Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 29/01/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
CLÁUDIO HUMBERTO

“Dilma mostrou desconforto, nervosismo, gaguejou o tempo todo”

Ronaldo Caiado (DEM-GO) e o discurso de Dilma, ontem, “desconectado da realidade”

 

Ação nos EUA cita Odebrecht e Graça Foster

Ação civil coletiva (class action suit) é movida na Justiça de Nova York contra a Petrobras por acionistas nos Estados Unidos, e pode fazer a estatal e seus executivos pagarem indenização. De acordo com a ação judicial movida pelo escritório de advocacia americano Wolf Popper, à qual esta coluna teve acesso, o esquema de roubalheira do Petrolão foi abastecido por tipos como a presidente Graça Foster e o ex Sérgio Gabrielli, para beneficiar fornecedores como a empreiteira Odebrecht.

 

Papéis sujos

Além de indenização por dano material, a ação coletiva pede reparação por “dano moral”: agora, pega mal ser portador de ações da Petrobras.

 

Crimes financeiros

A ação acusa a Petrobras de emitir relatórios falsos e seus executivos de “maquiar” fatos e resultados financeiros para esconder a corrupção.

 

Devassa financeira

Entre os pedidos da ação está investigação da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA em todos os relatórios emitidos pela Petrobras.

 

Multa bilionária

A ação coletiva pode ter milhares de autores, já que a Petrobras vendeu 768 milhões de ações na Bolsa americana entre 2010 e 2014.

 

PMDB pede trégua em troca de governabilidade

Detestado por Dilma, o líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), pediu a interlocutores, como o vice Michel Temer, para negociar “cessar-fogo” com o governo, que entrou pesado na campanha de Arlindo Chinaglia (PT-SP) pela presidência da Câmara. Eles juram que Cunha “garantirá governabilidade”. Mas Dilma teme que, eleito no domingo (1o), ele coloque em votação abertura de processo de impeachment contra ela.

 

Acordão

O melhor dos mundos para governo seria um “acordão” com Cunha. O difícil é passar por cima da repulsa de Dilma ao líder peemedebista.

 

Na surdina

Arlindo Chinaglia tem recebido em seu gabinete coordenadores da campanha de Eduardo Cunha. O PMDB diz já ter mais de 300 votos.

 

Tensão-pré-eleição

Crescem apostas no PT de que Chinaglia pode desistir da candidatura. Mas com nível de animosidade das campanhas, até o PMDB duvida. 

 

Decisão de cúpula

Apesar das defecções pró-Eduardo Cunha, o líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Antonio Imbassahy (BA), acha que o partido não voltará atrás na decisão de apoiar Júlio Delgado (PSB-MG).

 

Resistência

O deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) enfrenta resistências em sua bancada, acusado de fazer o que soa como música aos ouvidos do eleitorado: beneficiar seu próprio Estado, quando ministro (Cidades).

 

Onde estou?

Sentado ao lado de Jaques Wagner (Defesa) e Aloizio Mercadante (Casa Civil), na reunião ministerial de ontem, Joaquim Levy (Fazenda) exibia sua melhor expressão “O que estou fazendo aqui?!”

 

Se liga, mané

Membros do FBI se reuniram com a cúpula da Secretaria de Segurança para Grandes Eventos, do Ministério da Justiça, alertando para a necessidade de medidas antiterrorismo nas Olimpíadas de Rio-2016.

 

Fogo amigo

O artigo da senadora Marta Suplicy (PT-SP), descendo o sarrafo em Dilma e no PT, deu o que falar. O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) esbravejou no Twitter e classificou o texto como ‘inaceitável’.

 

Tudo atrasado

O texto final do Orçamento de 2015 ainda não foi votado, e há dúvidas se será cumprido o prazo do Plano Plurianual para os próximos 4 anos, que todo presidente faz até 31 de agosto do primeiro ano de governo.

 

Outro calote

Alunos do programa “Brasília Sem Fronteiras” tomaram calote do governo do DF: curso de quatro semanas em Auckland, Nova Zelândia, não foi pago. São R$ 100 mil sem qualquer previsão para ser pago.

 

Vexame

Em pleno “intensivão” para se familiarizar com o MEC, o ministro Cid Gomes ainda precisa explicar por que seu finado governo e o irmão, Ciro, secretário de Saúde, tornaram o Ceará uma ameaça à conquista histórica da erradicação do sarampo nas Américas.

 

Pensando bem...

...Dilma discursar e não falar de racionamento de água e luz é o tipo de argumentação debalde.

PODER SEM PUDOR

Sai uma Brahmtárctica!

Lucídio Portella Nunes era governador do Piauí, em 1982, quando participou da inauguração de uma fábrica da Antarctica. Ele carregava a fama de mal falar o português corretamente, o que, aliás, nunca dificultou a eleição, nem mesmo a presidente. Lucídio saudou, em seu discurso:

- Agora temos uma fábrica da Antarctica para tomar Brahma a valer! 

O que na época foi gafe, hoje certamente seria recebido como uma sacada inteligente pela Ambev, a empresa que atualmente produz as duas marcas.