Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 01/02/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

Como a gente está no governo, eu defendo essa posição

Luciano de Castro (PR-RR), sem demonstrar ânimo para votar em Arlindo Chinaglia (PT)

 

Petrobras pode ser punida por relatórios falsos

Pode render indenizações bilionárias a acionistas da Petrobras, na Justiça de Nova York (EUA), investigação das autoridades fiscais americanas, como a Comissão da Valores Mobiliários de lá (SEC), em relação aos relatórios 20-F (“Form 20-F”), documentação obrigatória e anual de empresas estrangeiras que atuam nos Estados Unidos. Esse tipo de investigação tira o sono de Graça Foster, presidente da estatal.

 

Mais prejuízos

Se for atestada a falsidade dos relatórios, a Petrobras está sujeita a indenizações na Justiça e multas na Bolsa de Nova York.

 

Risco de bancarrota

Indenizações bilionárias, multas e derretimento no valor das ações nos EUA podem levar a Petrobras à bancarrota, segundo especialistas.

 

Titanic brasileiro

Roubo, gestão temerária e perdas bilionárias com indenizações podem formar a “tempestade perfeita” que leva qualquer Titanic ao naufrágio.

 

‘Pinóquia’

Líder do PSDB, Antônio Imbassahy (BA) bate firme: “Além de mentir na campanha, Dilma agora pede aos seus ministros que mintam também”.

 

Dilma ainda não viu 10 dos seus 39 ministros

Ao final do primeiro mês do novo mandato, Dilma ainda não recebeu 10 dos 39 ministros da Esplanada. Aloizio Mercadante (Casa Civil) despachou cinco vezes com ela, segundo a agenda oficial, enquanto a crise a fez se reunir com Joaquim Levy (Fazenda) por quatro vezes e Dilma convocou Eduardo Braga (Minas e Energia) para aplicar três broncas. Todos os demais já foram recebidos pela presidente.

 

Ministros ‘tipo B’

Dilma ainda não recebeu os ministros importantes, como da Justiça, Previdência, Comunicações, Relações Exteriores e Banco Central.

 

Falta mais

Os ministros do Trabalho, Assuntos Estratégicos, Advocacia-Geral, Comunicação Social e Segurança Institucionais aguardam despachos.

 

Bolão otimista

“Bolão” de deputados do PMDB, que deve chegar a 200 apostadores (R$ 50 cada), indica vitória de Eduardo Cunha com até 335 votos.

 

Dia da Traição

Este domingo é o Dia da Traição no Congresso, quando deputados e senadores dão razão à bem-humorada sentença do falecido Tancredo Neves, num dia como o de hoje: “Na solidão da cabine indevassável, dá uma vontade louca de trair…” Vencerão os que forem menos traídos.

 

Favorito no Senado

As estimativas de experientes observadores do Congresso indicam que Renan Calheiros será reeleito presidente do Senado, neste domingo, com os votos de pelo menos 52 dos 81 senadores.

 

Favorito na Câmara

Eduardo Cunha (PMDB) pode vencer no primeiro turno a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, neste domingo. As chances de Arlindo Chinaglia (PT) e Júlio Delgado (PSB) são limitadas.

 

Poço de mágoas

Derrotado por Renan Filho (PMDB) no primeiro turno, na disputa pelo governo de Alagoas, Benedito de Lira (PP-AL) faz campanha contra a reeleição de Renan na presidência do Senado. Deve perder de novo.

 

Comissão de Aloysio

O PSDB quer a presidência a Comissão de Fiscalização e Controle do Senado, na divisão de espaços do início da legislatura, mas pode ficar com a de Relações Exteriores, pretendida por Aloysio Nunes (SP).

 

Nova no pedaço

O tropa de choque do senador Renan Calheiros não sabe como se comportará a senadora eleita Rose de Freitas (PMDB-ES) na eleição ao comando do Senado. O assédio de Luiz Henrique (SC) é grande.

 

PSDB rachado

O PMDB aposta na divisão do PSDB em torno da candidatura de Luiz Henrique (SC) ao comando do Senado. Renan Calheiros visita e pede votos a amigos que tem entre os senadores tucanos.

 

Efeito borboleta

O PT culpa Dilma pela dificuldade de Arlindo Chinaglia na disputa pela presidência da Câmara. Ela diminuiu a interlocução com o Congresso, ao mesmo tempo que esvaziou o poder de suas lideranças.

 

Pensando bem...

...em um País como o Brasil, Eduardo Cunha na Câmara e Renan Calheiros no Senado são a mais perfeita tradução da classe política.

PODER SEM PUDOR

Humor na feira

Maurício Fruet era uma figuraça. Sem mandato, em 1994, resolveu reformar sua loja, em Curitiba. Vestia roupas velhas e metia a mão na massa. Certo dia, foi caminhando da obra ao escritório. Encontrou um velho amigo, que pareceu chocado com sua roupa surrada. Fruet resolveu pregar-lhe uma peça:

- A coisa não está boa. Perdi a eleição, estou desempregado, mas vou tocando: vendo laranjas na feira...

Compadecido, o amigo enfiou discretamente em seu bolso uma nota de cem reais. No dia seguinte, às gargalhadas, Fruet o convidou para jantar e pagou a conta usando a mesma nota.