Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 17/04/2013
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“O que vocês estão fazendo aqui? Tchau!”
Presidenta Dilma ao ser surpreendida por jornalistas à saída de um evento

PT: Eduardo, aquele que foi sem nunca ter sido
O presidenciável do PSB, Eduardo Campos, pode entrar para a história como o “candidato Viúva Porcina”, aquele que foi sem nunca ter sido, segundo admitiram dirigentes do PT, em off, a esta coluna. Tudo seria uma genial armação do ex-presidente Lula: chamando-se atenção para Campos, um candidato de limitadas chances, falar-se-á menos sobre o nome do PSDB, Aécio Neves, verdadeiro representante da oposição.

Rabo exposto
Um dos principais indícios da armação seria a permanência no governo do ministro Fernando Bezerra (Integração), unha e carne com Campos.

Não faz sentido
Candidata à reeleição, a presidenta Dilma não manteria um ministro indicado por Eduardo Campos, sendo ele um rival para valer, em 2014.

Jogo de cena
Trocando leves alfinetadas, Dilma e Eduardo Campos mantêm as aparências, mas a rigor não se comportam como oponentes.

Traição impensável
Para petistas, na amizade de Lula com Campos não há margem para traição, após Pernambuco ter sido tão privilegiado com verbas federais.

Brizola Neto prestes a pedir seguro-desemprego
Com patrimônio declarado de R$ 129 mil, um dos menores de um ex-ministro, o suplente de deputado Brizola Neto (RJ) enfrenta dificuldades financeiras típicas de um desempregado. Ele recebe ajuda de parentes porque não tem renda. E torce para um deputado federal ser convidado para cargo no Executivo: primeiro suplente, assumiria o mandato. Ou terá de recorrer ao seguro-desemprego que dirigiu como ministro.

Correção não basta
Brizola fez fama de ministro honesto, avesso a esquemas. Caiu porque ousou enfrentar Carlos Lupi, antecessor sem a mesma reputação.

Água doce
Navio de patrulha da Marinha do Brasil está em Angola, onde a tripulação simula ações antipirataria. Já nas fronteiras daqui...

Portas fechadas
Presidente do PPS, Roberto Freire procurou o presidente do PEN, Adilson Barroso, para propor fusão junto ao PMN. Não obteve sucesso.

Ouro de tolo
Renunciou o diretor do Goldman Sachs para o Oriente Médio, Khaled Eldabag, diz a Reuters. Em seu currículo, o conselho para o grupo Mudabala comprar por US$2 bi uma fatia da EBX de Eike Batista. 

Pedido de torcedor
Alexandre Padilha (Saúde) ganhou de um empresário de remédios, na Fiesp, uma foto autografada do time do Corinthians vencedor do torneio de Tóquio. O corintiano pediu logo: “Quero outra para a presidenta”.

Urucubaca no tribunal
A presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Leila Mariano, suspendeu pagamentos à construtora Lopes Marinho, sucessora da Delta na obra da lâmina 4 do seu anexo: a área construída é menor que a contratada. 

De cor e salteado
Novo ministro dos Transportes, Cesar Borges (PR), tem se debruçado sobre as principais obras (paradas e em andamento) e demandas do ministério. Nas audiências, dá show de conhecimento sobre o assunto.

Deboche a bordo
No voo 1819 da GOL, de Porto Alegre a Brasília, sábado (13), o frio era tão glacial que passageiros envolviam rosto em cachecol. Uma senhora de saúde frágil disse estar sujeita a espasmos, pediu para reduzir o frio. Trabalhando com óbvia má vontade, os comissários debocharam dela.

O início do fim
Com diferença ínfima de votos, sob suspeita de fraude admitida até pela “simpática” Organização dos Estados Americanos, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, começa um mandato que já terminou. 

Privatização
O presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, apresentou aos senadores da Comissão de Infraestrutura as obras e planos de concessões aos próximos dez anos. As primeiras etapas devem levar de seis meses a um ano para serem licitadas. 

Eleitoreiro
O líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), critica o “viés eleitoreiro” da Medida Provisória dos Portos: “É muito mais uma atitude política do que uma medida para resolver os gargalos nos portos”. 

Pensando bem...
...considerando os presidenciáveis que apareceram até agora, o Dr. Tomate é o maior adversário de Dilma em 2014. 

PODER SEM PUDOR
Surrando o vernáculo

Contam no Ceará que o prefeito de Crateús, Raimundo Rezende, certa vez denunciava num comício o temperamento violento de um adversário:
- ...e o Raimundo Bezerra, então, deu um tapa neu!
- “Em mim”, prefeito – corrigiu um assessor, ao seu ouvido.
Rezende apontou para o assessor e gritou:
- Bateu nesse também!
__
        Com Ana Paula Leitão e Teresa Barros 
www.claudiohumberto.com.br