Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 10/04/2014
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“A renúncia dele, agora, não muda nada”

Deputado Ricardo Izar (PSD-SP) sobre André Vargas, sócio do doleiro Alberto Youssef

Viúva-bomba assombra o PT na CPI da Petrobras

Viúva do ex-deputado federal José Janene (PP-PR), um dos pivôs do escândalo do mensalão no Congresso, Stael Fernanda Janene pode ser peça-chave na Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará denúncia contra a Petrobras envolvendo o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal. A viúva reivindicaria dinheiro em conta milionária do falecido marido no exterior, da qual o doleiro teria se apossado. 

Amigos íntimos

Alberto Youssef é padrinho de um filho do Janene, de quem carregava um cheque na carteira quando foi preso pela PF, em 2001.

Ramificações

Janene teria feito a ponte entre Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto, envolvido na compra da refinaria da Pasadena, EUA.

Irmão camarada

O ex-líder do PP também era fortemente ligado ao vice-presidente da Câmara, André Vargas (PT-PR), sócio de Youssef, que está preso. 

Pela ordem

O líder do SDD, Fernando Francischini (PR), garante que seu primeiro requerimento, se CPI for instalada, será para ouvir a “viúva explosiva”.

PSDB cobra resultado da ‘faxina’ de Dilma em 2010

Líder da oposição na Câmara, Domingos Sávio (PSDB-MG) solicitou ao ministro Jorge Hage (CGU) informações sobre andamento e conclusão das investigações que levaram à demissão – na propalada “faxina” da presidenta Dilma em 2010 – dos ex-ministros Antônio Palocci (PT), Alfredo Nascimento (PR), Carlos Lupi (PDT), Orlando Silva (PCdoB), Wagner Rossi (PMDB), Pedro Novais (PMDB) e Mário Negromonte (PP).

Fachada

Os ex-ministros, que foram alvos de denúncias de corrupção em 2010, saíram dos cargos, mas indicaram seus substitutos.

Cadê o dinheiro?

O líder da oposição questionou ainda a Controladoria-Geral da União sobre a devolução do dinheiro desviado ou apropriado indevidamente.

Marronzinho

A entrevista de Lula a blogueiros amigos, terça, consagra o “jornalismo de torcida”, com direito a aplausos e até assobios na plateia.

Testemunha

Relator do processo de cassação do vice-presidente da Câmara, André Vargas (PT-PR), o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) pretende ouvir o doleiro Alberto Youssef, caso não atrapalhe o andamento do processo.

Deixa pra lá

Sem controle da bancada na Câmara, chefiada pelo líder Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o vice Michel Temer cancelou ontem a reunião de trabalho que ocorreria na casa do vice-governador Tadeu Filippelli (DF).

Gestão anterior

Citado nas investigações da Polícia Federal por ter recebido doação eleitoral intermediada pelo doleiro Alberto Youssef, o PP nacional pode desligar os ex-dirigentes Mário Negromonte e Henrique Pizzolato.

Batatas quentes

Relator da MP 627 no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) deve deixar à presidenta Dilma a tarefa de remover os mais de vinte “contrabandos” enxertados pelo relator e líder Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Gatos miúdos

O Tribunal Superior do Trabalho multou a Petrobras em R$ 500 mil, pelo uso de uma “cooperativa de metalúrgicos” do Estado do Rio para recontratar ex-funcionários sonegando encargos trabalhistas.

Afundando Jânio

A família do ex-presidente processa o eterno candidato Levy Fidelix (PRTB) por uso indevido do nome de Jânio Quadros em uma fundação que criou, e ainda cobra os valores que ele arrecadou.

Negócio da China

Era lero-lero o complexo graneleiro de US$ 2 bilhões do grupo Chongqing Grain Group Corp em Barreiras (BA) para exportação. Em três anos só o mato cresce nos 100ha devastados, apurou a Reuters.

De olho em 2016

A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) fechou o plano de ação para a Copa do Mundo. O foco agora é nas Olimpíadas do Rio, em 2016. O diretor da Abin, Wilson Trezza, deve sair da agência após o Mundial.

 

Pensando bem...

...”santa CPI”: enquanto os escândalos da Petrobras entram pela porta do Congresso, dona Inflação invade nossas casas pela janela.

PODER SEM PUDOR

Tudo é possível

O advogado Mendes de Barros, que ficaria famoso como o “marajá das Alagoas”, foi candidato ao Senado pelo MDB, em 1970. Num comício em Pilar, praça lotada, um vereador anunciou sua presença:

- Está aqui o doutor Mendes de Barros, nosso futuro governador!...

Mendes puxou o sujeito pela camisa e lhe soprou no ouvido:

- Não é “futuro governador”, é “futuro senador”...

Ao microfone, o vereador compartilhou sua resposta com a multidão:

- Tem importância não, dr. Mendes. Nesta terra tudo pode acontecer...