Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 14/12/2014
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“Hoje em dia a regra tem sido o desmembramento [do processo]”

Ministro Luiz Fux (STF), a enrolados no Petrolão que pretendem ser julgados no STF

 

Na lista do Petrolão, ‘SC’ seriam iniciais de Cabral

Investigadores da Operação Lava Jato acreditam que as letras “SC”, ao lado do número “8140”, em um manuscrito apreendido na sede da empreiteira Queiroz Galvão, são as iniciais do ex-governador Sergio Cabral, que não disputou a eleição de 2014. Na lista, há vários políticos do Rio de Janeiro, como o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), mencionado como “Pé Grande”, e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

 

Pai e/ou filho

Para a força-tarefa, o “Picciani” da lista do Petrolão seria o deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), muito ligado a Sergio Cabral.

 

Bancada petista

Além de Lindbergh Farias, aparecem na lista da Queiroz Galvão os petistas Maria do Rosário (RS), Jilmar Tato (SP) e Jorge Bittar (RJ).

 

Sempre o PMDB

Outros políticos do PMDB, além de Cabral, Pezão e Picciani, o senador Romero Jucá (RR) também é citado no manuscrito apreendido pela PF.

 

Suprapartidária

A bancada da Queiroz Galvão é suprapartidária: do DEM, o deputado Rodrigo Garcia (SP) e o vereador paulistano Milton Leite estão na lista.
 

Airbus de Dilma é chamado na FAB de ‘Vassourão’

Militares ganham pouco, ralam muito, são maltratados, sobretudo quem serve no Grupo de Transportes Especiais (GTE), responsável pelos aviões utilizados pela Presidência da República, mas conseguem se divertir. Mostrando que esculacho não garante respeito, militares da FAB ridicularizam grosserias rotineiras de que são alvo chamando o jatão Airbus, que transporta Dilma Rousseff, de “Vassourão”.

 

A dona do ‘Vassourão’

Dilma está longe de ser uma Miss Simpatia a bordo dos aviões da FAB. A vingança veio a jato: passaram a se referir a ela como “Bruxa”.

 

Apelidos pegaram

Os apelidos “Bruxa” e “Vassourão” são oficialmente negados, mas em setores da cúpula da FAB é assim que se referem a Dilma e ao Airbus.

 

Rima com ‘Sucatão’

O batismo do avião de Dilma segue a designação do velho Boeing 707 da FAB, já em desuso, chamado de “Sucatão” pelo ex-presidente FHC.

 

Filho prodígio

Vice-presidente da Petra Energia, Pedro Mercadante Oliva, filho do ministro Aloízio Mercadante (Casa Civil), também é sócio da MPX de Eike Batista na obra de termoelétrica na Bacia do Parnaíba (MA).

 

Retrocesso brasileiro

Não é à toa que diplomatas brasileiros consideraram um retrocesso a mudança da promoção comercial ao MDIC. Recentemente, a França, que tinha o departamento comercial ligado ao Ministério da Economia há 40 anos, fez o inverso e o transferiu para as Relações Exteriores.

 

Caciques não faltam

Muito ligado a Aécio Neves, o senador Cássio Cunha Lima (PB) tem se colocado para líder do PSDB no Senado em 2015. Também estão no páreo Aloysio Nunes, Tasso Jereissati, José Serra...

 

Mais indiciados

Se depender da vontade do deputado e promotor Carlos Sampaio (PSDB-SP), em seu relatório paralelo, na CPMI da Petrobras, também serão indiciados André Vargas (PR) e Luiz Argôlo (SD-BA), além dos executivos e lobistas que fizeram delação premiada. 

 

Contra

Os deputados José Priante (PA) e Leonardo Quintão (MG) trabalham na bancada do PMDB contra o apoio à indicação de Henrique Alves (RN) e Eliseu Padilha (RS), para cargos no ministério de Dilma II. 

 

Tango inglês

O governo britânico está de cabelo em pé com o acordo do Brasil para exportar caças suecos Gripen à Argentina – de olho nas ilhas Falkland. Os 36 primeiros chegam em 2018. Os demais sairão daqui.

 

Plantão médico

A Presidência da República reservou – sabe-se lá por que – R$ 77,8 mil para comprar algodão, compressa, luva, máscara e curativos diversos. Deve ser para a luta pelo fatiamento do governo.

 

Sem sentido

O PV acha que o líder na Câmara, Sarney Filho (MA), será convidado para o cargo de ministro de Meio Ambiente de Dilma. O deputado nega: “Não vejo porquê! Apoiamos Aécio no segundo turno”.

 

Pensando bem...

...com ações da estatal a menos de R$ 10 na bolsa, a diretoria da Petrobras pode não resistir ao “furacão Venina” deste final de semana.

PODER SEM PUDOR

Já morreu tarde

Em 1955, um ano após a morte de Evita e pouco antes de cair, o general argentino Juan Domingo Perón demitiu o poeta maior Jorge Luis Borges de uma sinecura na Biblioteca Nacional de Buenos Aires. Pura pirraça.

- Perón es un miserable! – reagiu o poeta.

Em 1973, Perón retornou ao poder e faleceria em seguida. Um jornalista procurou Borges e tentou induzi-lo a uma resposta generosa sobre o morto. Ele repousou as mãos sobre o cabo da bengala e exclamou:

- Ahora, Perón es un miserable muerto!