Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 17/08/2014
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“Seria uma clorofilocracia evangélica!”

Lobão, o roqueiro, definindo a eleição de Marina Silva para a Presidência da República

 

Congresso dá como certa a ‘Lava Jato, parte 2’

As investigações e depoimentos como o da ex-contadora Meire Poza, no âmbito da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, realizada há cinco meses, levam as consciências pesadas do Congresso Nacional à expectativa de uma “parte II” da mesma operação. As provas colhidas nesse período também indicam ser iminente a prisão de políticos e empresários enrolados no esquema do doleiro Alberto Youssef.

 

A quadrilha

Meire Poza já revelou à Justiça o que apenas insinuou no Conselho de Ética da Câmara: a lista de políticos corrompidos por Alberto Youssef.

 

BC da corrupção

A ex-contadora definiu o ex-patrão Alberto Youssef como um “banco”. Ou “banco central da corrupção”, como qualificou esta coluna em maio.

 

O verdadeiro Joaquim

Meticuloso, discreto, corajoso e competente, o juiz Sergio Moro, que ordenou a “Lava Jato”, é tudo o que se imaginava de Joaquim Barbosa.

 

Fazendo História

Juristas experientes avaliam que o juiz Sergio Moro, apenas porque cumpre seu dever, simples assim, ainda fará História no Brasil.

 

Calote na ONU: ministérios fazem jogo de empurra

Os ministérios do Planejamento e Relações Exteriores culpam um ao outro pelo calote de R$ 380 milhões aplicado na Organização das Nações Unidas. O Brasil passou vexame quando o secretário-geral da ONU citou o País entre seus principais devedores. No jogo de empurra, o Itamaraty diz que os pagamentos cabem ao Planejamento, e este garante que efetua todas as transferências solicitadas pelo Itamaraty.

 

Tudo que está ruim...

A última vez que o Brasil pagou o que devia à ONU foi no ano de 2008. Nesses 6 anos, não honramos os pagamentos para as missões de paz.

 

... pode piorar

Nos últimos dois anos só quitamos os débitos referentes à reforma da sede da ONU, onde trabalham os irmãos Antonio e Guilherme Patriota.

 

Bye, bye Conselho

“Ficha suja” na ONU, o Brasil perde prestígio internacional. O fundo do poço foi ser chamado de “anão diplomático” por Israel.

 

Devassa fiscal

Aliados dos líderes evangélicos Silas Malafaia e Valdemiro Santiago se queixam de que eles estão sob devassa da Receita Federal, até nas contas pessoais. E se defendem criticando Dilma e o PT. Lula tentou interceder, de olho na influência eleitoral deles, mas Dilma não recuou.

 

A pedidos

Dilma confessou a interlocutores seu “horror” às pregações de Silas Malafaia e Valdemiro Santiago, para ela, “politicamente incorretas”. Mas a devassa seria a pedido de rivais dos bispos ligados ao PT

 

Homem-bomba

O ex-ministro Roberto Amaral, vice-presidente do PSB, está entre os cotados para vice de Marina, na campanha presidencial. Mas a turma dela se arrepia ao lembrar que ele andou defendendo bomba atômica. 

 

Gesto

A fim de diminuir resistência no agronegócio, socialistas que defendem a candidatura de Marina Silva têm ressaltado a emblemática ida dela à sabatina realizada pela Confederação Nacional da Agricultura.

 

Relações financeiras

As revelações de Meire Poza sobre a participação de Luiz Argôlo como sócio do doleiro Alberto Youssef muda o foco do caso, considerado “passional”, até então, pelo relator Marcos Rogério (PDT-RO).

 

Tomando as rédeas

Diante da negativa de Paulo Skaf (PMDB) em oferecer palanque a Dilma em São Paulo, o vice Michel Temer decidiu transformar seu escritório pessoal em comitê de campanha, no bairro de Pinheiros.

 

Tudo pelo voto

Funcionários do Congresso não escondem a surpresa ao ver a maioria dos políticos sisudos e carrancudos durante o mandato, agora abrindo largos sorrisos, abraçando e até beijando os eleitores na campanha.

 

Histórico

A bancada do PMDB-MT é só desconfiança com ministro Neri Geller (Agricultura), que já foi do PP e do PSDB. Ele se reuniu com adversário local e depois, sob pressão, declarou apoio à chapa com o PT.

 

Risco desnecessário

É falsa a indecisão do PSB para confirmar Marina Silva como candidata a presidente: afinal, se não o fizer corre o risco de tornar-se irrelevante.

PODER SEM PUDOR

Indústria forte

Responsável por grandes êxitos editoriais como as revistas Sexy, de belas mulheres, e G-Magazine, para o público gay, certa vez a publisher Ana Fadigas foi apresentada ao então deputado Delfim Netto, em 1998, em plena era FHC. No papo rápido, ela brincou, dizendo ser empresária do “ramo pornográfico”.

- Meus parabéns! – exultou Delfim – A senhora é legítima representante da única indústria que o governo não conseguiu quebrar.