Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Chic&Choc

ACESSIBILIDADE: A A A A
Fabiana Silbor 29/12/2013
Fabiana Silbor
fabianasilbor@gmail.com
Chic&Choc por Fabiana Silbor

Bem vindo!
Bem vinda!
Vamos juntos despedir de 2013.

O ano teve desafios próprios. Que fizeram muitas ilusões caírem por terra. Também, vitórias acumuladas e novidades que marcaram época. Foi um tempo de tudo ou nada. Muitas dores trouxeram lágrimas, sorrisos frouxos acumulados, reflexões, pesares, diversões, ideias inovadoras, nascimentos, partidas...

Nenhuma palavra deve ser mais doce para esse momento de adeus do que “gratidão”. Em todos os acontecimentos, por mais dolorosos, rebeldes, alegres ou simples. Sim! Essa é a melhor escolha: agradecer. Afinal, você está presente para vivenciar esse momento de alternância. Sabemos que a vida é uma continuidade (que bom!), mas gostamos dessa simbologia da “passagem” (de ano) que nos dá o presente do recomeço.

Meus queridos leitores, a vocês que acompanharam minhas identidades mais promissoras e menos adequadas quero que saibam: é uma honra essa fantástica companhia aos domingos. Das centenas de emails recebidos durante esse ano, das conversas nas esquinas, das perguntas indiscretas para descobrir uma ou outra respostinha sobre uma curiosidade publicada na coluna que movimentou o fim de semana, as críticas, os elogios. Tudo compõem essa receita mágica de escrever para “estranhos” que se tornam mais íntimos, até mesmo, que os mais próximos.


Alexandre Cavalcanti de Melo Bernardi e Aline Coimbra Levorato. A arte de Marise Romano para celebrar o amor. Que seja um tempo iluminado, feito de doçuras e realizações. Que a vida seja plena, recontada em histórias emocionantes de paixão. Que o casal vivencie momentos inesquecíveis e construa uma família feliz! Parabéns aos noivos.

Chic e Choc é um ambiente. Ultrapassa a definição de “coluna” para respirar novos ares. Nessa alquimia de prometeres ergue-se um pensamento vivaz, feito de conjecturas idealistas. Sou feliz com vocês e tenho uma ampla decisão de fazer jus a essa fantástica equipe do Jornal de Uberaba, que sob o comando do visionário Fabiano Fideles, edifica possibilidades íntegras, éticas e diferenciadas nesse deserto de um Jornalismo vivaz.

A Zebulândia é um grande lugar para se viver. Tem um povo maravilhoso que merece ser celebrado, respeitado, enfeitado, valorizado.  2013 foi um ano de muitas possibilidades para o município. Algumas concretizadas, outras, bem distante de serem realizadas. Das metas estabelecidas, das políticas públicas escritas, pouca prática com ferramentas viáveis priorizando a sustentabilidade. Todavia isso é bom. Se há muito por fazer, espera-se (ferrenhamente) que a alguém se disponha ao trabalho. Até porque tem muita gente sendo paga com o dinheiro do povo (difícil de ganhar).


Marcelo e Anne Caroline. Alysson Oliveira é o autor da foto. O momento inesquecível eternizado sob os véus abençoados para uma vida plena e feliz. No dia sim, a força da escolha em nome do amor! Felicidades aos noivos.


Eu tenho boas e más notícias. Quais vocês querem primeiro? Tem a turma que prefere passar raiva e depois comemorar. Já tem os mais animados que recebem primeiramente as novidades e deixam os problemas para administrar com lentidão. De um jeito, ou de outro, uma retrospectiva é significativa nesse momento de avaliação.

Vamos começar pela picanha de 2014. A “parte” mais cobiçada é a articulação com os políticos da região. Nessa “empreiteira” de movimentações, conhecidos mestres mantiveram-se firmes no poder. Sem dúvida, os mais bem sucedidos foram Toninho Oliveira e Tharsis Bastos. Dois gigantes “backstage”. Tem outros nomes, claro, sempre têm. Mas essas duas “criaturas” há anos nesse mundo fantástico de egos enlouquecidos transitam com destemor. Ninguém pode negar que são mentes brilhantes e visionárias.


Crislaine Oliveira Rezende e Guedrian Said. Um beijo apaixonado para selar dias melhores para sempre.  Arte de Marise Romano que celebra o sentimento mais profundo. Dias fantásticos ao casal

Mantendo o cardápio, seguimos com o arroz e o feijão nosso de cada dia. Para essa linha povão, a briga pelo ‘pódio’ está uma beleza. Mas tenho o total direito de destacar, com a transparência, coragem e sem o tal do “rabo preso” que me são peculiares, que esse troféu vai para o Prefeito Paulo Piau. Nem vou discutir, nessa retrospectiva, o que foi ou deixou de ser feito, mas temos que aplaudir o “menino” pelas disposições em trabalhar (E, só isso, tudo, já valeu. Foi ótimo assistir um povo preguiçoso que “mama nas tetas públicas” desde sempre ter que levantar cedo, participar de reuniões aos domingos. Reclamando, mas cumprindo.) e pelo interesse pelas pessoas que realmente precisam. Nome forte nessa composição é o da primeira dama. Heloísa Piau atuou com participações decisivas nos resultados dessa história, desde o começo dessa parceria.

Do Secretariado, muitos poderiam ocupar os parágrafos para ganhar elogios. Outros nem merecem ser lembrados, pois fizeram tudo tão errado que só de chamar a pessoa parece invocação para despacho. Todavia, o mais brilhante deles, em 2013, sem dúvida, é: Robertinho Indaiá. Além de provocar inveja (acende dezenas de velas de sete dias do seu tamanho, Secretário, para tentar tirar a urucubaca) esse homem aconteceu. O tal do ‘chic’ Robertinho, com sua gentileza, elegância, alegria e vivacidade é um oásis nesse cenário de vaidades fermentadas.


Elivania e Claudio. Foto de Alysson Oliveira. Ah! O amor... Palavras dizem muito pouco sobre o que significa o mais nobre dos sentires. E o viver ultrapassa legendas pensadas para destacar a força do amor. Maravilhosos momentos que ficaram para sempre, sempre!

Uberaba segue confiante, cheinha de promessas. Resta que tanta amônia sirva para mais do que “enlourecer” (kkkkk) e ficar batizando pai de criança que nem nasceu. Tomara, mas tomara, mesmo, que todo esse empreendimento seja, em sua completude, administrado com uma visão de responsabilidade social para o município em longo prazo. Exemplos de cidades que viveram “a corrida do ouro” e acabaram quebradas por falta de gestão dos impactos que advém desses investimentos, não faltam...

E com tanta ansiedade para o acontecer de 2014 que vem com perspectivas eleitoreiras em tudo, que tal despedirmos com mais uma tentativa?

Vocês leram muito minhas palavras investindo no amor. Se eu mudar o discurso agora para vamos beber “sidra” e comer romã na virada vai parecer dissonante demais, né? Mas nem é para desafiar as recordações ou vingar como vilã desiludida, eu realmente insisto nessa tese.

Estamos ameaçados, enquanto espécie, em tudo. E só, somente, mesmo, o amar é evolucionar. Que seja amor de dupla, de alcova, de vida, por estranhos (desconhecidos ou esquisitos, mesmo), por quem compensa e por quem menos merece (que é quem mais precisa). Amar é desentaipar, é movimentar, é inflacionar os desejos, despindo das argolas fajutas e usando alianças feitas laços preciosos.

Eu desejo 2014 para você. De verdade!

Que você desembrulhe e use esse presente.

A vida pode ser mais que um filme repetido.

Você pode, até, gostar do conjunto da obra, mas ao assistir de novo uma história já conhecida, saiba que o final será o mesmo. Nenhuma tentativa, se insistir em rever o filme repetido, mudará o fim.

Deixe o passado no tempo de antigamente e o futuro, apenas, chegar lotado das suas construções de hoje.

Seja o presente, viva o presente, transforme-se no presente.

Feliz 2014 para você e os seus queridos.

Você é minha querida, você é meu querido.

Obrigada por 2013. Foi bom estarmos juntos.

Vamos continuar nesse caminho de retidão natural, feito de escolhas idealistas, que nos conduzem a ser felizes! Amor!

Bjxxx

Silbor!