Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 31/01/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“Não saí candidato por minha vontade”

Luiz Henrique (PMDB-SC), adversário de Renan Calheiros na presidência do Senado

 

Renan convoca ‘tropa’ para derrotar adversário

Candidato à reeleição na presidência do Senado, muito embora tenha dito que não o seria, Renan Calheiros (PMDB-AL) fez da residência oficial seu “QG”, para traçar com sua “tropa de choque” estratégia, mapear o território e derrotar o “inimigo”, Luiz Henrique (PMDB-SC), neste domingo. Os aliados de Renan estimam que ele terá entre 52 e 55 votos, a menos que as esperadas traições do PT surtam efeito.

 

Voz da experiência

Renan tem se reunido até altas horas com José Sarney (PMDB-AP), que, mesmo em final de mandato, ainda é muito influente no Senado.

 

Gato escaldado

A cúpula do PMDB tenta descobrir “o real padrinho” da candidatura de Luiz Henrique (SC) à presidência do Senado. Vê o “dedo” do Planalto.

 

Tradição

Pela tradição do Senado, a maior bancada indica o presidente, por isso o PMDB vai escolheu seu candidato oficial nesta sexta-feira.

 

Avulso

Luiz Henrique admitiu que será derrotado pelos colegas do PMDB, mas avisou que se apresentará como candidato “avulso”, no plenário.

 

Medo faz o Planalto hesitar se ‘atropela’ Cunha

Candidato a presidente da Câmara, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) agora conta com o temor de quem mais o despreza: Dilma já não sabe se é pior a vitória dele ou vê-lo como líder do PMDB ressentido com o rolo compressor que o governo eventualmente acione para derrotá-lo. Tido no governo como “gênio do mal”, Cunha consegue aos poucos consolidar no próprio Planalto a sensação do “já ganhou”.

 

Reforço

Quem tem trabalhado na campanha de Eduardo Cunha é sua filha, a publicitária Danielle Cunha. Ela cuida das redes e do PMDB Jovem.

 

Bloco na Rua

Tanto Eduardo Cunha quanto Arlindo Chinaglia espalharam cartazes e faixas ao longo da Esplanada dos Ministérios.

 

O leão é manso

Para “tranquilizar” Dilma, Eduardo Cunha mandou dizer a ela que é “fofoca” a ameaça de colocar seu impeachment em votação.

 

A lista da ameaça

Os políticos que Ricardo Pessoa (UTC) listou como testemunhas de defesa, como o ministro Jaques Wagner (Defesa), o ex-ministro Paulo Bernardo e o deputado Arlindo Chinaglia, estão entre os figurões que receberam recados ameaçadores do empreiteiro, que está preso.

 

Na baixa

Gleisi Hoffman (PT-PR), que sumiu desde que foi acusada por Paulo Roberto Costa de receber grana no petrolão, articula-se para presidir a importante Comissão de Assuntos Econômicos no Senado.

 

Lorota oficial

O presidente em exercício, Michel Temer, teve agenda lotada ontem, sobretudo com os conchavos sobre eleições às mesas da Câmara e do Senado. Mas, oficialmente, foram apenas “despachos internos”.

 

Esperneando

No PSDB, as reclamações de Marcos Pestana (MG) e Vanderlei Macris (SP), sobre a escolha de Carlos Sampaio (SP) para líder na Câmara, foram vistas como tentativa de se posicionar para Liderança da Minoria.

 

Cabo eleitoral

Tem nome e sobrenome quem está segurando o apoio do PSDB ao Júlio Delgado (PSB-MG) pela presidência da Câmara: Aécio Neves. O senador tem impedido a debandada dos tucanos rumo ao PMDB.

 

Cunha x OAB

Advogados temem o fim do Exame da Ordem, caso Eduardo Cunha (PMDB-RJ) se eleja presidente da Câmara. A prova é obrigatória para o exercício da advocacia e Cunha é ferrenho adversário do exame.

 

Fome do cão

O deputado mineiro se chama Dr. Grilo (SD), mas não tem estômago de inseto. Frequenta restaurantes cariocas, onde já gastou R$ 2 mil. Aprecia moqueca de frutos do mar, e nós pagamos o prato: R$167,50.

 

Vagalume

O Brasil recuou 60 anos: em 1954, era lançada “Vagalume”, clássico do carnaval que ironizava a incompetência dos governantes: "Rio de Janeiro/Cidade que nos seduz/De dia falta água/De noite falta luz”. E concluía: “Vou buscar um vagalume/Pra dar luz ao meu chatô”...

 

Pergunta na Lava-Jato

Se Dilma quer livrar empreiteiras do Petrolão que obtiveram contratos mediante fraude e suborno, no fundo, no fundo, ela quer mesmo a punição das “pessoas”?

PODER SEM PUDOR

Marvada conselheira

O então líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), pediu vista e retirou da pauta da Comissão de Assuntos Econômicos um projeto dispondo sobre isenção de IPI para aguardente de cana-de-açúcar. “O PSDB votará contra”, adiantou. E, apesar de também ser um – digamos – apreciador, o tucano não perdeu a piada endereçada a Lula:

- Temo que decisões de certos presidentes vizinhos possam ter sido tomadas sob o efeito desse produto brasileiro de exportação...