Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 01/05/2014
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Não vai dar tempo de fazer um serviço de boa qualidade”

Ministro Paulo Bernardo (Comunicações) e seu vexame da internet sem fio na Copa

 

PSDB não desistiu de Serra para vice de Aécio

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) ainda trabalha com a hipótese de ter como seu vice, na disputa pela Presidência, o desafeto político José Serra (SP), que surpreendeu aliados ao comparecer em jantar para o mineiro na casa do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). Para o tucanato, a aliança garantiria votação expressiva em São Paulo e Minas Gerais, desestabilizando aliança de Eduardo Campos (PSB-PE) e Marina Silva,

 

Sonho meu

Aécio deixou claro, em entrevista à Band, que adoraria ter na vice um quadro como José Serra nas eleições contra a presidenta Dilma.

 

Na pista

Se Serra não aceitar o convite, o PSDB também avalia negociar a vice com o PSD de Gilberto Kassab, em troca de apoio nacional e em SP.

 

DEM quer

O DEM, aliado de longas datas do PSDB, reclama o direito à vice e não se conforma com apoio de Kassab, que quase levou a sigla à extinção.

 

Me engana que eu gosto

É manobra útil o “Volta, Lula”: ele finge que desestimula, Dilma usa o “vitimismo” para a reeleição e o PT aproveita para abafar escândalos.

 

‘Dono’ da CNC pode perder poder após 33 anos

Reeleito com apoio de 94% dos sindicatos do comércio do Estado do Rio, o presidente da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz, é o nome mais forte para a difícil tarefa de remover Antonio de Oliveira Santos da presidência da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Santos, o “carrapato”, não quer deixar o cargo ao qual está agarrado há 33 anos. Aos 94 anos, o ambicioso “dono” da CNC quer mais 4 de mandato.

 

Força carioca

Orlando Diniz recebeu apoio de 50 dos 53 sindicatos que votaram na Fecomércio-RJ. E foi aclamado para enfrentar Antonio Santos na CNC.

 

Sombrero

Dilma disse ao Globo que em 1970 “estava na cadeia” e que, “na hora, até os da tortura torceram pelo Brasil”. Boas lembranças, pelo visto.

 

PIB no peito

A indústria de medalhas não sofre crise: serão mais 692 para o Ministério da Defesa distribuir com a Ordem do Mérito Militar a granel.

 

Prenda-me se for capaz

O mensaleiro José Genoino tem que se apresentar no presídio da Papuda para cumprir pena imposta pelo STF. Caso contrário, o tribunal vai expedir mandado para que a polícia o recolha na marra.

 

Trabalhador uma ova

Enquanto os trabalhadores de bem folgaram nesta quinta (1º), feriado do Dia do Trabalhador, deputados e senadores cataram beco na terça à noite. Ontem, só alguns gatos pingados apareceram no Congresso.

 

Mês do Trabalho

Maio deveria ser lembrado como mês do trabalho, não pelo feriado deste dia 1º, mas para “comemorar” o fim do colossal ciclo de 150 dias dando duro apenas para pagar a alta carga tributária brasileira.

 

Explica aí

A presidenta Dilma assumiu tom político em seus discursos e declarou que “o povo brasileiro não vai retroagir”. Resta saber se foi referência ao declínio nas pesquisas eleitorais ou uma resposta ao “Volta, Lula”.

 

Beleza

Delegados da Polícia Civil de Minas escolheram o dia anterior ao feriado, claro, para cruzar os braços, garantindo feriadão mais amplo. Querem saltar de salários de R$ 7.747,50 para R$ 16.022,96.

 

Dinheiro voando

A Indonésia está irritada com os sete meses de atraso na entrega de quatro Super Tucanos do lote de oito da Embraer. A multa de US$ 7 milhões compensou, diz o Jakarta Post.

 

Enrolou...

A presidente da Petrobras, Graça Foster, passou por tremenda saia justa ontem (30) na Câmara. Os parlamentares perguntaram na bucha: é contra ou a favor da instalação da CPI que investigará a estatal?

 

...e não falou

Foster tirou o corpo fora dizendo que como cidadã não tinha nenhum comentário sobre a necessidade de criação da CPI. Ora, ninguém ali queria ouvir a cidadã, mas a presidente da empresa a ser investigada.

 

Pensando bem...

...deveria ser proibido o feriado de 1º de Maio para os 61 milhões que não trabalham nem querem trabalhar, como apurou pesquisa do IBGE.

PODER SEM PUDOR

O castigo de JK

Antes mesmo de ser presidente da República, Juscelino Kubitschek era acusado pelos inimigos de viajar demais. Como governador de Minas, adorava pegar o avião do governo e percorrer o Estado.

Certa vez, em 1952, a aeronave fez um pouso de emergência, dando um grande susto nos mineiros. Falha na manutenção. E logo identificaram o técnico responsável pelo parafuso a menos que quase matou JK. Quando todos imaginaram que ele puniria o técnico com uma demissão tão sumária quanto humilhante, JK fez diferente.

Publicou no Diário Oficial do Estado um decreto tornando-o integrante permanente de sua comitiva, em todas as viagens.

Se o governador morresse num acidente aéreo, o homem iria junto.