeu o cabelo no ventilador enquanto dormia. Só de lembrar me dá pala de tanto rir. Diz ele: “quando acordou teve que cortar rente. Ficou parecendo um xaxim”. Kkkkkkkkkk.

Também, gente, nessa época a casa de todo mundo vira acampamento de parente. Até quem é rico padece no paraíso.

E a mania de usar roupa vermelha nessa coleção? Já tentei entender essa síndrome de bom velhinho que ‘baixa’ na moçada, mas... O pior é aqueles que nem conseguem iludir a criança porque ficam parecendo uma vela de sete dias! Aff.

No repertório das ‘candinhas’ (e tem muito moçoilo nessa vida também) a roupa da cunhada, o namorado mais novo da tia-avó (que ainda acha que é a prima), o genro desquitado, que não assumiu a amante, e que nunca perde o título de agregado da família e por aí vai!

Mas nem adianta disfarçar! O consumismo atrevido não embaça os olhares de amor! Os contrastes nesse dia ficam mais suaves. Há doçuras sem pudor.

Vem aí o Natal, e os brutos se enternecem. Perde-se a vergonha de sorrir, sem motivo. Um encantamento, antes classificado de piegas, é chic de usar, por hoje.


Ele é um gentleman. Carlos Eduardo Lahoz Pardo e a linda Ale Pardo celebram o aniversário dele e uma família feita de pleno amor. Uma casal maravilhoso que, sempre, está pronto para uma vida verdadeira e feliz! Bom, assim. Parabéns Carlinhos!


Ninguém nunca nos alcança de verdade por maior que seja a vontade.

Há uma essência tão particular, em cada um, que não há senha para entrar.

Com toda a intensidade de viver ou sobreviver só nós compreendemos nossa própria existência por completo.

Para despedir um texto da linda Clarice Lispector: "Juro por Deus que se houvesse um céu, uma pessoa que se sacrificou por covardia - será punida e irá para um inferno qualquer. Se é que uma vida morna não será punida por essa mesma mornidão. Pegue para você o que lhe pertence, e o que lhe pertence é tudo aquilo que sua vida exige. Parece uma vida amoral. Mas o que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesma".

Bjxxx Silbor!