Busque em todas as seções:
EDIÇÕES ANTERIORES: anteriores

Cláudio Humberto

ACESSIBILIDADE: A A A A
Claúdio Humberto 17/03/2015
Claúdio Humberto
ch@claudiohumberto.com.br
Claudio Humberto

“Precisamos de mudança nos sistemas político e criminal”

Deltan Dallagnol, procurador, um dos heróis da Lava Jato, ao detalhar esquema

 

Conflito com a Câmara pode derrubar Cid Gomes

Com dificuldades no Congresso, tudo o que Dilma não precisa é de ministro insultando parlamentares, por isso o verborrágico Cid Gomes (Educação) pode perder o cargo. Ele disse em Belém que deputados são “achacadores”. Foi intimado a apontar no plenário da Câmara, dia 11, os “achacadores”. Mas alegou “mal estar” e não apareceu. Sua sorte será selada nesta quarta (18), nova data de sua ida à Câmara.

 

Lula sugeriu demissão

A demissão de Cid Gomes foi sugerida por Lula, como demonstração de “respeito à Câmara”. Ela resistiu: parece concordar com o ministro.

 

Esqueça o que eu disse

Lula mudou muito mesmo. Em 1993, disse que havia no Congresso “300 picaretas”. Agora, defende “achacadores” citados por Cid Gomes.

 

Abraço dos desesperados

Deputados querem ver pelas costas, além de Cid Gomes, Pepe Vargas (Relações Institucionais), este pela inutilidade do seu trabalho.

 

Maestro

Quem vem municiando os deputados federais é o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). Desafeto de Cid, Eunício tem artilharia de sobra.

 

Janot articula solidariedade dos seus colegas

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, mostra que também sabe se articular politicamente. Todos os procuradores gerais dos Estados têm sido solicitados a comparecer, segunda (23), à reunião do CNPG, o conselho nacional que os representa. No encontro, Janot – que nunca participa de reuniões do CNPG – espera a solidariedade dos colegas, diante das críticas de investigados na operação Lava Jato.

 

Racha histórico

Procuradores federais não se bicam com os procuradores dos Estados e do interior, que se queixam até de tratamento desigual no CNMP.

 

Pegando pesado

Órgão de controle do Ministério Público, o CNMP é presidido por Janot e costuma “pegar pesado” com promotores do interior, segundo eles.

 

Desigualdade

Procuradores estaduais se sentem prejudicados pela composição numericamente favorável aos procuradores federais, no CNMP.

 

Corrupção no DNA

O governo Dilma insiste no indecoroso “acordo de leniência” para salvar empresas (na verdade, seus donos) corruptoras do Petrolão. Já o governo Obama criou o site subornoamericano.com.br para receber denúncias sobre empresas dos EUA que pagam propinas no Brasil.

 

Babaquice

O obtuso ministro Miguel Rossetto, que integra uma facção porralouca do PT, irritou até parlamentares do partido ao desdenhar dos protestos de domingo, alegando que ali não havia eleitores de Dilma.

 

Panelaço muda hábitos

Dilma faz pronunciamento à tarde porque é o horário em que a maioria das pessoas trabalham. Ela sabe que se der as caras na televisão durante a noite, vai ter panelaço.

 

Acordo com quem?

Dilma propôs o “diálogo” à oposição, mas ignora um detalhe: partidos nada tiveram com os monumentais protestos de domingo. Eles não têm legitimidade nem para cancelar o próximo, no domingo 12 de abril.

 

Nas mãos do PMDB

Dilma se curvou ao PMDB: manterá o ministro Vinícius Lages (Turismo) para afagar o presidente do Senado, Renan Calheiros, e fará de Henrique Alves ministro da Integração, a pedido do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Pedidos de impeachment serão arquivados.

 

Estresse a jato

O desalento na economia contaminou os executivos: 70% deles estão padecendo de alto nível de estresse, segundo pesquisa da Med Rio, a maior clínica de check ups do Rio de Janeiro. 

 

Mais do mesmo

O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) criticou as tolices dos ministros Cardozo e Rossetto, escalados por Dilma para comentar os protestos. Achou-os com discurso “alienado e arrogante”.

  

Pelas Costas

A hashtag #TchauDilma permanece nos assuntos mais comentados do Twitter.  Em sua maioria, a saudação não é seguida de mensagens muito amistosas. Afinal, são pessoas que querem vê-la pelas costas.

 

Pergunta no cadafalso

Quem votou em Dilma teve motivos para não participar dos protestos de domingo?

PODER SEM PUDOR

Microfone aberto

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) criticava certa vez o colega Renan Calheiros quando seu microfone ficou mudo e ele parecia não perceber. O então senador Tião Viana (PT-AC), que presidia a sessão, avisou:

- O problema está no microfone.

- ...ou no assunto – murmurou o líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), sem perceber que seu próprio microfone estava aberto.