Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 08/12/2016
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Vamos debater com calma”

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, sobre o projeto de reforma da Previdência

 

Sortudo, Temer se livra de Cunha, Geddel e Renan

Sujeito de sorte, Michel Temer: ao contrário dos antecessores Lula e Dilma, só para citar estes dois, é o primeiro presidente a se livrar das principais razões de dores de cabeça de todos os ocupantes do cargo, no Planalto: o ex-deputado Eduardo Cunha e o senador Renan Calheiros, ambos do PMDB. De quebra, ainda se livrou do ex-ministro Geddel. Melhor: Temer nada precisou fazer para que isso acontecesse.

 

Garimpeiros

Cunha, Geddel e Renan, principais “garimpeiros” do PMDB, são os maiores especialistas em atormentar os presidentes que apoiam.

 

Dupla sertaneja

Incorrigível contador de vantagens, Geddel constrangia Temer. Mas problema mesmo, no “toma lá, dá cá”, era a dupla Cunha-Renan

 

Jogo de paciência

Após a posse, Temer viu Cunha tentando subjugar o seu governo. Só precisou de paciência para aguardar o fim dramático do ex-deputado.

 

Jogadores

Dilmista, Renan vendeu caro o apoio a Temer, após ajudar a violentar a Constituição inventando cassação sem perda de direitos políticos.

 

Invasores de escolas pagarão custos do Enem 2

A Advocacia Geral da União (AGU) abriu processo administrativo no âmbito do Inep, órgão do MEC que organiza o Enem, para que sejam calculados e comprovados os custos da nova aplicação do exame, neste último fim de semana, estimados em mais de R$10 milhões. A AGU pretende “individualizar as condutas” e cobrar esse custo das entidades estudantis que patrocinaram as invasões às escolas.

 

A firma é rica

As invasões foram patrocinadas por entidades como UNE e Ubes (estudantes secundaristas), há décadas “aparelhadas” pelo PCdoB.

 

Os prejudicados

Invasões em 404 escolas de 21 estados impediram mais de 240 mil alunos de prestar exame do Enem, nos dias 5 e 6 de novembro.

 

Velhos conhecidos

Alunos das próprias escolas raramente participam das invasões. Filmagens não são permitidas para não desmascarar os “estudantes”.

 

Malhação de Renan

A julgar pela perplexidade e a indignação provocadas pela decisão do Senado de ignorar a liminar do ministro Marco Aurélio, a sessão de hoje (7) no STF pode se transformar em autêntica “malhação de judas”.

 

Afronta à Justiça

Antes do Senado, o ex-presidente da Câmara Henrique Alves já havia afrontado a Justiça, ao condicionar a cassação de Natan Donadon (RO), deputado ladrão transitado em julgado, a aprovação do plenário.

 

Justiça desrespeitada

Outro precedente, nas afrontas ao Judiciário: a Mesa Diretora da Câmara, na época presidida por Inocêncio Oliveira, ignorou por quase 2 anos a cassação do então deputado Paulo Marinho (MA).

 

Governo se envolveu

O líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), teve papel central na decisão de ignorar a liminar que afastava Renan: objetivo foi neutralizar as ameaças do vice-presidente Jorge Viana (PT) de paralisar a pauta.

 

Um réu e outro quase

Se confirmado o afastamento do réu Renan Calheiros da presidência do Senado, ele será substituído pelo senador Jorge Viana (PT-AC), na iminência de virar réu por sonegação, improbidade, abuso de poder etc.

 

Senhores da pauta

Na Câmara e no Senado, o regimento dá plenos poderes ao presidente para definir o que será votado. “O presidente é senhor da pauta”, ensina Mozart Viana, especialista nos regimentos do Congresso.

 

‘Filtro’ autorizado

O MEC e a cúpula da UFRJ tiram o corpo fora sobre o “filtro ideológico” imposto aos candidatos a ginecologista da universidade. Alegam “autonomia”. Inclusive, claro, elaborando questões que só consideram “certas” as respostas compatíveis com as cartilhas do PT e afins. 

 

Perícia nos vídeos

Por unanimidade, a 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça mandou periciar os vídeos da Operação Caixa de Pandora, de 2009, e o equipamento utilizado pelo delator Durval Barbosa para gravá-los. Curiosamente, a perícia vinha sendo negada pelo juiz de primeiro grau.

 

Pergunta à pelegada

O Sindicato de Ladrões, que quase foi oficializado na era petista, também receberia sua fatia do bilionário imposto sindical?

PODER SEM PUDOR

Sucatas paralisadas

Durante a discussão, no Senado, do projeto do governo Lula que autorizava a doação de 12 aviões da FAB ao Paraguai e à Bolívia, o senador Edison Lobão (MA) disse na época que das 800 aeronaves, 400 estavam paralisadas. O então senador tucano Arthur Virgílio (AM) interveio:

- Com a doação dos 12 aviões, a FAB ainda ficará com 48,5% da frota paralisada. Se o governo Lula doar os 400, poderá proclamar que deixou a FAB com 100% da frota em condições de voo...