Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 06/11/2014
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Cláudio Humberto

“Ainda bem que não falei isso na campanha”
Presidente Dilma Rousseff, após se confundir e chamar o aliado PSD de PSDB

Delação premiada de empresário causa espanto
Os depoimentos do empresário Júlio Camargo à Justiça Federal, sob delação premiada – garante fonte ligada às investigações – fazem parecer irrelevantes as revelações do ex-diretor Paulo Roberto Costa e do megadoleiro Alberto Youssef sobre o esquema que roubou a Petrobras. Ele não é apenas um executivo da japonesa Toyo Setal, responsável por depósitos no exterior depois convertidos em propina para políticos: “ele é o coração do esquema de corrupção”, diz a fonte.

 

Figura central
O MPF acredita que Júlio Camargo protagonizou a formação de cartel de grandes fornecedores da Petrobras que alimentaram o Petrolão.

 

O articulador
Júlio Camargo é mais que um “executivo”, como tem sido chamado. Ele seria, para os investigadores, líder e articulador do esquema corruptor.

 

No olho da mosca
Ao propor delação premiada, Júlio Camargo mostrou que a Operação Lava Jato atingiu em cheio o esquema de corrupção na Petrobras.

 

Rios de dinheiro
Milionário apaixonado por cavalos, Júlio Camargo é conhecido por levar seus “puro sangue” para competições em aviões climatizados.

 

Em extinção, DEM discute fusão com PSC e SD
Com objetivo de aglutinar três grandes forças – ruralistas, sindicalistas e evangélicos – o DEM abriu negociações para possível fusão com o PSC e o partido Solidariedade (SD). Sua direção obteve sinalização positiva do pastor Everaldo (RJ) e se reuniu em café da manhã na casa do presidente do SD, Paulo Pereira (SP), da Força Sindical, em Brasília. O novo partido nasceria com 49 deputados e seis senadores. 

 

Tropa de elite
Estiveram com Paulinho da Força Ronaldo Caiado (GO), Mendonça Filho (PE), Onyx Lorenzoni (RS) e Rodrigo Maia (RJ), todos do DEM.

 

Divisão igualitária
O DEM propõe que os dirigentes dos atuais três partidos se revezem na presidência da nova sigla e dividam igualmente cargos na direção.

 

Ganha peso
A fusão do DEM com o PSC e SD, que já fazem parte do blocão, só fortalece candidatura de Eduardo Cunha (RJ) ao comando da Câmara.


Mágica pró-Dirceu
Estranha a matemática que soltou José Dirceu. Ele descontou 142 dias da sua sentença, por ter supostamente trabalhado três vezes mais que isso (426 dias), ou sejam, 14 meses. Mas ele só ficou preso 11 meses.


Ser oposição é...
Aécio Neves (PSDB-MG), que jamais se opôs pra valer a ninguém, tem muito a aprender. Por exemplo: oposição não “cobra apuração das denúncias”, como afirmou, e sim “exige que o governo pare de roubar”.

 

Corpo mole mineiro
Adepto do “diálogo objetivo”, Aécio poderia aplicar “pedala, Robinho” na sua turma, em Minas, que faz corpo mole para repassar dados à equipe de transição do governador eleito Fernando Pimentel (PT).

 

Cabisbaixo
O presidente da Câmara, Henrique Alves, derrotado na disputa ao governo potiguar, colou no vice Michel Temer, durante jantar do PMDB, na terça, ignorando a mesa onde estavam seus conterrâneos.

 

Vampira
Em meio à confirmação do doleiro Youssef de que deu R$1 milhão do Petrolão à campanha dela, a ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) convocava tuiteiros a doar sangue numa campanha beneficente.

 

Ares portugueses
Após admitir que votou em Aécio Neves “por gratidão a Tancredo”, o ex-presidente e senador José Sarney passará uma semana em Lisboa levando um assessor – abriu mão de outros, ao contrário do ex Lula.

 

Estamos de olho
A Forbes (EUA) confirmou que as mais de 140 mil assinaturas em 48h, na petição à Casa Branca contra a corrupção e bolivarianismo, podem sensibilizar a administração Obama. A chance é remota, mas possível.

 

Por qué no te callas?
Presidente da Petrobras, Graça Foster desdenhou das expectativas de novos preços afirmando que “aumento (de gasolina) não se anuncia, pratica-se”. A sentença vale para corrupção também.

 

Pensando bem..
...como diria Graça Foster, fim de ano não se anuncia, pratica-se: 2015 já acabou.

PODERM SEM PUDOR

Fundo do poço de político

O líder politico piauiense Heráclito Fortes está de volta como deputado federal, desta vez eleito pelo PSB. Ele ganhou lugar no “alto clero” do Congresso há décadas, inclusive quando fez parte – ao lado de Ulysses Guimarães – do célebre e exclusivo “Clube do Poire”, no restaurante Tarantella, depois rebatizado de Piantella e até hoje ponto de encontro, em Brasília, dos políticos.

Estes dias, já de volta à capital, Heráclito lembrava a frase que utilizou em 2010, durante discurso de despedida do mandato de senador:

- Em política, fundo do poço tem mola. Logo estarei de volta.

Dito e feito.