Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 21/01/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“Dilma começou o racionamento de energia sem qualquer aviso”

Senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), sobre o apagão que surpreendeu metade do País

 

Levy faz o contribuinte pagar rombo do governo

O ministro Joaquim Levy (Fazenda) demonstrava constrangedor contentamento, ontem, com o papel de portador da má notícia do aumento de impostos. Como os antecessores, ele preferiu o caminho fácil de meter a mão no bolso do contribuinte, aumentando impostos, para cobrir o rombo de R$20,6 bilhões nas contas. O “mãos de tesoura” calou sobre a obesidade mórbida do governo que produziu o tal rombo.

 

Farra continua

O aumento da Cide e do PIS e Cofins dos importados não foi seguido de qualquer medida para tornar o governo menos perdulário.

 

Promessas vãs

O suposto corte de “um terço” dos investimentos de cada ministério é só uma promessa, como tantas outras. Nada indica que será cumprido.

 

Punição

O aumento do PIS e Cofins dos importados, de 9,25% para 11,75%, é mais uma punição para consumidores que tentam fugir da exploração.

 

Pergunta no Congresso

O que vai acabar primeiro: a luz, a água, o dinheiro do brasileiro ou o governo Dilma?

 

Dilma está muito longe de dar lições à Indonésia

O governo do Brasil, chefiado por Dilma Rousseff, não pode dar lições à Indonésia, por meio de atitudes de repulsa à execução do traficante Marco Archer. Considerada no cenário internacional a “nova China”, a Indonésia é um país democrático que cresceu em média 5% ao ano, na última década, comparável ao ritmo chinês do final dos anos 1980. E ainda elegeu presidente um homem simples, coerente e competente.

 

Promessas cumpridas

Presidente da Indonésia desde outubro, Joko Widodo é bem avaliado pelo eleitorado. Até porque cumpre todas as promessas de campanha.

 

Morte a traficantes

Entre os compromissos do indonésio Joko Widodo (“Jokowi”) junto aos eleitores, está o de cumprir sentenças judiciais de morte de traficantes.

 

Assepsia histórica

Lição da Indonésia ao Brasil: seu presidente criou uma “Comissão de Erradicação da Corrupção”, que faz limpeza histórica na classe política.

 

Sena acumulada

Políticos do PT ameaçam fazer barulho caso o partido ignore a questão: o que o ex-jornalista Franklin Martins e sua turma fizeram na reeleição de Dilma para merecerem uma bolada de R$ 12 milhões?

 

Testemunhas não faltam

Se quiser apurar toda a roubalheiras na obra da refinaria de Abreu e Lima, a força-tarefa da Lava Jato deveria sentar praça no local. São abundantes os relatos, até para turistas, dos desvios nas obras.

 

Chanceler fraquinho

Com chanceler Mauro Vieira no cargo, foi Marco Aurélio Garcia quem, sob pressão da França, fez Dilma reprovar o ataque ao Charlie Hebdo. No fuzilamento do traficante, o aspone Top-Top falou em nome do país. É... Vieira parece tão fraquinho quanto os três últimos antecessores.

 

Esquisito, é

O governo brasileiro pagou o mico de defender traficante de cocaína condenado à morte na Indonésia, mas mantém o bico calado diante da destruição de templos da brasileiríssima Igreja Universal na Nigéria.

 

Plano de voo

O ministro Eliseu Padilha (Aviação Civil) diz que está mantido o projeto de ampliar o aeroporto Salgado Filho, de Porto Alegre, mas só negocia o início das obras na pista após invasores da área serem retirados.

 

Vingança disfarçada

Com falta d’água, de luz, contas mais caras e corrupção na Petrobras, a nomeação de Eduardo Braga para o Ministério de Minas e Energia é a prova definitiva de que a presidenta Dilma não gosta mesmo dele.

 

OAB na briga

O presidente da OAB-DF, Ibaneis Rocha, deve se posicionar sobre a confusão em Brasília, atormentada por greves, buracos, mato, lixo etc. Ele acha o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) ruim de serviço.

 

Exemplo

Fortaleza dos Nogueiras (MA), 15 mil habitantes, logo vai se tornar um dos primeiros municípios totalmente saneados no País. O povo ficará protegido de doenças e o município gastará menos em saúde pública.

 

Pergunta na cadeia

Se o ex-diretor Paulo Roberto Costa não escondeu dinheiro roubado da Petrobras na piscina, terá enrolado tudo com plástico e depositado nas profundezas do pré-sal?

PODER SEM PUDOR

Zona excelente

Disputando o governo do Paraná com Jayme Lerner, em 1994, Álvaro Dias resolveu apresentar algumas propostas que considerava inovadoras, como a criação de certas “zonas de excelência industriais”. Dias chegou em Realeza e, claro, prometeu a plenos pulmões, em discurso, que levaria ao município uma “zona de excelência”. O prefeito o interrompeu, preocupado:

- O senhor explique melhor essa história porque vai ter gente achando que “zona de excelência” é bordel com cama redonda e espelho no teto....